sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Em Manaus, Jose Ricardo está entre os nomes que disputam a ida para o 2° turno.


As pesquisas eleitorais em Manaus indicam que terá segundo turno, com 9 candidatos a disputa e com um matemática simples , logo nenhum dos candidatos terá condições de conseguir 50% + 1 dos votos, que liquidaria a fatura no 1° turno.

Uma informação é bastante relevante em quase todas as pesquisas, quase 40% de eleitores em Manaus não tem em quem votar para prefeito, ou seja neste momento da campanha os nove candidatos ainda não conseguiram firmar seus nomes juntos ao eleitorado, o campo está aberto.

Debate na TV

Nesta eleição em Manaus, foi realizado apenas 3 debates, primeiro na TV Band Manaus, segundo na TV Acrítica e ontem na TV Amazonas. No primeiro debate o prefeito de Manaus, candidato a reeleição Artur Neto (PSDB), não compareceu e foi alvo de todos os outros candidatos. Já nos outros debates participaram 7 candidatos, Artur Neto (PSDB), José Ricardo (PT), Henrique Oliveira (SSD), Marcelo Ramos (PR), Hissa Abrahão(PDT) Serafim Correa(PSB), Silas Camara (PRB).

A metodologia no ultimo debate e o sorteio de perguntas para o candidatos, propiciou algumas “dobradinhas” entre alguns candidatos, mais a estrategia dos demais se manteve, ataques direcionados ao candidato do PSDB. O horário do debate também foi um fator negativo, pois teve inicio as 23hrs e finalizando as 01:45hrs dessa sexta-feira, prejudicando muito a audiência.

Se todas as pesquisas registrada no TRE-AM e publicadas nos veículos de comunicação, o candidato do PSDB ficará com uma das vagas, caso não ocorra surpresa.

A outra vaga sera decidida apos a abertura das urnas , visto que os candidatos José Ricardo (PT), junto com seu vice-prefeito, Yann Evanovick (PCdoB), é que mais tem crescido nesta reta final e vem contando com o apoio de uma militância dos partidos PCdoB e PT e com setores do movimento social.

Fonte: http://www.portaldomovimentopopular.com.br/politica/em-manaus-jose-ricardo-esta-entre-os-nomes-que-disputam-a-ida-para-o-2-turno/

Professor que pedia emprego em semáforo é contratado com ajuda das redes sociais.

Jair da Silva ganhou notoriedade no Facebook e no LinkedIn por distribuir cartões de visita no trânsito

Menos de um mês após ter distribuído centenas de cartões de visita no trânsito de São Paulo em busca de emprego, o analista de sistemas Jair da Silva, 61, conseguiu voltar ao mercado de trabalho.

Ele começará na segunda-feira (3) como gerente-geral em uma pequena empresa da área de saúde do bairro de Pinheiros, zona oeste da cidade.

Silva ficou seis meses desempregado. No dia 28 de agosto, decidiu pedir uma oportunidade a motoristas que trafegavam pelo Largo da Batata e pela avenida Faria Lima, na zona oeste, e, dias depois, em um cruzamento próximo à sua casa no Jardim São Paulo, bairro de classe média da zona norte.

Seus cartões de visita traziam, na frente, seu nome, telefone, e-mail e a frase "Solicito uma oportunidade profissional". No verso, as atividades que exerceu como professor universitário, gerente administrativo e de negócios.

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Chimpanzés infectados por laboratório de NY 'colonizam' ilhas africanas.

Os chimpanzés foram abandonados com poucas chances de se alimentarem sozinhos

Em 1974, o banco de sangue americano New York Blood Centre (NYBC) decidiu criar na Libéria, oeste africano, o Vilab II - um grande laboratório a céu aberto para experimentos com diversos tipos de vírus em chimpanzés silvestres. Os primatas foram infectados deliberadamente com doenças como a hepatite, para que vacinas fossem desenvolvidas.

Trinta e um anos mais tarde, quando anunciou o fim dos experimentos, o diretor do Viral II, Alfred Prince, assegurou que o NYBC iria cuidar do bem-estar dos primatas pelo resto de suas vidas.

Pelo fato de estarem infectados, os chimpanzés foram levados para seis ilhas fluviais. Lá, ao custo de US$ 20 mil mensais, os animais recebiam água e comida e cuidados para uma "aposentadoria feliz".

Porém, em março de 2015, o NYBC cancelou toda a ajuda, deixando 85 chimpanzés abandonados à própria sorte. Era impossível que escapassem, pois esses primatas não são bons nadadores.
Tecnicalidade

Tecnicamente, o governo da Libéria é o dono dos animais, mas os cuidados diários e experiências eram de responsabilidade do NYBC. Esse detalhe legal permitiu que o banco de sangue se distanciasse do problema.

Em um comunicado divulgado poucos meses após o fechamento do laboratório, o NYBC disse que "nunca teve obrigação alguma de cuidar dos animais". O comunicado dizia ainda que "já não era sustentável desviar milhões de dólares de nossa missão de salvar vidas".

sábado, 24 de setembro de 2016

O que é pago em alguns países e grátis em outros.

Fast food nos EUA

De água mineral a tobogãs, diferentes países podem surpreender viajantes ao oferecerem de graça alguns produtos ou serviços normalmente pagos em suas nações de origem.

Paquistão - Praticamente todas as quitandas do país oferecem porções gratuitas generosas de coentro e pimenta verde, ingredientes comuns em pratos típicos locais. Uma tradição que também vigora no norte da Índia.


Estados Unidos - O fast-food surgiu nos EUA, mas a forma generosa com que os condimentos acompanham as refeições ali não foi algo que outros países quiseram importar. O americano John Baldwin viu isso de perto quando visitou um McDonald's no Reino Unido e notou a ausência de ketchup ao pedir um sanduíche. "Quando pedi o ketchup, ela (a atendente) cobrou 50 centavos de libra por apenas um pacotinho.

CingapuraA cidade-Estado asiática oferece molho chili de graça em qualquer restaurante, de casas típicas às redes internacionais.

Austrália - Com um clima propício para atividades externas, o país oferece um monte de opções gratuitas: parques australianos contam com chapas elétricas para um bom churrasquinho grelhado.  Você traz a carne e qualquer coisa a mais que queira cozinhar e precisa apenas apertar um botão para esquentar a chapa. Tudo o que o visitante precisa fazer depois é deixar a grelha limpa.


Eslováquia - A água mineral costuma ser vendida em quase todos os países, mas não na Eslováquia, onde nascentes estão em qualquer lugar.

Noruega - O país escandinavo tem leis que dão liberdade de movimento em áreas naturais como rios, lagos e campos, o que inclui direito de coletar livremente frutos e cogumelos e o de acampar durante a noite, mesmo que em propriedades particulares.

Quanto tempo dura uma relação sexual normalmente?


Não é fácil estabelecer uma forma científica de medir a duração do ato sexual. O que marca o começo? Como cronometrar? O estudo que chegou mais próximo de fazer uma medição confiável determinou qual o "tempo de latência da ejaculação intravaginal", ou seja, o tempo que demora desde a penetração do pênis até a ejaculação.

O estudo, feito na Universidade de Utrecht, reuniu dados de 500 casais heterossexuais de cinco países (Holanda, Reino Unidos, Estados Unidos, Espanha e Turquia). As mulheres receberam um cronômetro que disparavam no momento da penetração e acionavam novamente quando havia ejaculação. O resultado foi bem variado: de relações de 33 segundos a outras de 44 minutos.

"Tirar a média não resultaria em um número muito fidedigno por causa da grande variação, o mais sensato foi valorizar a mediana. Ou seja, aquele índice em que o maior número de casais concentrou as respostas - que foi 5,4 minutos", explica Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade da USP (Universidade de São Paulo).

Ela lembra que a mediana foi decrescendo com a idade: homens de 18 a 30 anos tiveram, com mais frequência, penetrações de 6,5 minutos. Entre os mais velhos de 51 anos, a mediana foi de 4,3 minutos.

Ter ejaculação precoce já foi símbolo de virilidade

A importância da pesquisa, segundo Carmita, foi definir o tempo da ejaculação a ser considerado precoce para efeito de pesquisas. Esse tempo foi fixado em um minuto ou menos, depois da penetração. Ela explica que até os anos 1960, o ejaculador precoce era tido como mais viril, justamente por sua rapidez.

A liberação sexual feminina acarretou uma mudança de conceito: para conseguir sexo em sincronia com sua parceira, ser rápido deixou de ser interessante para ele. O homem passou a se adaptar ao tempo dela.

Carmita aponta que alguns fatores modificam a duração da penetração, mesmo em homens saudáveis. Isto ocorre quando há maior preocupação com o trabalho, com as finanças, estar vivendo um momento de insegurança no relacionamento ou até estar diante de uma parceira que considera mais experiente. Medicamentos podem alterar para mais essa duração, como é o caso de vários antidepressivos.

Pesquisa coordenada pela pesquisadora em 2008 mostrou que 25,8% dos homens brasileiros estão insatisfeitos com o tempo e o controle de sua ejaculação. Gostariam de mais tempo, antes de ejacular.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2016/04/27/quanto-tempo-dura-a-relacao-sexual-normalmente.htm?cmpid=tw-uolnot

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Empresário preso pela Federal na operação ‘Maus Caminhos’ tinha esquema na prefeitura de Artur.

Foto: Reprodução

O empresário Davi de Azevedo Fores, um dos presos pela Polícia Federal na operação “Maus Caminhos”, tinha contrato com a prefeitura de Artur Neto, e pior com dispensa de licitação. A empresa de Davi Azevedo, D De Azevedo Flores-ME, foi contratada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) por R$ 1,1 milhão para atuar no “enfrentamento do mosquito Aedes Aegypti, transmissor do Zika Virus”.

A dispensa de licitação foi assinada em 12 de fevereiro deste ano. No despacho de homologação da dispensa de licitação publicado no Diário Oficial do Município, especifica que a empresa foi contratada “pelo menor preço global, de empresa especializada na prestação de serviço continuado de telefonia para atuar na Central de Regulação do Programa Samu 192.

Como se vê, a Prefeitura de Artur também contratou empresa envolvida no escândalo de desvio de recursos da saúde.

Merendeira que concluiu mestrado em RR vira professora universitária.


A merendeira Luana Coutinho, de 39 anos, que em julho desde ano concluiu o curso de mestrado enquanto trabalhava na cantina de uma escola estadual de Roraima, agora volta para a instituição onde se graduou na posição de professora universitária. Nesta sexta-feira (23), ela ministrou a primeira aula.

No final de agosto, Luana participou de um seletivo para a contratação de professor universitário horista da Universidade Estadual de Roraima (UERR) e ficou classificada em segunda colocação. Ela possui licenciatura em química pela UERR e se especializou em ensino de ciências na mesma universidade.

Agora professora, Luana dará aula de química analítica I para o curso de química e estágio supervisionado IV para o curso de ciências da natureza, ambos no campus de Rorainópolis, município ao Sul de Roraima.

"É uma conquista muito grande. Meu primeiro emprego como professora já foi no nível superior. Estou muito feliz e me preparando bastante para as aulas", disse.

Luana passou por um processo seletivo que consistia em uma prova didática avaliada por uma banca de professores e prova de títulos. Ela concorreu com outros sete candidatos.

O contrato como professora horista terá duração de um ano, podendo ser prorrogado por mais um.

No novo cargo, ela ganhará R$ 46,40 por cada hora de aula ministrada. Como merendeira ela ganhava um salário mínimo.

"Estou muito feliz porque passei sete anos na UERR estudando na graduação e depois no mestrado e agora estou voltando como professora universitária", afirmou Luana.

Do trabalho como merendeira, Luana pediu uma licença de interesse particular. "Pedi licença para não causar nenhum prejuízo para o governo. Se precisar voltar quando terminar o contrato, vou retornar para a merenda porque é uma coisa segura já que sou concursada".

Mesmo com a conquista, Luana disse que buscará outros concursos e contratos para continuar trabalhando como professora. "Vou estar sempre me qualificando, buscando o melhor. Andar sempre para a frente. Não para trás".

DANTE DA REPERCUSSÃO NEGATIVA: Governo recua e mantém obrigatoriedade de artes e educação física.


O governo federal publicou nesta sexta-feira (23) o texto da medida provisória (MP) sobre a reforma do ensino médio. Com o novo texto, o Ministério da Educação (MEC) volta atrás e mantém a obrigatoriedade de artes, educação física, filosofia e sociologia até que seja concluída outra etapa da reforma. Além disso, o texto manteve em aberto questões sobre como será a aplicação prática das medidas.

A MP ainda terá de ser aprovada em até 120 dias pela Câmara e pelo Senado, caso contrário, perderá o efeito. Segundo o Ministério da Educação (MEC), o texto da medida provisória havia passado apenas por ajustes técnicos jurídicos, além de uma revisão de português. A pasta negou mudanças no conteúdo da proposta.

O MEC incluiu um ponto no texto que determina que o ensino de artes, educação física, filosofia e sociologia continuem em vigor até o segundo ano letivo posterior à aprovação da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Na versão final do texto, assim como na prévia apresentada na quinta, as disciplinas obrigatórias citadas explicitamente pelo texto são somente português, matemática e inglês. 

O MEC considera que os demais conteúdos essenciais de todas as 13 disciplinas do ensino médio "antigo" estarão contemplados dentro do conteúdo obrigatório que deve ser definido pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A BNCC deve ser concluída em "meados de 2017", segundo o ministério.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

“Não tem dinheiro para a saúde porque os recursos estavam sendo desviados para favorecer estas empresas”, afirma José Ricardo sobre a Operação da PF ‘Maus Caminhos’


O deputado estadual José Ricardo (PT) assinou hoje o pedido de instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o desvio de recursos públicos da saúde realizado por meio de entidades sociais sem fins lucrativos. A iniciativa de investigação é da deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB) e já conta com a assinatura de cinco parlamentares.

Nesta terça-feira, a Polícia Federal (PF), com o apoio da Controladoria Geral da União (CGU) e da Receita Federal, deflagrou a Operação “MAUS CAMINHOS”, que visa desarticular uma organização criminosa especializada no desvio de recursos públicos do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas. De acordo com a PF, uma das fraudes foi na aquisição do sistema de gestão hospitalar, em que o instituto investigado pagou a uma das empresas do grupo criminoso o valor de mais de R$ 1 milhão por um serviço que poderia ser adquirido pelo estado pelo valor real de cerca de R$ 318 mil(superfaturamento de quase 400%). O montante desviado ilegalmente chega a superar R$ 112 milhões.

“Por isso diziam que não havia dinheiro para os hospitais e a manutenção das unidades de saúde. Esta aí a razão pelo qual o Governo do Estado propôs o fechamento dos Caics, Caimis, Policlínicas, Maternidades. Não tem dinheiro para a saúde porque os recursos estavam sendo desviados para favorecer estas empresas, que prestavam o serviço cobrando valores bem superiores aos praticados no mercado, e, que segundo as investigações, há casos em que pagamentos foram efetuados em duplicidade, e outros repassados a serviços não prestados”, criticou José Ricardo que, em maio de 2016, ingressou com representações no Ministério Público do Estado (MPE) e no Ministério Público Federal (MPF)para denunciar a proposta de “reordenamento” no sistema de saúde proposto pelo governo estadual, que consistia no fechamento de diversas unidades, e a precariedade desta área.

Como presidente da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa da Assembleia Legislativa, José Ricardo realizou Audiência Pública no Parlamento, que discutiu esse reordenamento com várias entidades como Defen­soria Pública do Estado (DPE), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AM), Conselhos Estadual e Municipal de Saúde, Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Sindicato dos Cirurgiões Dentistas, Cáritas Arquidiocesana. Neste debate, não estiveram presentes nem os secretários Municipal e de Estado da Saúde (Semsa) e (Susam) e nem representantes destas pastas apesar de terem sido convidados.

Fonte: Assessoria de Comunicação

sábado, 17 de setembro de 2016

Governo Melo: Terceirizados do '28 de Agosto' e Samu paralisam atividades devido salários atrasados.

Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto (Foto: Divulgação/Agecom)

Funcionários terceirizados do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, em Manaus, afirmam que estão a mais de três meses sem receber salários. Segundo a denúncia feita, a falta de pagamento inclui auxiliares de serviços gerais, enfermeiros, recepcionistas e técnicos de enfermagem. Procurada, a empresa responsável não se manifestou sobre o caso. O serviço de mamografia do 28 de Agosto está paralisado. 

Conforme uma funcionária, sempre que procuram a empresa D Flores, são informados de que o estado e município não fizeram os repasses de verbas para o pagamento de salários.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

TV Itacoatiara/ Rede Amazônica boicota pleito eleitoral?


Itacoatiara - AM: Uma das três maiores cidades do Amazonas, vive uma situação inusitada. É o único lugar do Brasil em que os eleitores têm menos informação de uma eleição para outra. Isto porque, a TV Itacoatiara, da Rede Amazônica, uma concessão pública - diga-se de passagem, resolveu não transmitir os programas eleitorais obrigatórios e gratuitos. E o mais curioso: alegando incapacidade técnica.

A emissora esteve presente na audiência pública do dia 19/8/16, realizada pelo Juízo Eleitoral da 3a Zona de Itacoatiara, do TRE Amazonas. Foi a única a não assinar a ata da reunião realizada. Seria algo premeditado?

Em 2012 a mesma emissora participou de audiência similar e não só assinou como gerou a transmissão dos programas eleitorais. Seria o primeiro caso de emissora que regride ao longo do tempo. A alegação: incapacidade de gerar, pois a mesma seria apenas retransmissora. Com esse frágil argumento, a Rede Amazônica entrou com um Mandado de Segurança contra o Juiz Eleitoral, Dr. Jorge Hamilton Barroso, pedindo a suspensão dos programas eleitorais obrigatórios, mesmo depois de já haver transmitido três programas dos candidatos a prefeito e suas inserções.

Ora, o que dizer então dos 660 mil reais recebidos pela emissora, pagos pela prefeitura para sua propaganda institucional, nos últimos anos. São quase 200 mil por ano para apenas retransmitir? Não houve uma propaganda oficial gerada a partir da cidade? A que corresponde estes valores então?

E sabe o que mais? O Dr. Abraham Campos Filho, juiz do TRE, deu provimento ao pedido do Mandado de Segurança, decretando a incapacidade da emissora e a falta de informação ao eleitorado de Itacoatiara, suspendendo os programas

Resta saber porque a emissora regrediu tecnicamente, o que ela veiculou para fazer jus ao pagamento de mais de 660 mil nos últimos quatro anos e qual o verdadeiro interesse por trás deste desserviço.

Outro fato muito comentado na cidade é a não realização do tradicional debate entre os candidatos a Prefeito, feito esse transmitido pela Rádio Difusora/CBN. A razão para a não realização do debate: motivo de "Força Maior".

Ao procurarmos alguns moradores, eles alegam que: "todos sabem aqui que o atual prefeito, Mamoud Amed, nunca comparece aos debates. Ele falta todos!!! Todo mundo sabe..."

Para quem teve a propaganda institucional paga e transmitida ao longo de mais de três anos, sem qualquer contestação, certamente não sentirá a ausência do programa eleitoral obrigatório, mas seus adversários sim.

Na verdade, ao que tudo indica, parece que o atual gestor não gosta de debater nada mesmo, inclusive não tem muito traquejo diante da telinha.

Ele gosta mesmo é de resolver "as coisas" nos últimos dias, no "apagar das luzes".

Mas, ao que tudo indica, dessa vez será diferente. Tem muita gente de olho em suas ações. É esperar para ver os próximos capítulos…

Fonte: http://blogdopavulo.blogspot.com.br/2016/09/tv-itacoatiara-da-rede-amazonica.html?m=1

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Vendendo churros a R$ 1 por 7 anos, mulher conclui faculdade de direito.


Depois de sete anos vendendo churros a R$ 1, uma moradora de Brasília realizou nesta terça-feira (13) o sonho de se tornar bacharel em direito. Maria Odete Silva, de 46 anos, trabalha 12 horas por dia na Rodoviária do Plano Piloto para garantir o dinheiro, que também banca a escola dos dois filhos adolescentes e mantém a casa da família. Em meio a outros 80 formandos, ela foi homenageada por um professor e ganhou um anel de formatura de uma amiga.

A mulher, que chegou a passar por imprevistos ao longo do curso por dificuldades financeiras, já traçou novas metas. “Ainda tenho o sonho de conquistar a OAB e ir para promotoria. Assim que Deus me permitir, [vou] estudar mais três anos e chegar à tão sonhada promotoria”, diz.

Para ela, o sucesso só foi possível por ter acrescentado amor e carinho à receita tradicional do doce – que leva farinha de trigo, sal, margarina, açúcar e baunilha. O produto é vendido nos sabores goiaba, chocolate, doce de leite e misto.

O início não foi fácil. Maria Odete chegava a ir para a faculdade só para assinar chamada e então ir para a rodoviária para começar a vender os churros, para não deixar de ganhar dinheiro. Por vezes, funcionários da loja de calçados do irmão precisaram socorrê-la enquanto ela corria para fazer provas. Os estudos e exercícios eram feitos em um banco atrás do carrinho. Os livros eram todos da biblioteca. A mulher passou a contar com a ajuda do marido na venda dos 10 kg de churros fabricados por dia.

“Tive medo de não conseguir. Entre o sétimo e o oitavo semestre, eu quase desisti. Eu achava que não dava conta, porque as matérias estavam cada vez mais difíceis e eu pensava ‘eu não vou dar conta, não vou dar conta’. Teve um semestre que fiquei todinho sem pagar, que tive dificuldade financeira”, lembra. “Minha professora me viu falando isso, entrou e disse: ‘se você chegou até aqui, você consegue muito mais’. Ela dizia que seria uma honra entregar minha carteirinha da OAB e que ainda iríamos advogar juntas. Isso me incentivou ainda mais.”

Maria Odete conta que sempre teve o apoio dos colegas, que emprestavam anotações e a lembravam das datas de prova e trabalhos. O filho caçula, que sonha em seguir a mesma carreira, e a filha mais velha, que pretende fazer medicina, também estimulavam a mulher nos momentos de dificuldade. Ela diz que a única pessoa que a questionou sobre a necessidade do estudo foi o marido, durante uma discussão.

“Ele falou em um momento estressado, disse que não sabia o porquê desse curso que faço, não sabia o porquê, desculpa pela expressão, essa ‘merda’ de faculdade. Mas nunca fui por ele, sempre quis crer que eu era capaz. Não sei se ele achava que eu não tinha capacidade ou que era fogo de palha. Mas eu sei para quê eu faço. Eu sei, quero provar não só para ele mas para mim mesma que sou capaz”, disse a vendedora de churros.

A mulher afirma que outra razão para insistir no curso foi a crença de que estudar liberta. “Você aprende muito, você cresce muito, você aprende a ver as coisas de outro jeito, abre sua mente. Sempre pensei isso, mas não tinha oportunidade. Pelo cansaço, sabe. Aí um dia pus na minha mente e pensei: ‘não, vou estudar agora’. Se eu não arranjasse esse agora logo, ele nunca viria. Fiz o EJA e pensei que era a minha hora de vencer.”

Na plateia durante a formatura, a família estava orgulhosa. “Ela merece, é uma guerreira e estamos aí junto com ela”, disse o gerente comercial Marcos Dias. “Muito importante para ela. Ela conseguiu tantas coisas. Conquistou e foi muita luta, então foi bem legal isso aí para ela”, afirma a filha, Mayara Cristina da Silva. “É muito legal ver isso tudo que ela passou, que vem passando, e [ela] estar aí agora”, completou o filho, Marcos Dias Júnior.

Entre os sonhos de Maria Odete junto à carreira de direito estão conseguir levar os filhos à Disney, viajar pelo Brasil e trocar o carro da família. “Eu também queria ter uma casa. Eu pensava, quando trabalhava nas casas de família, via aquelas salas bonitas, pensava ‘um dia vou ter uma sala dessas, uma casa desse jeito’. A casa do meus sonhos é com uma sala bonita, confortável, que eu me sinta bem. Nunca tive privacidade. Meus filhos também querem ter o canto deles. Eu queria uma casa com um quarto para cada, em Vicente Pires mesmo. E uma casa com piscina, já imaginou? Aí é sonho demais, é bom nem pensar, porque o tombo é alto.”.

Trajetória difícil
A vendedora de churros Maria Odete Silva, que pagou a faculdade de direito e escola dos filhos comercializando doces a R$ 1 em Brasília (Foto: Raquel Morais/G1)

Maria Odete passou os quatro primeiros anos de vida com a avó em Araçuaí, no interior de Minas Gerais. A mãe era doméstica em São Paulo e mandava dinheiro todo mês para os gastos com ela e os dois irmãos. Depois, as crianças foram morar com a mulher, na casa de uma tia.

Quando Maria Odete tinha 7 anos, a mãe decidiu voltar para MG com os dois meninos. A despedida foi também a última vez que ela viu a mulher, que morreu quatro anos depois ao cair e ser atropelada por um caminhão de boias-frias. Aos 12, ela abandonou a escola e passou a trabalhar como doméstica.

“A vida foi boa não, mas o mundo nos criou. Agradeço a Deus que, tínhamos tudo para ir para o lado errado, mas Deus nos orientou e nos criou certinho”, diz.

Aos 17 anos, Maria Odete decidiu fazer o supletivo até a 8ª série. Dois anos depois ela se casou e se mudou para o interior, onde passou a trabalhar na colheita de algodão e amendoim. O relacionamento acabou três anos e meio depois, por causa de ciúmes, e a mulher voltou para São Paulo para voltar a ser empregada.

Anos depois ela conheceu o atual marido e teve os filhos – Mayara, com atualmente 17 anos, e Júnior, com 15. Uma enchente destruiu tudo o que eles tinham em casa, e a então patroa os ajudou emprestando um apartamento e dinheiro para a reforma.

“Ela pagava as contas, não precisei me preocupar com nada. Ela foi uma mãezona, a mãe que eu não tive. Ela pegou minha roupa toda cheia de lama, lavou tudo para mim, me ajudou a lavar a enchente. Eu trabalhava para pagar. Ela ia descontando o valor”, lembra.

Já de volta à casa da família, Maria Odete se viu incomodada. “Um dia eu acordei de manhã, meu filho queria pão. Eu não tinha dinheiro para comprar pão. Minha tia [com quem morou na infância] me deu R$ 10. Eu pensei bem e decidi comprar bala, pirulito e chiclete. Peguei um caixote, de uma tampa de guarda-roupa que eu perdi na enchente, forrei e comecei a vender meus docinhos. Fazia isso à tarde, na porta de casa, depois de chegar do trabalho.”

A mulher viu que a ideia funcionava e passou também a vender espetinhos. O dinheiro continuava no limite da necessidade. A vendedora de churros conta que um dia conseguiu juntar uma quantia para comprar pastel, mas acabou desistindo ao ser abordada por uma criança com fome.

“Ele era mais carinho e bem gostoso. Eu estava toda animada, peguei o dinheirinho pensando ‘hoje vou levar meu pastelzinho, uma delícia’. Mas aí um menino me abordou porque queria comida, uma bolacha recheada. Aí dei o dinheiro para ele. Fui com ele comprar uma bolacha para ele no mercado. Fiquei sem meu dinheiro, mas achei melhor dar para ele do que para mim. Pensei: ‘depois eu como’. Mas não comi até hoje”, ri.

Maria Odete diz não se lembrar de passar fome, mas afirma que a tia costuma contar algo diferente. “Ela fala que, quando eu era pequenininha, não tinha comida para me dar. Aí ela fazia uma chupetas com açúcar ou rapadura e farinha e punha na minha boca, para eu parar de chorar.”

A vendedora de churros, que já precisou esperar dois meses para juntar dinheiro suficiente para comprar um livro de menos de R$ 100 para a faculdade, afirma ter orgulho da própria trajetória.

“Acho que a gente trabalhando a gente vence. E é o que quero deixar para os meus filhos, que você só vence com luta. Sempre falo para eles que a mãe não pode deixar nada para eles, só o conhecimento, o estudo. Isso ninguém pode roubar deles. Não quero que eles passem o que eu passei. Estudo é a única herança que consigo deixar para eles, nem se alguém puser uma arma na cabeça deles consegue roubar isso”, conclui.

Vinda para Brasília e escolha do curso
Maria Odete morava com o marido e os filhos em São Paulo, mas decidiu se mudar para a capital federal em busca de tratamento médico para o caçula, que tinha problemas para respirar e precisava viver em um lugar com menos poluição. A mulher viu na mudança uma oportunidade de romper com a rotina de empregada doméstica e deixar para trás todas as limitações da vida “sem nada além de arroz e feijão” que a família levava.

Ela passou então a viver com a família na casa do irmão mais novo, em Vicente Pires – a 20 quilômetros do local onde trabalha. O único quarto, que a obriga a dividir a cama com a filha mais velha enquanto o marido e o filho dormem no chão, virou sinônimo de conquista e estímulo. Maria Odete passou a vender calçados na loja do irmão na rodoviária. Uma colega deu então a ideia de aprender a fazer os doces, que ela abraçou sem ressalvas.

“Ela [a colega] me levou, me ensinou a fazer a massa. Foi assim”, lembra sorrindo. “Desde então eu acordo às 5h40 para preparar as coisas e trabalho de domingo a domingo, de 8h às 20h. Sou cheia de calos e queimaduras, aqui não tem espaço para mão lisinha. E sou muito feliz. Aos poucos, dentro do que alcanço com meus passos, tenho conseguido alcançar tudo.”
No contato com os clientes, Maria Odete imaginou como seria se tivesse curso superior.

Depois de conciliar o trabalho com as aulas do Ensino para Jovens e Adultos (EJA), ela entrou para uma faculdade particular de direito na Asa Sul aos 41 anos. As atividades aconteciam pela manhã. A mulher já apresentou o TCC, sobre as dificuldades do governo em lidar com invasões de áreas de proteção permanente, e atualmente refaz quatro matérias.

“Eu escolhi esse curso pela minha idade, já estava em uma idade avançada, e o campo de direito é amplo. Para trabalho, quero passar em concurso público. Penso em ser promotora de Justiça. Quero fiscalizar leis. Quero ser uma fiscal das leis. Quero ajudar um pouco as outras pessoas”, explica.

Fonte: http://www.livrosepessoas.com/2016/09/14/vendendo-churros-a-r-1-por-7-anos-mulher-conclui-faculdade-de-direito/

Lula: Perseguição a mim é pelas coisas boas que fizemos.

Foto: Paulo Pinto/Agência PT

Na avaliação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foram os sucessos das gestões do PT que motivaram o ódio ao partido. A declaração foi dada durante pronunciamento na tarde desta quinta-feira (15), um dia após a denúncia do Ministério Público Federal (MPF).

Em um discurso emocionado, que durou mais de uma hora, o ex-presidente destacou que a lógica de parte do Poder Judiciário “não é mais os autos do processo” e sim das manchetes dos meios de comunicação, interessados em ter alguém para “criminalizar e demonizar”.

“Conquistei o direito de andar de cabeça erguida nesse País. Tenho convicção que quem mentiu está num enrascada. Provem uma corrupção minha, que eu irei a pé para ser preso”, afirmou.

Lula começou sua fala dizendo que não faria um pronunciamento como ex-presidente, como alguém perseguido ou que reivindica algum favor, mas como um “cidadão indignado”.

Lula afirmou que respeita as instituições do estado brasileiro e lembrou que foi em seu governo e no da presidenta Dilma Rousseff que o Ministério Público e a Polícia Federal foram fortalecidos.

“Quero o Ministério Público e a Polícia Federal cada vez mais fortes, mas cada vez mais responsáveis. Ninguém acredita na instituições fortes mais do que eu, porque somente com instituições fortes a gente garante a democracia”, afirmou.

E pediu que os membros do Ministério Público tenham atenção, para que “meia dúzia de pessoas não estraguem uma instituição tão importante”.

Convicção

Lula chamou a denúncia apresentada pelo MPF de “espetáculo de pirotecnia” para justificar a mentira que foi construída, “como se fosse um enredo de uma novela” e que agora precisam concluir a história, escolhendo os bandidos e os mocinhos.

“Ontem eu não quis ficar zangado, mas não compreendia aquilo. Como você convoca uma coletiva, gasta dinheiro público, para dizer que não tem prova, mas tem convicção?”, indagou.

O ex-presente comparou com o caso dos mais de 400kg de cocaína encontrados em um helicóptero que pertencia à família do senador Zezé Perrella (PTB-MG).

“Tenho a convicção que é possível mudar esse País e tenho prova, porque mudei o País. Promovi a maior inclusão social que este País já viu sem dar um tiro, usando os instrumentos da democracia”, destacou.

E garantiu: “Não tenho a vocação do Getúlio para me dar um tiro, nem a do Jango para sair do Brasil. Se quiserem me tirar, vai ter que ser na urna”.

Desvio de conduta

Ainda nesta quinta-feira (15), os advogados de Lula informaram que dariam entrada no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em acusação de desvio de conduta de membros do MPF no caso da coletiva de ontem.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Estudo de militares brasileiros mostra ação dos EUA com interesse no pré-sal.


Inteligência militar, ao contrário do que pensa o raciocínio medíocre, não é espionagem e vigilância ideológica.

É estudo e formação de conhecimento geopolítico, estratégico, e suas repercussões no planejamento de defesa nacional, criando mecanismos de dissuasão a ambições econômicas que, afinal, são as forças que movem os processos de dominação, do qual os processos armados são meros vetores.

Uma das provas de que ela existe é o trabalho dos capitães de fragata Luciano Ponce Carvalho Judice e Charles Pacheco Piñon, “A defesa do ouro negro da Amazônia Azul“.

Amazônia Azul, na linguagem militar, é a área marítima dentro da qual se situa a província petrolífera do pré-sal e o livro trata de estudar suas necessidades de defesa e, por isso, as ameaças que nossa soberania pode sofrer ali.

Destaco, comentando, um trecho do livro, onde os autores analisam o aumento do interesse estratégico dos EUA pelo Atlântico Sul”, evidenciado pela reativação da Quarta Frota , em junho de 2008 – criada durante a II Guerra, foi desativada nos anos 50.

Cabe neste ponto ressaltar o baixo custo de extração da área do Polígono do Pré-sal, que atualmente encontra-se em um patamar inferior a US$10,00 o barril, em relação a outras áreas petrolíferas do mundo, custo esse inclusive inferior aos campos petrolíferos existente no Pós-sal da Bacia de Campos, por serem mais antigos. Em termos de comparações internacionais, de acordo com dados de 2013, compilados pelo periódico Petroleum Intelligence Weekly, os campos petrolíferos do tight oil nos EUA, por exemplo, teriam custos de extração variando entre US$ 56,00 e US$93,00; o offshoredo Golfo do México estadunidense teria custos entre US$ 41,00 e US$70,00; e o Mar do Norte teria custos entre US$ 27,00 e US$83,00. Tais dados explicam a queda prevista pela AIE [Agência Internacional de Energia] na citação anterior, considerando a manutenção do preço de mercado do barril de petróleo na faixa atual de US$ 30,00, e evidenciam como é alvissareiro o baixo custo extrativo do Pré-sal, após os investimentos tecnológicos já realizados. Enfim, a ativação de uma Esquadra a partir de um Comando de Força Naval (…) é coerente com o conceito de proatividade estratégica marítima discutido no capítulo teórico inicial deste trabalho. Dentro da visão de atuação global estadunidense, haveria a preocupação de manter uma estrutura permanente que realize planejamentos com vistas a conformar o futuro a seu favor. Nota-se assim, pela ativação da Quarta Esquadra em 2008, uma antevisão de que o Atlântico Sul passaria a ter uma elevada importância estratégica, consoante a possibilidade de diversificação de oferta de combustíveis fósseis, numa área distante do conflagrado Oriente Médio, que agora está ameaçada pelo Estado Islâmico, sem depender do trânsito marítimo por perigosos gargalos, como o estreito de Ormuz. Não por acaso o Polígono do Pré-sal foi incluído no denominado “Triângulo Dourado”.

É digno de nota que agentes da Polícia Federal do Brasil compõem o Estado-Maior dessa força, cooperação institucional que ainda não encontra paralelo em nosso próprio Estado, em termos de operação integrada.

Quem acha que a atenção dada pelos norte-americanos à integração com nossa Polícia Federal e instituições judiciais e parajudiciais é preocupação com drogas, apenas, continue achando, de bobo que é. Os estudos da ONU mostram que o Brasil é irrelevante como fonte das drogas traficadas para os EUA. O “barato” deles aqui é outro.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Temer anuncia pacote de privatizações.


O governo anunciou nesta terça-feira (13) um pacote de privatizações e concessões que inclui 25 projetos, todos com previsão para 2017 e 2018. A maioria dos projetos já constava em programas anteriores anunciados por Dilma Rousseff, mas não haviam sido licitados ainda.

O objetivo é fazer "uma abertura extraordinária" da infraestrutura brasileira à iniciativa privada, disse o presidente Michel Temer, ao apresentar o programa "Crescer". A declaração foi feita durante a primeira reunião do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), no Palácio do Planalto.

"Vamos cada vez mais ressaltar que o poder público não pode fazer tudo", disse. "Tem de ter a presença da iniciativa privada como agente indutor do desenvolvimento e produtor de empregos no país."

Silêncio sobre capitão do Exército infiltrado ratifica discurso do golpe.

infiltrado

Havia quem dissesse que, sem a presença de militares nas ruas, como no clichê das quarteladas da América Latina, a expressão “golpe” perdia conexão com a realidade. Fatos mostram que não é bem assim.

A presença do capitão do Exército William Pina Botelho, infiltrado entre um grupo de manifestantes presos em São Paulo durante protesto de 4 de setembro, não pode ser tratada como um episódio banal da conjuntura. Envolve um fato grave, que deve ser apurado e esclarecido, pois diz respeito às liberdades e direitos fundamentais de todo cidadão brasileiro.

A pergunta a ser esclarecida é básica: o capitão agia por conta própria ou obedecia a superiores? Neste caso, quem eram? O que pretendiam?

Numa situação política inteiramente diferente, a incapacidade de responder com clareza a estas questões, após o atentado a bomba no Riocentro em 30 de abril de 1981, antecipou a ruína do governo João Figueiredo, o último presidente-general do período militar. O silêncio dos superiores e a impunidade dos envolvidos colocou em risco o processo de democratização.

A repetição da mesma atitude, 38 anos depois, tem implicações equivalentes, ainda que a conjuntura seja outra, não custa repetir, ainda que a delicadeza do momento não possa ser ignorada. Mais uma vez, o silêncio e o segredo implicam em proteger ações que podem — escrevi podem — representar uma ameaça a democracia.

Uma nova teoria diz que a lua surgiu de um forte impacto de um corpo na Terra.

Image converted using ifftoany

A lua é uma companheira ambígua no espaço, pois ao mesmo tempo que ilumina nossas noites, ela estraga nossa visão das estrelas. Mas agora, novas medidas feitas de rochas captadas durante o programa Apollo sugerem que a relação entre a lua e a Terra é muito mais selvagem do que imaginávamos.

Um novo estudo publicado na Nature diz que a lua foi formada como resultado de um colisão espacial violenta muito antes do que acreditávamos que isso tinha ocorrido. Desde a década de 70, muitos pesquisadores endossavam uma teoria na qual a lua foi criada de destroços resultantes de um colisão de baixo impacto de um corpo do tamanho de Marte que “raspou” na Terra. Em vez disso, os pesquisadores disseram que novas evidências mostram que o impacto foi mais “como uma marreta atingindo uma melancia.”

A antiga teoria sobre a origem da lua — que dizia que ela foi formada de restos de uma leve colisão — simplesmente explica o tamanho da lua e sua posição de órbita. No entanto, um teste em algumas das pedras lunares da missão Apollo revelaram algo estranho que esta teoria não dá conta de explicar.

“Nós ainda estamos medindo novamente as amostras coletadas pelo programa Apollo na década de 70, pois a tecnologia se desenvolveu bastante nos últimos anos. Nós podemos avaliar diferenças muito pequenas entre a Terra e a lua, então nós encontramos uma série de coisas que não vimos na década de 70”, disse Kun Wang, que é professor assistente da Washington University e um dos autores do estudo, ao Gizmodo. “Os modelos antigos simplesmente não conseguem explicar as novas observações.”

Se a teoria de quatro décadas atrás estivesse correta, então os pesquisadores constatariam que mais da metade do material lunar encontrado veio do corpo do tamanho de Marte que raspou pela Terra para formar a lua. Os pesquisadores, no entanto, não acharam esse tipo de material. Em vez disso, análises químicas nas amostras mostraram compostos isotópicos que eram praticamente idênticos.

Saiba quais deputados tentaram salvar Cunha da cassação.

Paulinho da Força, que votou pelo impeachment de Dilma, defendeu Cunha (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Golpistas apoiaram o ex-presidente da Câmara até o último momento. Entre os que votaram não pela cassação estavam Paulinho da Força e Marco Feliciano.

O agora ex-deputado Eduardo Cunha teve seu mandato cassado na noite desta segunda-feira (12) em uma votação folgada que o tornou inelegível até 2027.

Dos 513 deputados, 470 estiveram presentes e 450 votaram pela cassação. Para afastar Cunha, eram necessários 257 votos.

 Foto: Luis Macedo/ Câmara dos Deputados

Na defesa de Cunha havia muitos colegas de partido, o PMDB, que utilizaram diferentes estratégias. Alguns votaram abertamente a favor do político, enquanto outros se abstiveram ou simplesmente faltaram à sessão – todas essas táticas beneficiaram Cunha.

Entre os 10 votos a favor de Cunha, há nome conhecidos da política nacional, como Paulinho da Força (Solidariedade) e Marco Feliciano (PSC). Os outros defensores do golpista foram Carlos Andrade (PHS), Jozi Araújo (PTN), Júlia Marinho (PSC), Wellington Roberto (PR), Arthur Lira (PP), João Bacelar (PR), Dâmina Pereira (PSL) e Carlos Marun (PMDB).


Foram nove os votos de abstenção, que também colaboraram com Cunha. Optaram pela abstenção Alberto Filho (PMDB), André Moura (PSC), Delegado Edson Moreira (PR), Mauro Lopes (PMDB), Saraiva Felipe (PMDB), Laerte Bessa (PR), Rôney Nemer (PP), Alfredo Kaefer (PSL) e Nelson Meurer (PP).

O número de faltas foi ainda maior, com 42 deputados ausentes. Entre os que não compareceram, apenas três estavam de licença médica. Entre os que faltaram estava Jovair Arantes (PTB-GO), golpista relator do impechment da presidenta Dilma Rousseff na Câmara.


Confira a lista completa dos faltosos a seguir:

1. EDIO LOPES (PR-RR)
2. HIRAN GONÇALVES (PP-RR)
3. MARCOS REATEGUI (PSD-AP)
4. ROBERTO GÓES (PDT-AP)
5. VINICIUS GURGEL (PR-AP)
6. JOSÉ PRIANTE (PMDB-PA)
7. JOSUÉ BENGTSON (PTB-PA)
8. LINDOMAR GARÇON (PRB-RO
9. JÉSSICA SALES (PMDB-AC)
10. JUNIOR MARRECA (PEN-MA) – DE LICENÇA MÉDICA
11. GORETE PEREIRA (PR-CE)
12. IRACEMA PORTELLA (PP-PI)
13. HUGO MOTTA (PMDB-PB)
14. ADELSON BARRETO (PR-SE)
15. FABIO REIS (PMDB-SE)
16. PASTOR LUCIANO BRAGA (PMB-BA)
17. CACÁ LEÃO (PP-BA)
18. AELTON FREITAS (PR-MG)
19. LEONARDO QUINTÃO (PMDB-MG)
20. LUIZ FARIA (PP-MG)
21. MARCELO ARO (PHS-MG)
22. RAQUEL MUNIZ (PSD-MG)
23. CRISTIANE BRASIL (PTB-RJ)
24. FELIPE BORNIER (PROS-RJ)
25. FERNANDO JORDÃO (PMDB-RJ)
26. LUIZ CARLOS RAMOS (PTN-RJ)
27. MARCELO MATOS (PHS-RJ) – DE LICENÇA MÉDICA
28. MARCOS SOARES (DEM-RJ)
29. SORAYA SANTOS (PMDB-RJ)
30. WASHINGTON REIS (PMDB-RJ)
31. DR. SINVAL MALHEIROS (PTN-SP)
32. GILBERTO NASCIMENTO (PSC-SP)
33. GUILHERME MUSSI (PP-SP)
34. NELSON MARQUEZELLI (PTB-SP)
35. ALEXANDRE BALDY (PTN-GO)
36. JOVAIR ARANTES (PTB- GO)
37. PEDRO CHAVES (PMDB-GO)
38. FERNANDO FRANCISCHINI (SD-PR)
39. TAKAYAMA (PSC-PR)
40. TONINHO WANDSCHEER (PROS-PR) – DE LICENÇA MÉDICA
41. ROGÉRIO PENINHA MENDONÇA (PMDB-SC)
42. SÉRGIO MORAES (PTB-RS)

Cetam de Itacoatiara realiza Ciclo de Palestras sobre “Administração Pública em Foco”


O Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (CETAM) promoverá dia 22 de setembro de 2016, das 18:00 às 22:00 horas, Ciclo de Palestras sobre “Administração Pública em Foco”, na Escola de Educação Profissional Moysés Benarrós Israel, situada à Avenida Mario Andreazza, 2234, Itacoatiara (Amazonas). Os temas a serem abordados são: Fundamentos da Administração Pública, Fundamentos do Direito Tributário e Orçamento Público.

O evento tem por objetivo apresentar a comunidade estudantil e toda a sociedade Itacoatiarense a temática “Administração Pública em Foco”, como resultado do trabalho de conclusão do Curso Técnico em Serviços Públicos do Cetam-Itacoatiara na Modalidade de Educação a Distância.

O Ciclo de Palestra tem como Público Alvo estudantes, professores, servidores públicos, associações de bairro e a sociedade em geral do município de Itacoatiara.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

JOGOS PARALÍMPICOS OU JOGOS PARAOLÍMPICOS? - Por Vânia Duarte*

Resultado de imagem para simbolo paralímpico 2016 significado
Em novembro de 2009, época em que foi divulgado os “Jogos Paralímpicos de 2016”, constatamos o fato de que a vogal “o” foi suprimida da palavra “Paraolímpicos”. Daí, usuários desse precioso idioma que somos, sentimo-nos questionados: mais uma vez a língua estaria sendo maltratada?Prosseguindo com o impasse, as discussões parecem ganhar ainda mais vivacidade, restando saber as reais intenções de tal fato.

A resposta parece emergir quase que de forma imediata, uma vez que para o CPB (Comitê Paraolímpico Brasileiro), fundado desde 1995, a nova mudança operou-se no intuito de o Brasil se igualar mundialmente aos demais países. Assim, diante de tais intenções, estaria o Comitê seguindo adiante e deixando para trás o esquecido “o” de épocas e épocas de permanência, vindo a se transformar em Comitê Palímpico Brasileiro? Ao contextualizarmos essa questão, tudo parece estar perfeitamente nítido, haja vista que não há nada que contradiga: o fato é que tudo isso nada mais é do que o reflexo da globalização sobre a nossa língua, de cujas origens não podemos discordar. Nesse sentido, é bom que se diga que a palavra “paraolímpico” resultou da junção do prefixo de origem grega para (de paraplegia) com o adjetivo olímpico, semelhantemente a tantas outras palavras que compartilham nosso cotidiano linguístico.

Se até as raízes etimológicas foram esquecidas ao soar da nova grafia, outros tantos aspectos acerca da formação da palavra em estudo, porventura não ficarão no esquecimento. Para tanto, à luz de algumas semelhanças entre palavras por nós conhecidas, como é o caso de hidrelétrica e gastrenterologia, percebe-se como algo normal a supressão da vogal final do primeiro elemento. Palavras essas derivadas de gastroenterologia e hidroelétrica. Mas daí, suprimir a vogal inicial do segundo elemento é, no mínimo, inaceitável.

O que se percebe é que, vivenciando fatos norteados por um estilo amplamente sincrônico da língua, precisamos nos conscientizar de que somente o tempo dirá: se eles permanecerão, até se tornarem formalizados, ou se se conceberão como objeto de refutação, pelo menos por boa parte dos gramáticos. Ao menos, por enquanto, prevalece a segunda das alternativas, mesmo porque até para os atletas paraolímpicos trata-se da Paraolimpíadas, Jogos Paraolímpicos, enfim, justamente porque são realizados de forma paralela ao Jogos Olímpicos.

*Graduada em Letras

domingo, 11 de setembro de 2016

Deputada que militava “contra a corrupção” é afastada por desvio de R$ 31 milhões

celina leão corrupção impeachment desvio milhões

Assídua defensora de Sergio Moro e Michel Temer, Celina Leão era presença frequente em marchas “contra a corrupção” e a favor do impeachment de Dilma Rousseff. A deputada acaba de ser afastada acusada de integrar esquema que desviou R$ 31 milhões dos cofres públicos.

Policiais civis e promotores de Justiça deflagraram no fim do mês de agosto a Operação Dracon, que cumpriu mandados de busca e apreensão no gabinete da Presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal e dos membros da Mesa Diretora. A ação incluiu a casa da presidente Celina Leão (PPS).

A operação apura a prática de crimes de corrupção ativa, passiva ou concussão, em um esquema de pagamento de propina a parlamentares, que destinou R$ 31 milhões de sobras orçamentárias da Câmara às empresas que prestam serviços à Secretaria de Saúde do DF. Celina Leão e os demais envolvidos foram afastados do exercício de suas funções enquanto durarem as investigações.

A deputada é conhecida por fazer oposição ao governo do PT, e já foi vista em manifestações que se dizem “contra a corrupção”. “Tendo como principal alvo o ex-presidente Lula", 

Defensora do impeachment de Dilma, Celina foi recebida por Temer em diferentes situações, para discutir a ampliação do poder das assembleias estaduais na criação de leis. “Ele apoiou e disse que é favorável a essa causa. Disse que vamos fazer uma grande marcha com os presidentes de assembleias do Brasil e com os deputados estaduais até o Congresso Nacional, em um segundo momento, para discutir a questão do nosso constitucionalismo”, disse à imprensa em uma das reuniões.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

EUA e Rússia anunciam acordo para cessar-fogo na Síria.

O secretário de Estado americano, John Kerry, e o ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, anunciam acordo sobre a Síria em Genebra, na Suíça, na sexta (9) (Foto: Fabrice Cofrini/AFP)

EUA e Rússia chegaram a um acordo sobre a guerra na Síria. O secretário de Estado americano, John Kerry, e o ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, fizeram o anúncio em uma entrevista coletiva nesta sexta (9), após mais uma rodada de reuniões em Genebra, na Suíça.

Segundo Kerry, os dois países convocam rebeldes e aliados do governo síria que lutam no país a cessar fogo a partir do pôr-do-sol do dia 12 de setembro.

Sete dias após o início do cessar-fogo, Rússia e EUA irão estabelecer um grupo que coordenará uma ação conjunta para combater o Estado Islâmico e a Frente Al-Nusra.

A ação inclui acessar todas as áreas cercadas, incluindo Aleppo. Ex-capital econômica do país, Aleppo é um dos bastiões da rebelião para derrubar o presidente Bashar al-Assad, cujas forças têm o apoio terrestre de milícias xiitas de países vizinhos e o apoio aéreo da Rússia. Ainda de acordo com o secretário, grupos serão autorizados a levar ajuda humanitária à cidade.

SEGUNDA FASE DA OBMEP 2016 ACONTECE AMANHÃ

Resultado de imagem para obmep

A segunda fase da OBMEP 2016 (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) acontecerá amanhã, dia 10 de setembro, sábado, às 14h30 (horário de Brasília). Com 913.546 estudantes classificados, a prova terá seis questões dissertativas, e os candidatos deverão expor o raciocínio matemático usado para resolver os problemas. Os exames serão aplicados em mais de 9 mil centros, em quase todos os municípios brasileiros.

Criada em 2005 e realizada pelo IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), a OBMEP é a maior Olimpíada estudantil do país e tem como metas estimular o estudo da Matemática e revelar talentos. Este ano, teve 17,8 milhões de inscritos. Dos aprovados para a segunda fase, 297.391 são do Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental), 261.734 do Nível 2 (8º e 9º anos) e 354.421 do Nível 3 (Ensino Médio). Os estudantes classificados poderão imprimir seus cartões de confirmação e verificar os locais de prova no site www.obmep.org.br

Os 6.500 alunos com melhor desempenho no Brasil receberão medalhas de ouro (500), prata (1.500) e bronze (4.500). Serão também distribuídas até 46.200 menções honrosas a estudantes destacados. Os vencedores serão anunciados em 30 de novembro.

Além dos estudantes, professores e secretarias de Educação concorrem a prêmios, de acordo com o desempenho de seus alunos.

Relação dos alunos classificados para a 2ª fase da 12ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Pública (OBMEP 2016) da Escola Estadual Maria Ivone de Araújo Leite, de Itacoatiara - Amazonas.

A Aplicação da 2ª fase será na ESCOLA ESTADUAL DEPUTADO VITAL DE MENDONÇA, sito à Avenida Álvaro França,1740, bairro da Colônia, Itacoatiara - Amazonas.

Data da Prova: 10 de Setembro, sábado, às 14:30 h. (Horário de Brasília).

É recomendável que o aluno se apresente no CENTRO DE APLICAÇÃO com, pelo menos, trinta minutos de antecedência. 

CLASSIFICADOS(A) ALUNO(A) - NÍVEL 1 (6º e 7º ano):

1 ANA CRISTIANE RODRIGUES NEVES Sala-01
2 ANTONIO VICTOR ANDRADE DE JESUS Sala-01
3 ARMANDO RAMOS DE SOUSA NETO Sala-01 
4 CRISTIANO FERREIRA BARBOSA Sala-01 
5 EDUARDO RENAN FONSECA MENDES Sala-01
6 ELIANE DE VASCONCELOS JORDÃO Sala-01
7 GABRIEL PERDIGÃO DA SILVA Sala-01
8 GENESON BARAUNA GUIMARÃES Sala-01
9 GRAZIELLY PRESTES DO E SANTO Sala-01
10 GUSTAVO DOS SANTOS CORREA DE AZEVEDO Sala-01
11 IGOR ANTONIO DA SILVA VASCONCELLOS Sala-01
12 IZAILSON OLIVEIRA PIMENTEL Sala-01
13 LUCAS LIRA ARAUJO Sala-01
14 MAYLANNE RODRIGUES HAJAMIM Sala-01
15 RAFAELE CUNHA LEANDRO Sala-01
16 RAISSA SOUZA DE CASTRO Sala-01
17 RENAN OTAVIO DA FONSECA ARAUJO Sala-01
18 RODRIGO OLIVEIRA BARBOSA Sala-01
19 RONESON DA SILVA GAMA Sala-01

CLASSIFICADOS(A) ALUNO(A) - NÍVEL 2 (8º e 9º ANOS)

1 AMANDA LAVAREDA DA SILVA Sala-05
2 ANA BEATRIZ IZAEL FIGUEIREDO Sala-05
3 ANDRESSA BEATRIZ DE Q SANTOS Sala-05
4 ANDRIA MARIA DE SOUZA RAMIRES Sala-05
5 ANITA SAMYLLA N AFILHADO Sala-05
6 ELIAS NUNES NOBRE Sala-05
7 EMILY VICTORIA MAGALHAES BARROS Sala-05
8 EMYNNA CAVALCANTE GUIMARAES Sala-05
9 ISABELLY ALVES ALVARES DOS SANTOS Sala-05
10 JAITON PEREIRA DE NEGREROS Sala-05
11 MARCOS GABRIEL MATOS SENA Sala-05
12 MATTEUS PAULINO DA SILVA Sala-05
13 MELISSA GARCIA CASTRO Sala-05
14 MILENA VIANA DE FREITAS BATISTA Sala-05
15 NATHALY BLANCA NUNCES DE SOUSA Sala-05
16 RANIELE AZEVEDO CUNHA Sala-05
17 SUZANA MARQUES MENDES DE SOUSA Sala-05
18 TALITA DA FONSECA COSTA Sala-05
19 THAISE RAMOS MATOS Sala-05
20 THIAGO AUGUSTO GOMES DA SILVA Sala-05
21 VALERIA ROSAS PEREIRA Sala-05
22 VANESSA RODRIGUES DOS ANJOS Sala-05
23 VICTOR LEILAO RODRIGUES Sala-05

PT divulga nota de repúdio a violência em Maués, no estado do Amazonas.

NOTA OFICIAL

A cidade de Maués, a 267 quilômetros de Manaus, no Amazonas, têm sofrido com uma onda de violência e intolerância, que tem afetado a política local e os comerciantes. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, se posicionou contra o ocorrido, assim como a sede municipal.

Nas últimas semanas, a cidade presenciou ataques a Unidades Básicas de Saúde (UBS), a sede do Partido dos Trabalhadores (PT) e o escritório jurídico que cuida da campanha de reeleição do prefeito Padre Carlos Góes (PT), que foram invadidos e depredados. Na terça-feira (6) o segurança do prefeito, Darcy Nildo dos Santos Marinho, foi assassinado com uma facada no peito. Lojas da cidade também sofreram ataques.

O diretório municipal do PT se posicionou afirmando que “esses abomináveis atos de violência e desumanidade reforçam em todos nós a determinação de lutar até a vitória, que será a vitória do povo, da justiça social, da solidariedade, da generosidade, da tolerância e da democracia”.

Nota Pública do PT

A direção nacional do Partido dos Trabalhadores repudia com veemência as ações violentas na cidade nos últimos dias e que, lamentavelmente, já provocaram uma morte. Ao mesmo tempo, manifesta suas condolências à família da vítima e seu pesar extensivo a todo o povo de Maués.

Vale lembrar que, recentemente, duas unidades básicas de saúde no município foram invadidas e depredadas, e a mesma sorte teve a sede do Partido dos Trabalhadores em Maués.

Nossos candidatos, nosso partido, nossos militantes, nossos aliados não irão se deter diante desses atos de covardia.

Exigimos que forças de segurança nacionais sejam imediatamente deslocadas para o município, e isto diante da incapacidade do governo estadual em assegurar a ordem e a incolumidade física dos cidadãos de Maués e de todos aqueles envolvidos no pleito eleitoral.

Conclamamos igualmente de todas forças as democráticas da sociedade a condenarem esses atos de barbárie.

São Paulo, 8 de setembro de 2016

Presidente Nacional do PT

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Escolas com melhor e pior nota do Amazonas no Ideb estão em Manaus.


As escolas públicas com maior e menor índice de qualidade no ciclo básico de ensino do Amazonas estão concentradas na capital. A informação é do Ministério da Educação (MEC), de acordo com dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2011, divulgados nesta terça-feira (14). Os números revelam ainda a baixa qualidade do ensino indígena no estado.

Realizado a cada dois anos, o Ideb analisa dois fatores que interferem na qualidade da educação: rendimento escolar (taxas de aprovação, reprovação e abandono) e médias de desempenho na Prova Brasil, aplicada para crianças do 5º e 9º ano do fundamental e do 3º ano do ensino médio.

Ideb Amazonas AM (Foto: Editoria de Arte/G1)

Na 8ª série, que marca o fim do ensino fundamental, a escola com pior desempenho foi a Escola Municipal Carlos Gomes, localizada na Compensa 2, Zona Oeste de Manaus, com nota 0,9, em uma escala de 0 a 10. Já a Escola Estadual Marcantonio Vilaca II, na Cidade Nova, Zona Norte, obteve a maior nota: 6,4.

A segunda escola com melhor desempenho foi o Colégio Militar de Manaus, com nota 6,2. As escolas estaduais Professor Djalma da Cunha Batista, na capital, e Euclides Correa Vieira, em Beruri, ficaram com o 3º e 4º lugar, e em seguida o Colégio Militar da Polícia Militar, localizado na Zona Sul de Manaus, em 5º.

Os índices do Ministério da Educação também são preocupantes para a baixa qualidade no ensino destinado aos povos indígenas no Amazonas. Escolas indígenas ocupam seis posições no ranking das 10 unidades com notas mais baixas. As notas variam de 1,1 a 1,6. As seis unidades com baixo desempenho estão localizadas nos municípios de Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença e Tabatinga.

Ídeb 2011 - 15 melhores índices Amazonas - Ensino Fundamental até 8ª ano:

  1. ESCOLA ESTADUAL MARCANTONIO VILACA II (MANAUS) - 6,4
  2. COLÉGIO MILITAR DE MANAUS (MANAUS) - 6,2
  3. ESCOLA EST. PROF. DJALMA DA CUNHA BATISTA (MANAUS) - 6,1
  4. ESCOLA ESTADUAL EUCLIDES CORREA VIEIRA (BERURI) - 5,9
  5. COLÉGIO MILITAR DA POLICIA MILITAR (MANAUS) - 5,9
  6. ESCOLA ESTADUAL BALBINA MESTRINHO (NOVO AIRÃO) - 5,9
  7. ESCOLA ESTADUAL PROF. CHAGAS MATTOS (ENVIRA) - 5,8
  8. ESCOLA ESTADUAL ALTAIR SEVERIANO NUNES (MANAUS) -5,7
  9. ESCOLA EST. PROF. LEONOR SANTIAGO MOURÃO (MANAUS) -5,7
  10. ESCOLA EST. PRESIDENTE CASTELO BRANCO (ENVIRA) - 5,6
  11. ESC PROCÓPIO MARANHÃO (IRANDUBA) - 5,6
  12. ESCOLA MUN. PROFª NAIDE SOARES DE OLIVEIRA (MANAUS) - 5,6
  13. ESCOLA MUN. BENÍCIO RODRIGUES PENA (B. DO ACRE) - 5,5
  14. ESCOLA EST. BRIG JOÃO CAMARÃO TELLES RIBEIRO (MANAUS) - 5,5
  15. ESCOLA ESTADUAL BATISTA DE PARINTINS (PARINTINS) - 5,5.
Ídeb 2011 - 15 piores índices Amaonas - Ensino Fundamental até 8ª ano:
  1. ESCola MUN. CARLOS GOMES (MANAUS) - 0,9
  2. ESCOLA MUN. INDÍGENA BAMA (S. PAULO DE OLIVENÇA) - 1,1
  3. ESCOLA MUN. INDÍGENA TICUNA MORUAPU (S. PAULO DE OLIVENÇA) - 1,2
  4. ESCOLA MUN. INDÍGENA SAO FRANCISCO DE ASSIS (TABATINGA) - 1,3
  5. ESCOLA INDÍGENA TCHUEGUNE (S. PAULO DE OLIVENÇA) - 1,4
  6. ESCOLA MUN. INDÍGENA BELA VISTA (SANTO ANTÔNIO DO IÇÁ) - 1,4
  7. ESCOLA EST. INDÍGENA DOM PEDRO I (SANTO ANTONIO DO ICA) - 1,6
  8. ESCOLA MUN. SÃO SEBASTIÃO (MANAUS) - 1,6
  9. ESCOLA MUN. JOAQUIM DA SILVA PINTO (MANAUS) - 1,7
  10. ESCOLA MUN. PROFª ELIZABETH BELTRÃO (MANAUS) - 1,7
  11. ESCOLA MUN. SAO JOÃO (MANAUS) - 1,8
  12. CENTRO DE EDUCACÃO INDÍGENA (AMATURÁ) - 1,8
  13. ESCOLA EST. INDÍGENA ALMIRANTE TAMANDARÉ (TABATINGA) - 1,9
  14. ESCOLA MUN. DOM MILTON CORREA PEREIRA (MANAUS) - 1,9
  15. ESCOLA MUN. MARIA RUFINA DE ALMEIDA (MANAUS) - 1,9.
Fonte: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2012/08/escolas-com-melhor-e-pior-nota-do-am-no-ideb-estao-na-capital-aponta-mec.html

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

DRAMA DE UMA JOVEM: 'Descobri aos 16 anos que nasci sem útero e vagina'


Joanna Giannouli, de 27 anos, sofre de uma condição que determinou que ela nascesse sem vagina, colo do útero e útero. Ela explica os desafios de viver com uma síndrome que afeta uma em cada 5 mil mulheres no mundo.

"Quando fui com minha família pela primeira vez ao médico, meu pai tentou mostrar coragem. Minha mãe, por outro lado, não aceitou bem. Ela se culpou pelo que tinha acontecido e foi muito doloroso vê-la daquela maneira.

Não conversamos muito sobre o assunto pelos primeiros cinco anos. Eu não conseguia. Senti-me destruída e incrivelmente fraca. Minha mãe acredita que pode ter feito algo de errado durante a gravidez. Eu já expliquei que não foi isso, apenas genes. Minha condição é estigmatizada. E o mais doloroso foi quando meu parceiro me abandonou depois de descobrir o que tinha.

Estava noiva quando tinha 21 anos, vivendo em Atenas. Quando contei a ele sobre minha condição, ele terminou comigo. Tudo isso agora pertence ao passado e estou bem agora. Felizmente, pelos últimos cinco anos estive em um relacionamento amoroso estável. Ele soube desde o início e escolheu ficar comigo. Sabe que nosso futuro não terá crianças. Ele está OK com isso e eu também. Sou uma das pessoas mais afortunadas (com essa condição). Minha mãe me levou ao médico quando eu tinha 14 anos porque eu não estava menstruando. Ele não me examinou porque não queria tocar minha genitália e, quando fiz 16 anos, fui enviada a um hospital para um check-up.

Os médicos descobriram que eu não tinha canal vaginal e sofria da Síndrome de Rokitansky. Tinha nascido sem uma vagina funcional e os médicos tiveram que construir uma para mim para que eu pudesse ter relações sexuais. Fiquei duas semanas no hospital e precisei ficar em casa três meses de cama - não podia me levantar. Fiz exercícios vaginais para expandir meu novo canal vaginal. O primeiro sinal da minha condição é justamente a ausência de menstruação. E você não pode fazer sexo. Minha cirurgia em Atenas foi revolucionária. A vagina construída pelos médicos era estreita e pequena e causava imensa dor quando eu tinha relações sexuais. Precisei expandir meu períneo, uma pequena área abaixo da vagina, com exercícios.

Não encontrei grupos de apoio na Grécia ou qualquer pessoa com quem pudesse conversar. Muitas mulheres com a minha condição têm vergonha. Quando consegui encontrar algumas dispostas a conversar, vi que elas desapareciam depois, porque se sentiam envergonhadas. Adoraria ser mãe algum dia, seja biológica ou adotiva. Mãe não é quem dá à luz, mas quem cria .É muito libertador poder falar sobre essas coisas. Quero ajudar todas as mulheres que sofram da síndrome, porque fui ao inferno e voltei. Sei dos problemas que a condição pode causar. Muitas mulheres cometem suicídio por causa disso. Se não ajudarmos umas às outras, quem vai?"