quarta-feira, 5 de junho de 2013

José Ricardo vai ao Ministério Público pedir providências da Seduc em relação à escola estadual de Itapiranga que está em situação caótica


O deputado José Ricardo Wendling (PT) irá ingressar com representação no Ministério Público do Estado (MPE) para que o Governo do Amazonas tome providências para resolver a situação caótica em que se encontra a Escola Estadual Professor Mileto Batista, no Município de Itapiranga (a quilômetros de Manaus). “Vamos informar à Seduc (Secretaria de Estado da Educação), mas também acionar o MPE para resolver com urgência o problema dessa escola”. Ele esteve em visita à cidade na semana passada, onde esteve também na delegacia e no hospital.

“Nessa unidade educacional, falta tudo. É um absurdo do absurdo”, afirmou o deputado, indignado com a situação da escola Professor Mileto, que existe há 18 anos, porém, nunca passou por qualquer reforma. No local, não tem biblioteca, bibliotecário, auditório, quadra poliesportiva e nem pedagogo, como ainda não tem merendeira e nem funcionários para fazer a limpeza. “Quem cuida dessas atividades são voluntários amigos da escola. Um verdadeiro descaso”, declarou ele, acrescentando que o telhado tem sérias infiltrações, alagando a escola todo vez que chove; a diretoria é improvisada em uma sala junto com a secretaria, sala de professores e depósito; as salas de aula não são climatizadas, e em muitas nem o ventilador funciona; e a parte elétrica do prédio está seriamente comprometida.

José Ricardo esteve também na Escola Estadual Professor Tereza Santos, que está sendo adaptada para atender alunos em tempo integral, também passa por problemas: não tem quadra de esporte e nem auditório; o quadro de funcionários para limpeza e para o preparo da merenda escolar é insuficiente; só há vigias no turno da noite, além de não possuir bibliotecário e nem sala de ciências.

Ele ainda visitou o hospital de Itapiranga, que necessita de uma grande reforma ou até mesmo de uma nova unidade hospitalar, atendendo à população precariamente, com equipamentos defasados. “Por sorte, a cidade fica próxima de Itacoatiara, para onde são encaminhados os casos mais graves. Só que esse hospital também fica superlotado, com dificuldades de atendimento”, informou o parlamentar.

Já na delegacia de polícia e no posto da Polícia Militar, o deputado presenciou um contingente reduzido de policiais civis e militares. “A estrutura física da delegacia é precária, faltando carcereiro e sem lancha para atendimento na área ribeirinha. E os PMs reclamaram da falta de alojamento e, mais uma vez, do auxílio moradia que está defasado há, pelo menos, dez anos”. Todos esses relatos serão encaminhados também às Secretarias de Estado da Saúde (Susam) e de Segurança Pública (SSP).