domingo, 28 de agosto de 2016

Chapecoense 1 x 3 Flamengo - Com pinta de chegada, Mengo é vice-líder do Brasileiro.

Resultado de imagem para flamengo vence chapecoense

O Flamengo assumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro ao vencer aChapecoense, por 3 a 1, nesta tarde, na Arena Condá, em Chapecó (SC). Para subir na tabela o time carioca contou com o resultado do confronto direto, onde o Grêmio empatou com Atlético Mineiro, por 1 a 1, em Porto Alegre (RS). O Galo tem 39 pontos, em terceiro e o Corinthians é quarto, com 37. O líder é o Palmeiras, com 43 pontos. A Chapecoense, que já empatou nove vezes, continua com uma boa campanha, com 30 pontos, em décimo lugar.

Este foi o sexto confronto entre ambos pelo Brasileirão. O Flamengo continua na frente com quatro vitórias, uma derrota e um empate. Empatar não é novidade para o time catarinense, que continua com nove resultados iguais. É o time que mais empatou, igual ao rival Figueirense. Esta foi a segunda derrota da Chapecoense em casa, onde só tinha caído diante do Corinthians.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Tensão entre o STF e o MPF

Resultado de imagem para justiça cega

Na última segunda feira (22/8), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suspendeu a delação premiada do empresário Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, devido ao vazamento de informações na revista Veja. O vazamento envolve o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Segundo a revista, engenheiros da empresa OAS fizeram o diagnóstico de problemas de infiltração na residência de Toffoli e este contratou empresa indicada por Leo Pinheiro para fazer a reforma necessária.

Na prática, o vazamento não envolve crime, mas indica proximidade entre o ministro do STF e o ex-diretor da OAS, condenado a 16 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Toffoli afirma não ter relação de intimidade com Léo Pinheiro e que ele mesmo custeou a obra em sua residência.

O celular de Leo Pinheiro foi apreendido, as informações foram analisadas e não foram encontradas conversas diretas entre eles. Em diálogos com outros funcionários da empresa, Pinheiro cita “agrados ao ministro do Supremo” e menções a ele envolvendo interesses comerciais da OAS.

Os acordos entre procuradores e Léo Pinheiro para delação premiada que preveem confidencialidade dos depoimentos em contribuição com a investigação da Operação Lava-Jato duram meses, e os investigadores têm exigido do ex-diretor da OAS novas informações. O objetivo é encontrar denúncias que comprometam o ex-presidente Lula. Estão sob suspeita as reformas do sítio em Atibaia e o apartamento no Guarujá, propriedades falsamente atribuídas a Lula.

A reportagem abriu uma forte tensão entre o STF e Ministério Público Federal (MPF). O ministro Gilmar Mendes, do STF, criticou duramente o vazamento à Veja. Para ele, toda acusação deve ser investigada, mas a reportagem não apresenta favorecimento ou contrapartida da empreiteira a favor de Toffoli e “serve apenas para constranger o ministro”. Mendes afirma que o Ministério Público tem direcionado delações para comprometer ministros do STF e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), com objetivo de intimidá-los. 

Para Gilmar Mendes, Toffoli pode ter se tornado alvo de procuradores do Ministério Público por contrariar interesses, conceder habeas corpus e determinar que executivos que cumpriam prisão preventiva passassem a regime domiciliar, entre eles Leo Pinheiro e o ex-ministro Paulo Bernardo. 

Gilmar também acusou o Ministério Público de "totalitário", com uso de práticas "absolutistas”, pelo “combate ao crime a qualquer preço". Mendes também afirmou que "Não é de se excluir que os próprios investigadores tentam induzir os delatores a darem a resposta desejada" e faz críticas contundentes à força-tarefa da Lava Jato, ao questionar que "Eles estão defendendo até a validação de provas obtidas de forma ilícita, desde que de boa-fé. O que isso significa? Que pode haver tortura feita de boa-fé para obter confissão? E que ela deve ser validada?", em referência a uma das medidas do pacote anti-corrupção defendida pelo Ministério Público e pelo juiz Sergio Moro. O ministro Gilmar Mendes disse que "é preciso colocar freios" na atuação dos procuradores da República, referindo-se diretamente aos investigadores e juízes que se ocupam da Operação Lava Jato, e defendeu indiretamente investigação sobre eles.

Segundo diversos juristas, a matéria da Veja foi considerada ridícula, irresponsável, leviana, especulativa e demonstra a intensa pressão que o Judiciário tem sofrido nos últimos tempos. Segundo o ex-ministro do STF, Sepúlveda Pertence, em entrevista à Conjur em julho desse ano, quando perguntado se o Judiciário também faz parte da crise, respondeu que “os poderes estão envolvidos entre si. E o fenômeno Curitiba é inteiramente novo” e que “...uma crítica, por mais pontual que seja, por mais consequente que seja, ao 'juiz de Curitiba' tornou-se um pecado mortal ou uma conspiração”. 

Cabe lembrar que foi o próprio Gilmar Mendes que suspendeu a nomeação do ex-presidente Lula para o ministério da Casa Civil, alegando “desvio de finalidade” na nomeação de Lula com o objetivo de deslocar o foro de seu julgamento criminal da primeira instância para o Supremo Tribunal Federal. A suspensão da nomeação baseou-se na interceptação ilícita de gravação de um telefonema de Dilma a Lula, quando o próprio juiz da operação já havia mandado cessar os grampos. Com isso, Gilmar Mendes determinou que a investigação do ex-presidente fosse mantida na primeira instância, em Curitiba, com o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato.

É claro que o vazamento de delações foi o que deflagrou o golpe, assim como foram claras as intenções do judiciário de interferir na arena política. A omissão do STF perante a Vara de Curitiba pode ter sido tardiamente retratada. Maior rigor do STF no esclarecimento de provas e sua interferência nas ações de Ministério Público poderiam ter levado os acontecimentos do país a outros rumos. Há que se refletir sobre os impactos e limites da politização do judiciário e judicialização da política. O que o Brasil assiste, em muitos casos, é o “desvio de finalidade” do Judiciário, eximindo-se de suas competências por vezes e, por outras, intervindo sobre o que não é de sua responsabilidade, qual seja, restabelecer a ordem jurídica e a normalidade constitucional. 

Em resposta às críticas de Gilmar Mendes, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou na terça-feira (23/80 que não houve vazamento de informações da delação de Léo Pinheiro e que ela está suspensa. Disse ainda, "O Brasil vive hoje um jogo de dois lados (...)”, o que de fato observamos tanto na atuação do Ministério Público quanto na do Supremo Tribunal Federal.

Arthur falta ao segundo debate na semana, agora na Fieam.


Ausente do primeiro debate de TV, realizado na segunda-feira, dia 22, pela Band, o prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), candidato à reeleição, encerrou a semana frustrando um auditório lotado de empresários e líderes empresariais, na sede da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam).

Na tarde desta sexta-feira, dia 26, ele não compareceu ao 1º Ciclo da Ação Empreendedora do 

Amazonas para Apresentação das Propostas dos Candidatos à Prefeitura de Manaus e, instantes antes do evento, cancelou o compromisso.

A ida dele ao debate era um dos três pontos de sua agenda de candidato divulgada por sua assessoria para esta sexta-feira.

Sua assessoria informou que ele desmarcou o compromisso porque estava em horário de trabalho e que estava em reunião com o secretário de Finanças, Ulisses Tapajós.

A assessoria também enviou a cópia de uma carta que o prefeito enviou ao presidente da Fieam, Antônio Silva, na qual o tucano justifica que ficou impossibilitado de ir ao evento em razão de compromissos administrativos.

Arthur Neto não foi o único candidato a faltar ao evento, na Fieam. O vice-governador Henrique Oliveira (SDD) também não compareceu e mandou dizer que havia tido um problema de deslocamento de vítreo durante uma caminhada que realizou pela manhã e que, naquele momento, estava sendo atendido por oftalmologista.

Dos três primeiros prefeituráveis convidados para o ciclo, apenas Hissa Abrahão (PDT) expôs suas propostas.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

A Operação Decantação investiga desvio de 4,5 milhões de reais em recursos federais de companhia de saneamento do estado.

Afrêni Gonçalves

A Polícia Federal prendeu Afrêni Gonçalves Leite, presidente do PSDB de Goiás, como parte da operação Decantação, deflagrada nesta quarta-feira 24.

Ele é suspeito de participar de esquema que teria desviado 4,5 milhões de reais em recursos federais da Empresa Saneamento de Goiás (Saneago). Segundo os investigadores, a verba desviada teria favorecido campanhas políticas do PSDB.

José Taveira Rocha, ex-secretário de Fazenda do tucano e diretor-presidente da empresa pública, também é alvo de mandado de prisão, além de outras pessoas ligadas ao governador Marconi Perillo (PSDB-GO).

Dirigentes e colaboradores da Saneago também são suspeitos de promover licitações fraudulentas mediante a contratação de uma empresa de consultoria envolvida no esquema. A PF afirma que recursos públicos federais oriundos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), de financiamentos do BNDES e da Caixa Econômica Federal, foram desviados para pagamento de propinas e dívidas de campanhas da legenda. 

Outra forma de ação da organização criminosa, segundo a PF, consistia no favorecimento pela consultoria contratada da Saneago a empresas que participavam do conluio e que eram responsáveis, posteriormente, por doações eleitorais.

A PF realiza buscas na sede do PSDB em Goiânia, na Saneago e de empresas envolvidas nas fraudes, além de residências e endereços ligados aos investigados. Ordens judiciais estão sendo cumpridas em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Formosa, Itumbiara, São Paulo e Florianópolis (SC).

De acordo com a PF, a operação Decantação, cujo nome faz alusão a um dos processos de tratamento de água em que ocorre a separação de elementos heterogêneos, contou com apoio do Ministério Público Federal e do Ministério da Transparência, Fiscalização e Controle, e evitou um prejuízo de quase R$ 7 milhões.

Foi determinado o afastamento da função pública de oito servidores e a proibição de comunicação entre nove envolvidos. Eles responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, organização criminosa e fraudes em processos licitatórios.

domingo, 21 de agosto de 2016

No SBT: Roberto Cabrini entrevista Dilma Rousseff no “Conexão Repórter” deste domingo.


A primeira mulher presidente do Brasil, sua ascensão e a iminência de uma queda. No “Conexão Repórter” deste domingo (21). Roberto Cabrini exibirá uma entrevista reveladora com Dilma Rousseff, que foi submetida a muitas perguntas.

Durante três dias o programa acompanhou sua rotina no Palácio da Alvorada – da pedalada matinal às reuniões. O telespectador verá uma mulher em seu momento mais decisivo, confrontada com as mais duras questões. Uma Dilma que poucos conhecem.

Aos 68 anos, Dilma conta como é enfrentar o impeachment, fala sobre as sessões de tortura que viveu durante a ditadura militar, relata como conviveu com um quadro grave de câncer, além de responder a questões sobre caixa 2, esquemas de corrupção, as traições que sofreu e a relação com Luiz Inácio Lula da Silva. Conversas em ambientes diferentes vão revelando-a em sua essência. Isolada e abandonada por aliados, ela examina o passado, reencontra lembranças sobre as quais jamais tinha aberto sua vida e alterna momentos de visível irritação com outros de profunda resistência.

O documentário especial “Crepúsculo no Alvorada” vai ao ar neste domingo, no “Conexão Repórter”, logo após o “Programa Silvio Santos”.

sábado, 20 de agosto de 2016

ATENÇÃO BRASIL: Temer vai fazer privatizações em massa após as Olimpíadas, diz imprensa estrangeira.


Temer emprenderá privatizaciones masivas y recortes sociales en Brasil en cuanto terminen los Juegos.

El presidente interino espera al final de los Juegos para anunciar su plan de privatizaciones y recortes. Así se lo hizo saber a empresarios y senadores con los que se reunió la última semana. Las acusaciones de corrupción contra el mandatario y contra su ministro de Exteriores, José Serra, han pasado a un segundo plano por el evento olímpico.

Brasil conquista a medalha de ouro inédita no futebol.


Jogo terminou 1 a 1 após o tempo normal e a prorrogação. Na disputa por pênaltis, seleção masculina fez 5 a 4, com Weverton defendendo uma cobrança da Alemanha e Neymar marcando o último gol na disputa.


Com o Maracanã lotado, após 120 minutos de bola em jogo, muito sofrimento e 1 a 1 no placar, a decisão do ouro olímpico no futebol foi para os pênaltis. E deu Brasil em cima da Alemanha: 5 a 4. A tão sonhada - e inédita - medalha dourada chegou enfim para a seleção brasileira. Foram quatro cobranças perfeitas de cada lado, e gols. Até que Weverton defendeu a cobrança do alemão Petersen, e a decisão ficou nos pés de Neymar. O camisa 10, que já tinha marcado um golaço de falta no tempo normal, bateu com calma e categoria, para definir a vitória brasileira.

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

José Ricardo cobra do Governo do Estado os repasses financeiros para as entidades sociais que estão atrasados.


O deputado estadual José Ricardo (PT) cobrou informações sobre o atraso nos repasses às entidades sociais conveniadas com a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas). Segundo denúncias encaminhadas ao parlamentar, somente alguns pagamentos foram realizados, mas cerca de 15 instituições continuam sem receber e questionam a falta de transparência no processo de liberação dessas verbas.

“São entidades sérias que prestam serviço à população, que têm credibilidade, como a Casa Mamãe Margarida, que atua com crianças e adolescentes em situação de risco social; Fazenda Esperança, que atua com recuperação de dependentes químicos; Apae e Adefa, que atuam com pessoas com deficiência; Sociedade Pestalozzi; Lar Batista Janell Doyle. É um trabalho extremamente importante mas que está prejudicado por esse atraso do repasse financeiro. Estas instituições recebem doações de pessoas físicas, do setor privado, mas o dinheiro do poder público estadual é fundamental para a manutenção de suas atividades, ajudando as pessoas”, expôs.

José Ricardo destacou que apesar do atraso dos repasses para as entidades sociais os aditivos para grandes obras não deixam de aparecer no Diário Oficial do Estado (DOE). “Ao contrário do que governador do Estado afirma, a arrecadação tributária do Estado não diminuiu. Até maio deste ano a arrecadação chegou a R$6,5 bilhões enquanto que no mesmo período de 2015, o montante foi de R$5,9 bilhões. São dados disponíveis no portal da transparência. Então, o mínimo que o estado pode fazer é estar em dia com esses repasses que nem são valores tão altos, porque elas (instituições) cumprem o papel social que estado deveria desempenhar. Tudo é questão de prioridade”, afirmou.

Fonte: Assessoria de Comunicação

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Como a crise na Venezuela e uma acusação de compra de voto azedou a diplomacia Brasil-Uruguai.

Ministro José Serra

A tradicionalmente fluida relação entre Brasil e Uruguai teve estremecimento "inédito" nos últimos dias e gerou "profunda preocupação", na visão de políticos e analistas uruguaios.

O estopim para os uruguaios foi uma visita recente do ministro brasileiro das Relações Exteriores, José Serra, a Montevidéu para conversar com autoridades do Uruguai sobre a Venezuela e o Mercosul.

O bloco está mergulhado em uma crise, arrastando um impasse sobre quem deve liderá-lo até dezembro e dividido sobre questionamentos ao governo venezuelano.

O chanceler uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, disse a deputados e senadores de seu país, na semana passada, que Serra teria tentado "comprar o voto do Uruguai" para isolar a Venezuela no Mercosul - segundo publicou, nesta terça-feira, o jornalEl País, de Montevidéu, citando transcrição das declarações de Novoa no Parlamento.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Robson Conceição é ouro no boxe.

Robson Conceição ganhou a medalha de ouro na Olimpíada no Rio de Janeiro (Crédito: Foto Marcelo Theobald - Agência O Globo)

Robson Conceição não queria ser turista nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Depois de duas eliminações consecutivas em estreias, sua meta era conquistar uma medalha. Uma cobrança não dos outros, mas dele próprio. Ouro, prata, bronze? Não importava.

Recebido com gritos de "o campeão chegou" da barulhenta torcida no Pavilhão 6 no Riocentro, o pugilista de 27 anos venceu o francês Sofine Oumiha nesta terça-feira na final da categoria até 60kg para se tornar o primeiro brasileiro campeão olímpico no boxe.

Ele se junta ao hall de pugilistas nacionais formado por Servílio de Oliveira (bronze em 1968), Esquiva Falcão (prata em 2012), Yamaguchi Falcão e Adriana Araújo (este dois últimos foram bronze em 2012).