sábado, 25 de outubro de 2014

Dilma tem 53%, e Aécio, 47% dos votos válidos, aponta Ibope.


Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (25) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República: Dilma Rousseff (PT) 53% e Aécio Neves (PSDB) 47%.

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Levantamento com 3.010 eleitores foi feito nos dias 24 e 25 de outubro.

Dilma tem 52%, e Aécio, 48% dos votos válidos, diz Datafolha.


Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (25) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República: Dilma Rousseff (PT) 52% e Aécio Neves (PSDB) 48%.

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Levantamento com 19.318 eleitores foi feito nos dias 24 e 25 de outubro.

Carta aos povos indígenas de Dilma Rousseff


Carta aos Povos Indígenas do Brasil

Aos companheiros e companheiras indígenas, os primeiros brasileiros,

No ano passado vivemos dias intensos; falo das Jornadas de Junho que, para quem não lembra, milhares de brasileiros foram às ruas exigir melhorias sociais e democráticas e, também, exigir mudanças. Naquele mesmo período recebemos os movimentos sociais, grupos da juventude e, também, recebemos lideranças indígenas de todo o Brasil. Após receber a carta com reivindicações das mãos das lideranças indígenas constatei o respeito à nossa Constituição que todos vocês nutrem e afirmei naquela reunião o que escrevo agora: nada em nossa Constituição será alterado com relação aos direitos dos povos indígenas! De todas as justas reivindicações apresentadas não tive dúvidas sobre a questão da inconstitucionalidade da PEC 215. Hoje, todos sabemos, existem desafios na esfera jurídica para podermos avançar na demarcação das terras indígenas no país, principalmente nas regiões centro-oeste, sul e nordeste. Temos que enfrentar e superar estes desafios respeitando a nossa Constituição.

Nos últimos anos construímos, com a participação de representantes indígenas, diversas políticas públicas voltadas aos povos indígenas: políticas afirmativas para o ingresso e permanência de estudantes indígenas nas universidades públicas federais; valorização das culturas indígenas com o Prêmio Culturas Indígenas; inclusão das famílias indígenas em programas federais como o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida. Tive a enorme alegria em assinar o decreto que instituiu a Política Nacional de Gestão Ambiental e Territorial em Terras Indígenas(PNGATI), pois trata-se de uma política fundamental para a sustentabilidade dos povos indígenas.Além destas políticas públicas, buscamos superar graves dívidas históricas do Estado brasileiro com os povos indígenas, realizando a desintrusão da Terra Indígena Xavante de Marãiwatsédé, no Mato Grosso, e a desintrusão da Terra Indígena Awá-Guajá, no Maranhão.Neste ano de 2014 assinei o decreto que convoca a Conferência Nacional de Política Indigenista, que poderá se constituir num espaço privilegiado para a avaliação de toda a relação do Estado brasileiro com os povos indígenas, de identificação das dificuldades atuais, bem como num espaço de pactuação de novos avanços, particularmente na demarcação das terras indígenas, dentro dos marcos da nossa Constituição.

Gostaria de dizer a vocês que manteremos os compromissos com o fortalecimento da Fundação Nacional do Índio; com a melhoria do atendimento à Saúde Indígena; com a qualidade da Educação Escolar Indígena; com a articulação para a aprovação, pelo Congresso Nacional, do Conselho Nacional de Política Indigenista e do Estatuto dos Povos Indígenas; com o acesso das comunidades indígenas a políticas nacionais, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e outras, além de avançar na regulamentação e aplicação do direito de consulta livre, prévia e informada, conforme a Convenção 169 da OIT.

Conto com o apoio de vocês para, nos próximos quatro anos, enfrentarmos juntos os desafios e cumprirmos com os compromissos, garantindo o bem viver para todos os povos indígenas no Brasil.

Dilma Rousseff
Presidenta do Brasil

Dilma denúncia na TV o terrorismo eleitoral deflagrado por Veja.


A presidenta Dilma Rousseff denunciou ao Brasil em seu programa de rádio e TV que a revista Veja com esta capa e reportagem principal da edição antecipada desta semana, aproveita as últimas horas que antecedem o 2º turno, domingo, para fazer “terrorismo eleitoral” contra a sua candidatura à reeleição.

Ela chamou a reportagem de “terrorismo eleitoral articulado pela revista por seus parceiros ocultos”. Veja cita um suposto depoimento do doleiro Alberto Youssef, no qual ele teria dito que a presidenta Dilma e o ex-presidente Lula sabiam de um esquema de corrupção que ela e a oposição dizem haver dentro da Petrobras.

Revista sempre faz isso contra o PT às vésperas de eleições

Em seu último programa de propaganda no rádio e TV a presidenta Dilma – líder na disputa do 2º turno domingo, com uma vantagem de 8% nas pesquisas eleitorais – chama a atenção para o fato de o ataque feito pela revista Veja, mais uma vez ser publicado “sem apresentar nenhuma prova concreta e baseando em supostas informações de pessoas do submundo do crime”.

No texto, a “Veja” disfarça cinicamente e diz que não pretende com a reportagem “diminuir ou aumentar as chances de vitória de nenhum candidato”. A própria revista admite na reportagem que Youssef “não apresentou provas das afirmações”. E tenta justificar que ele não o fez porque o atual momento do processo serve apenas para que a polícia e o Ministério Público avaliem o grau de conhecimento do acusado nos esquemas de supostos desvios na Petrobras.

POR QUE VOTO EM DILMA? - Júlio Lázaro Torma


Muitos querem a minha opinião e manifestação sobre o atual período e embate que se coloca neste segundo turno das eleições presidenciais e levando em conta a necessidade para garantir os avanços da sociedade brasileira vive nestes últimos anos.Não posso me furtar em participar deste processo e em declarar o meu apoio em favor da reeleição de Dilma Rousseff ( PT).

Mesmo sendo um critico aos limites do atual governo e do sistema político reconheço publicamente que houve uma diminuição da pobreza e da miséria no Brasil, onde a pobreza foi reduzida há 75%, onde milhares de jovens tem ingresso em escolas técnicas, universidades públicas e privadas. Como a inclusão de cotas para setores da sociedade secularmente excluídos como os povos indígenas e afrodescendentes, além de ampliação de direitos das mulheres, homossexuais, antes tratados com distem pelos governos federais.

Como os projetos sociais de inclusão social como o Bolsa Família, a onde as crianças e adolescentes destas famílias beneficiadas demostram bom rendimento escolar, freqüência em sala de aula, evitando assim a evasão escolar.

O projeto minha casa minha vida, luz para todos, pro une, saúde para todos, que tem incluído milhões de brasileiros/as lhes dando cidadania.

Como o Farmácia Popular, valorização do salário minimo, como o poder de consumo da população, onde aqueles antes condenados a viver abaixo da linha de pobreza. Hoje tem acesso a uma moradia digna como minha casa minha vida e a comprar carro com IPI reduzido, TV de led, celulares, computador, internet, TV A cabo, artigos de higiene, materiais de construção que fomenta o comércio, indústria e gera empregos locais.

Bem como investimentos federais como duplicação da rodovia Rio Grande-Pelotas ( BR 392),da BR 116 ( Porto Alegre- Pelotas), Pólo Naval, Parque Eólico Santa Vitória do Palmar- Chui, núcleos habitacionais através do minha casa minha vida, PRONATEC, expansão da UFPEL, FURG, IFSUL, criação da UNIPAMPA , Universidade da Fronteira Sul, expansão dos direitos trabalhistas aos trabalhadores e trabalhadoras domésticos.

Sigo questionando o atual modelo desenvolvimentista deste governo. É nosso dever de empenhar na luta por uma profunda reforma política e na convocação de uma assembléia exclusiva como a inclusão social de 16 milhões de pessoas que ainda vive abaixo da linha da pobreza. Exigindo respeito a natureza e dos povos indígenas, quilombolas, sejam respeitados.

Bem como a realização de uma ampla e radical reforma agrária, que partilha a terra para todos os trabalhadores sem terra e por uma ampla e radical reforma urbana que coloque todos os terrenos baldios,prédios desocupados e abandonados para quem quer morar e necessite de moradia digna.

Enquanto isso o outro candidato representa o modelo neoliberal é alinhado ao capital transnacional, atrelado ao sistema financeiro, além de ser apoiado por setores atrasados como latifundiários, agronegócio, escravocratas urbanos e rurais e por setores retrógrados preconceituosos e anticristãos que jamais vão apoiar e assumir tais projetos.

Além de ser um defensor do livre mercado e de um modelo economicista, outro candidato se eleito for á um risco da perda de direitos sociais, políticos e econômicos, conquistado com muita luta, suor e sangue da classe trabalhadora e popular do campo e da cidade.

Por último devo ressaltar a política externa dos governos Lula- Dilma nestes últimos anos, foi uma política externa independente e não alinhada aos interesses dos Estados Unidos da América, que buscou e trabalhou pela paz entre os povos, bem como a criação do BRIC e uma maior integração dos países latino-americano e caribenho, feito de maneira respeitosa, com quem devemos cada vez mais buscar dialogando, no caminho da paz e da solidariedade entre todos os países do mundo.

Por isso declaro o meu VOTO EM DILMA pela continuidade de um projeto democrático popular para o Brasil.

Como gritava Dolores Ibárruri Gómez ( 1895-1989), grito para aqueles que querem a volta de um modelo neoliberal, excludente e privativista.

" NÃO PASSARÃO! AVANCEMOS NA CONSTRUÇÃO DE UM PAÍS MAIS JUSTO E SOBERANO".

Ilusões de um povo - por Dom Luiz C. Eccel*


Até quando ficaremos nas ilusões, ou nas más intenções? Pessoas sensatas sabem sobejamente que o candidato do PSDB é apenas verniz, em tudo o que diz e propaga. Basta conhecer um pouquinho só da nossa história política...

Problemas e defeitos encontramos em todas as pessoas, instituições, clubes, Igrejas, associações e partidos políticos... Mas todos sabem, ou deveriam saber que o governo de FHC fez o que fez, conhecido como privataria tucana; roubos bilionários, salário mínimo baixíssimo, desemprego alarmante, havia até advogados e engenheiros nas filas disputando as poucas vagas para garis. Inflação altíssima, os bancos lucrando como nunca, enfim o Brasil foi colocado de joelhos diante dos EUA e seus fortes aliados. O Lula nos colocou de pé! Os títulos de "doutor honoris causa” por ele recebidos estão aí para confirmar.

Os escândalos financeiros do PSDB foram muitos e astronômicos, porém tudo foi engavetado, pois o STF, e os grandes meios de comunicação estavam, e estão, sempre do lado dessa direita fascista e golpista (vide anexo). O PSDB com seus aliados não estão nem aí para saúde, educação, moradia, vida digna para o povo, especialmente os excluídos.

O Brasil jamais viu avanços nos seus 500 anos de história, como nos governos de Lula e Dilma (vide anexo). E a ONU declarou o Brasil, pela primeira vez, há poucos dias, fora do mapa da fome. Só os mal intencionados não percebem esses grandes avanços, em todas as áreas da sociedade brasileira, apesar de ter muito por fazer, e sempre terá.

Minha única e exclusiva preocupação é com o povão; tenho certeza, infelizmente, que se Aécio chegar lá, será a retomada do entreguismo: Petrobras, pré-sal, bancos públicos, desprezo das políticas públicas, desemprego voltando, inflação disparando e povão pagando o pato, para eles continuarem a se locupletar e novamente se aliar aos EUA entregando o que temos de riqueza natural. Consciência eles não têm, por isso o remorso passará bem longe deles. Mandem de volta para seus países de origem os médicos que aqui chegaram com o programa +médicos, e quero ver se os médicos brasileiros irão para os rincões mais remotos, ou mesmo para as periferias mais pobres deste país. Alguns alegam que ganham pouco, que faltam instrumentos, etc; mas por que FHC não resolveu o problema da saúde antes de entregar nossas riquezas para alguns poderosos, e abastecer suas contas nos paraísos fiscais? E a classe média acha isso tudo muito bom... Infelizmente é da natureza das toupeiras serem parcial ou totalmente cegas! Fato é que Dilma já fez bastante pela saúde, e o projeto é dos melhores, com a ajuda dos royalties do pré- sal, em favor da saúde e da educação.

Tenho certeza de que desde o início do governo Lula, a direita tentou derrubá-lo, desmoralizando o governo petista, com toda sorte de armações, as mais diabólicas, mirabolantes e sórdidas. A elite nunca aceitou perder o poder, muito menos para um operário. E a grande mídia (PIG) faz passar todas essas mentiras como se fossem verdades, e os "incautos ficam indignados” (santa ingenuidade, ou venenosa maldade), sem mesmo buscarem elementos para refletir seriamente. Eu sempre acompanhei tudo muito bem! Não suporto tansisse, assim busco informações em fontes fidedignas. A filósofa Marilena Chauí tem razão em declarar a obtusidade absoluta, especialmente, da classe média. Esta classe juntamente com outra, não aceita que pobres possam usar os mesmos perfumes importados, viajar nos mesmos aviões, e comprar nas mesmas lojas; não preciso ir longe, vejo esta estultice anacrônica aqui na "minha” cidade...

Alguém poderia alegar que mesmo estudando muito, é de direita, eu respondo como o grande Victor Hugo: "algumas pessoas pagariam para se venderem”! A direita fascista golpista, escrota e asquerosa dá muita risada dos seus eleitores. Dizem: como é fácil convencer os eleitores deste país! Voltemos a nos refestelar entregando as nossas riquezas naturais, e com os impostos provenientes do povo, e vez ou outra lhes daremos umas esmolas... Outro problema sério: é sabido que a direita foi, é, e sempre será aliada da ditadura que persegue, prende, tortura, mata, e faz os cadáveres desaparecerem. Pior ainda, o vice do Aécio foi aliado da ditadura e a defende sempre, sujeito escroto!

O governo do PT deixou de fazer algo importante? Sim! Poderia ter começado o processo de declaração de nulidade da entrega da Vale do Rio Doce com nossas riquezas minerais, a preço de banana, pelo FHC, uma das empresas mais ricas do mundo. E assim teríamos mais dinheiro para a saúde e educação. Não sei se iria conseguir o intento, pois a justiça normalmente é injusta, e a maioria dos ministros do STF é de direita, ou seja, não estão nem aí para os problemas do povo. Poderia ter feito a reforma agrária e urbana, ter taxado as grandes fortunas; democratizado os meios de comunicação para que os poucos detentores de hoje deixem de distorcer, mentir e manipular o povo... Mas tem um grande mérito, entre tantos outros, apurar as irregularidades no uso da verba pública, não engavetando nada, como era costume na era anterior ao governo petista.

Outro questionamento sério que devemos fazer: Por que o Aécio construiu os aeroportos particulares, com dinheiro público, e os mesmos ficam trancados? Você já se perguntou sobre isto? Fico pensando: não seria para tráfico de drogas, que causam tantas desgraças, mortes e violência, especialmente aos nossos jovens? Para que outro motivo faria isso? Você se lembra daquele helicóptero que foi pego com quase 500 quilos de cocaína? Era de gente próxima a ele. E por que não se falou mais nisso? Se fosse 1 quilo só, com alguém do PT, estariam falando até hoje, especialmente a Globo e Veja.

O FHC disse que os eleitores de Dilma são pessoas desinformadas dos grotões. Eu tenho certeza que os eleitores do PSDB é que são desinformados, não conhecem nada da nossa história; aliás, o grau de ignorância dos eleitores de FHC e Aécio é tão alarmante que supera até as expectativas das "pesquisas” da GLOBO, VEJA e CIA... Desconhecem totalmente as roubalheiras bilionárias da direita fascista e golpista, ou são coniventes... Portanto, nunca vote na direita, pois é colocar a raposa para cuidar do aviário!

Não sou dono da verdade, mas receba um fraterno abraço de quem tem mente e olhos bem abertos para saber claramente onde estão as verdades e as mentiras, em todos os espaços, sejam eles públicos ou privados, no meu e no seu também... Se quiser acreditar, acredite; se quiser continuar na obscuridade, fique à vontade! Porém seria muito interessante que todos (as) buscássemos conhecer a verdadeira história deste país, em fontes que não sejam as dos grandes meios de comunicação que aí estão para emburrecer o povo, e com isso continuar lucrando com suas mentiras com caras de verdades. Não sou candidato a cargos, mas a colaborar para que o povo tenha vida com dignidade! Isso faz 500 anos que a direita já provou que não dá! Cada um (a) analise a realidade de acordo com a quantidade de neurônios que tem... Fique com Deus! Ou fique com a globo, veja, época e cia... Dê uma olhada no link abaixo!

* Dom Luiz C. Eccel é Bispo Diocesano de Caçador-SC.

José Ricardo é contra auxílio-moradia para deputados estaduais


O deputado José Ricardo Wendling (PT) manifestou-se quinta-feira (22) com relação à possível aprovação de benefício aos deputados estaduais, o auxílio-moradia, a exemplo dos juízes e possivelmente dos promotores e procuradores do Ministério Público do Estado (MPE). “Desde já, afirmo que sou contra esse benefício. Entendo que cada parlamentar já tem seu salário do qual pode pagar a sua moradia. E se precisar estar fora da cidade, em visita a algum município, as despesas de estadia já são custeadas pela Assembleia Legislativa, por meio da verba indenizatória”.

Com relação ao auxílio-moradia para o judiciário, aprovado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para todos os juízes estaduais e federais do País, mesmo para quem já tem casa, no valor de R$ 4,3 mil mensal, ele disse que o certo seria apenas para quem fosse trabalhar em municípios do Estado e onde não tivesse moradia oficial do judiciário. “Como já acontece hoje, com o pagamento de auxílio-moradia de R$ 2,6 mil pago pelo judiciário estadual”, esclareceu.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Dilma: governos do PT criaram 23 milhões de empregos; os do PSDB desempregaram 11 milhões.


Os tucanos não querem, ficam cada vez mais possessos, a irritação e o desespero entre eles estão incontidos, mas a presidenta Dilma e o ex-presidente Lula não tem mesmo como fazer campanha sem estabelecer comparações entre os 12 anos de governos do PT (2003-2014) e os 8 do PSDB (1995-2002). Principalmente sem lembrar que em três governos petistas foram criados quase 23 milhões de empregos formais – com carteira assinada e todos os direitos sociais garantidos – e que nos dois governos tucanos eles conseguiram desempregar 11 milhões de trabalhadores.

Foi o que fez, ontem, a presidenta Dilma, em campanha em Uberaba, no Triângulo Mineiro. “Nós sabemos quem é que, no passado, desempregou. Quem é que conseguiu bater o recorde de desemprego até 2002: o governo FHC. Aliás, naquele período, só perdemos para a Índia – ela desempregou 41 milhões de pessoas; aqui no Brasil desempregaram 11 milhões de brasileiros”, afirmou a presidente, em discurso aos mineiros.

A presidenta lembrou a política econômica que Armínio Fraga, o “ministro da Fazenda” anunciado pelo candidato Aécio Neves acena implantar no Brasil e que tem entre seus principais pontos o arrocho salarial, inclusive com o rebaixamento do salário mínimo que ele já disse ter crescido demais. “Está em jogo (nas eleições) o salário mínimo. O candidato dele (Aécio) a ministro da Fazenda acha alto demais e tem que reduzir. Nós não vamos permitir que o Brasil volte para trás”, disse a presidenta.

Movimento Indígena de Rondônia denuncia repressão ao Povo Tenharim


Lideranças da Articulação do Movimento Indígena de Rondônia, noroeste do Mato Grosso e sul do Amazonas, em visita aos Povos Tenharin e Jiahui no sul do Amazonas, denunciam que a repressão a estes povos continua e de forma cada vez mais contundente.

Em visita às Aldeias Bela Vista (Jiahui) até o Mafuí (Tenharin), entre os dias 17 a 19 de outubro, as lideranças encontraram estes povos acuados nas aldeias. Este sentimento foi compartilhado pela equipe composta de quatro pessoas ainda na travessia da balsa em Humaitá, quando um indivíduo fez questão de fotografar a equipe e o carro que utilizava, retornando em seguida para um aglomerado de pessoas que conversavam apontando para estes, o que os deixou inseguros. A situação é grave:
  • Nas aldeias, nos três dias de convivência e reuniões, o relato de diversas pessoas dá conta de que o medo e a insegurança rondam as comunidades. Ninguém se sente seguro em andar pela rodovia ou fazer compras no Km 180 e mesmo em Humaitá, onde ameaças de morte a lideranças foram registradas em boletim policial;
  • De um povo livre, hoje os Jiahui e Tenharin externam sentimento de isolamento por parte da sociedade local e pelos órgãos governamentais que até agora NÃO IMPLANTARAM as barreiras de fiscalização para os veículos que transitam pela Transamazônica, que corta o território desses povos. Poucos são os não-indígenas que dialogam com os indígenas, com receio de repressão;
  • Os cinco Tenharin detidos acusados da morte dos três não-índios no final do ano passado continuam em prisão pública, mesmo que a lei brasileira conceda o direito ao habeas corpus, negado a todos eles. Eles relataram a familiares que se sentem ameaçados por estranhos que transitam na unidade prisional;
  • Por fim, as lideranças do Movimento Indígena Regional afirmam que estão acompanhando de perto a situação e denunciando junto aos órgãos públicos e imprensa a violação de direitos dos quais os Jiahui e Tenharin são vítimas, ao mesmo tempo em que ocorre de forma intensa o avanço do agronegócio, da soja e boi ao longo da BR Transamazônica, do KM 180 rumo a Apuí e Jacareacanga, onde o trânsito de camionetas de luxo com placas do Mato Grosso é intenso; e
  • O avanço do poder econômico do agronegócio é sinal inequívoco de que seus interesses se sobrepõem com força na região, produzindo estratégias ofensivas aos direitos indígenas, reprimidos e acuados em seu próprio território.
Fonte: Comissão de Articulação do Movimento Indígena de RO, noroeste do MT e sul do AM.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

José Ricardo denuncia abandono da segurança no interior e cobra Audiência sobre sistema penitenciário.


Após ter apresentado requerimentos solicitando Audiência Pública na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) para debater sobre a segurança pública, e nunca terem sido aprovados, o deputado José Ricardo Wendling (PT) cobrou mais uma vez a presença dos secretários de Estado da Segurança (SSP) e da Justiça (Sejus) na Casa. “Queria saber por que requerimentos de minha autoria são esquecidos? E por que essa proteção com esses secretários?” questionou ele, que desde 2011 apresenta requerimentos solicitando debate sobre a segurança, dentre eles, o que pretende fazer uma reavaliação do Programa Ronda no Bairro e o que irá discutir sobre a falta de controle no sistema penitenciário, incluindo, possíveis negociações entre representantes do Estado e líderes de facção criminosa.

Para o deputado, é grave o quadro atual da segurança pública, principalmente, no interior do Estado. Em visitas que fez em todos os municípios amazonenses, ele relatou as diversas situações encontradas: delegado trabalhando sozinho, sem escrivão e sem investigador; preso tomando conta das celas; viaturas abandonadas e até servindo de depósito; e dois policiais militares fazendo a segurança de uma população de mais de 15 mil pessoas.

“Na maioria das delegacias, não tem funcionários do Estado cuidando da parte administrativa e dos serviços gerais, apenas servidores da Prefeitura. Em outros casos, é a guarda municipal a responsável pelos presos, profissionais desabilitados para estarem armados e desempenhando essa função. E na grande maioria dos locais, a polícia não tem lancha para atuar na área ribeirinha”, contou ele, ressaltando ainda a situação dos presos provisórios, que estão abandonados. “Esse pequeno retrato mostra o abandono e o descaso com a segurança pública”.

Em cada município visitado, José Ricardo encaminha relatório para os devidos órgãos competentes. E na área da segurança, quando encaminhou relatórios para a SSP e para a Sejus, lembrou que recebeu como retornos apenas informações evasivas. “Por isso, apresento emendas ao Orçamento do Estado e cobro esses debates para falar das prioridades públicas, da falta de estrutura e também da questão orçamentária. Vou continuar insistindo que no Orçamento estadual tenhamos mais recursos para investir na segurança. Enquanto isso, é o povo quem sofre com esse descaso, com os inúmeros assaltos e assassinatos”, concluiu.

Pesquisa aponta para o otimismo com a economia atual

O deputado José Ricardo comentou também sobre a atual pesquisa do DataFolha que aponta para o otimismo da população brasileira com a economia do País. Em abril deste ano, 64% dos brasileiros acreditavam que a inflação iria aumentar; já em setembro, reduziu para 50% e agora são apenas 31%. Com relação à taxa de desemprego, em setembro, 36% da população acreditava que essa taxa iria aumentar; e agora, esse percentual diminuiu para 26%. Ao mesmo tempo, quando se perguntou ao povo se acreditava que a taxa de desemprego iria diminuir, 23% disseram que sim em setembro e 31% agora em outubro. E sobre a situação econômica, em setembro, 25% achavam que a economia iria piorar, contra apenas 15% neste mês.

“Mas 45% da população disse acreditar na melhoria da situação econômica atual, contra 32% no mês de setembro. E esses dados demonstram que a sociedade está percebendo a boa condição econômica do País”, declarou o parlamentar, citando ainda indicador econômico divulgado ontem pelo IBGE sobre a taxa de desemprego: 4,9% agora em setembro, o menos índice desde 2002. “É o crescimento significativo de empregos formais”.

Fonte: Assessoria de Comunicação