quarta-feira, 30 de abril de 2014

Real x Atlético fazem primeira final regional da história da Liga dos Campeões.

Gm1ea2c0e33011724221731
A final da Liga dos Campeões entre Real Madrid x Atlético de Madri, no dia 24 de maio, em Lisboa, não será especial só pelo enfrentamento de dois arquirrivais. O duelo tem uma peculiaridade histórica.
Nunca na história da Champions, que teve início em 1955/1956, ainda com o batismo de Copa dos Campeões, dois times da mesma cidade se enfrentaram numa decisão.
Até hoje, o certame registrou finais entre times do mesmo país em quatro oportunidades. O próprio Real encarou o Valencia, na temporada 1999/2000. Depois, vieram Milan x Juventus, em 2002/2003; Manchester United x Chelsea, em 2007/2008, e, por último, Bayern de Munique x Borussia Dortmund, em 2012/2013.

José Genoino voltar para a cadeia, mas deverá ir para o regime semiaberto


O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Joaquim Barbosa, determinou nesta quarta-feira (30) que o ex-deputado federal José Genoino retorne ao regime semiaberto. Genoino estava em prisão domiciliar desde novembro do ano passado.

Ainda hoje, o ex-presidente do PT deverá ser notificado por um oficial de justiça sobre a decisão de Barbosa. Depois disso, ele tem 24 horas para se apresentar à polícia. Caso não se apresente nesse prazo, ele passa à condição de foragido e, só então, a PF (Polícia Federal) entra em ação para encontrá-lo. 

Genoino foi condenado pelo Supremo a quatro anos e oito meses de prisão em regime semiaberto.

ASSISTENTE SOCIAL E PSICOLOGO NAS ESCOLAS


Representantes dos profissionais de assistência social e dos psicólogos foram recebidos pelo deputado José Ricardo e outros parlamentares na ALE-AM, ontem (29). Os profissionais estavam se mobilizando para evitar o arquivamento pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da PEC nº 03/2012, que prevê a inclusão de assistentes sociais e psicólogos na rede pública de ensino.


As categorias irão promover duas mobilizações em Manaus. A primeira será no dia 1º de maio, às 8h, na Praça da Polícia. E a segunda, no próximo dia 15, Dia do Profissional de Serviço Social, às 8h, na Arena Amadeu Teixeira.

Retrocesso no Egito: 680 são condenados à morte


Pois bem, três anos depois da queda da ditadura Mubarack, pouco mais de meio ano após a deposição de Morsi pelas forças militares, a perseguição dos seus correligionários e dos demais membros da Irmandade Mulçumana escandaliza a comunidade internacional. Mais uma leva de condenados à morte foi anunciada nesta semana, cerca de 680 pessoas, entre elas Mohamed Badie, líder da Irmandade Muçulmana.

A acusação é de que eles participaram de atos violentos durante as manifestações de Minya, em agosto do ano passado. Curiosamente, no mesmo dia, 700 pessoas fiéis a Morsi morriam no Cairo em manifestações. A primeira leva dessas condenações saiu no mês passado e atingiu 529 pessoas. O Tribunal de Minya deu a sentença agora: 37 delas serão mortas e 492 cumprirão prisão perpétua. Quem vai bater o martelo final sobre todas essas sentenças – as de março e as de agora – é o grande Mufti, a autoridade religiosa mais elevada do Egito.

Vejam, até o Movimento 6 de Abril, o principal grupo de jovens que lideraram a revolta contra a ditadura de Mubarak em 2011 – no bolo da Primavera Árabe que varreu várias países da região e alguns poucos da África -, também foram condenados: o movimento foi proibido de existir porque vem promovendo críticas às forças militares no país.

Além dessas condenações, cerca de 1.400 manifestantes foram mortos e mais 15 mil pessoas ligadas a Morsi ou à Irmandade Muçulmana encontram-se atrás das grades.

WALDEMIR JOSÉ APOIA A MANIFESTAÇÃO DOS PROFESSORES


O vereador Waldemir José usou a tribuna da Câmara Municipal de Manaus, nesta manhã, para defender o direito dos professores da rede municipal de ensino à paralisação. Para o parlamentar, a paralisação é legítima considerando que a categoria vem há anos lutando por melhores condições salarial e de trabalho. 

“Não há como afirmar que os profissionais de educação não buscaram negociar seus direitos. É preciso que a Prefeitura dialogue com eles a fim de evitar que os alunos de nossa cidade fiquem sem aula. Espero que a Administração Municipal se sensibilize com causa e atenda às reivindicações justas da categoria”, disse Waldemir.

Cerca de três mil professores fazem passeata no Centro e fecham terminal da Matriz


Aproximadamente três mil professores das redes Municipal e Estadual de ensino realizaram, na manhã desta quarta-feira (30), uma passeata no Centro de Manaus para reivindicar direitos trabalhistas. O percurso iniciou da Praça do Congresso e chegou a fechar o terminal da Matriz durante 20 minutos.

A ação é promovida pela Associação Movimento de Luta dos Professores de Manaus (Asprom). De acordo com o presidente Lambert Melo, o movimento é advertência.

A paralisação prejudicou as aulas em escolas do Estado e do Município. A rede municipal de ensino já estuda fazer reposição das aulas aos sábados.

“Este é o segundo dia de paralisação, nosso objetivo é dar um recado ao governador José Melo. Pedimos a ele que nos ouça e conceda o direito de negociação a nossas reivindicações. Já conversamos com o Chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, para intermediar uma conversa com Melo até sexta-feira (3)”, disse o presidente.

Os servidores municipais reivindicam a aprovação do plano de cargos, carreiras e salários (PCCS), além do cumprimento das horas de trabalho pedagógico (HTP).

Já os professores da rede estadual protestam para conseguir a aprovação da proposta de lei para a implantação do vale transporte, ticket alimentação, plano de saúde, eleições diretas para diretores, 20% de reajuste salarial para categoria, entre outros.

Lambert também falou sobre o atraso do dissídio coletivo da categoria que está atrasado e a omissão do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam).

"Todo ano eles atrasam. Fizemos uma carta para a sociedade apelando a aprovação de nossas reivindicações. O sindicato é omisso e não nos representa", completou.

Na segunda-feira (28), o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam), Marcus Libório, manifestou-se contrário a uma ameaça de greve feita por um grupo de professores que se diz independente do Sinteam.

Conforme informações do chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, governo do Estado encaminhará hoje para Assembleia Legislativa do Estado (ALE) os projetos de lei que tratam das datas-base dos servidoresda Educação, com aumento de 8,62%. 

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) informou que está em negociação com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam). Sobre a data base dos professores, o responsável pelas finanças da Prefeitura de Manaus está estudando a melhor proposta possível para a categoria.

Para não causar nenhum prejuízo aos alunos, os pedagogos, os gestores e os coordenadores do programa Mais Educação foram orientados a realizar atividades extraclasse na quadra de esportes, biblioteca, refeitórios e em outras áreas da unidade de ensino onde o professor não comparecer. Caso necessário, as aulas serão repostas aos sábados.

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informou por meio de um comunicado que o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) é o órgão legítimo de representação dos educadores do Estado e, com ele, vem estabelecendo uma agenda intensa de reuniões discutindo propostas de melhorias para a classe, das quais muitas já foram viabilizadas como a revisão completa do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração da Seduc.

Sobre a paralisação ocorrida no dia de hoje, a Seduc informou que de suas 242 escolas na capital, 21 delas tiveram suas atividades interrompidas no período matutino por conta da ausência de professores.

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/amazonas/cerca-de-tres-mil-professores-fazem-passeata-no-centro-e-fecham-terminal-da-matriz/111269

Caseiro é preso por suspeita de participação na morte do coronel Malhães

Foto de arquivo de 25/03/2014 do coronel reformado Paulo Malhães, de 76 anos, durante depoimento à Comissão Nacional da Verdade, no centro do Rio de Janeiro, sobre a Casa da Morte, centro clandestino de tortura que funcionou em Petrópolis, na Região Serrana do Estado do Rio, nos anos 70. Malhães contou recentemente em depoimento à Comissão Estadual da Verdade do Rio que foi o responsável por sumir com o corpo do ex-deputado Rubens Paiva. Ele também detalhou os métodos para se livrar dos presos políticos mortos no local sob tortura. Malhães foi encontrado morto nesta manhã no sítio em que morava em Nova Iguaçu (cidade na Baixada Fluminense). O corpo apresentava marcas de asfixia, segundo a Polícia Civil.

Policiais da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense prenderam ontem (29) Rogério Pires, caseiro do sítio onde morreu o coronel reformado do Exército, Paulo Malhães, 76 anos, na semana passada. De acordo com a Polícia Civil, Rogério foi preso logo após prestar depoimento na especializada. Contra ele foi cumprido mandado de prisão temporária, expedido pela Justiça, pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte).

Em depoimento, Rogério confessou ter participado do crime, ocorrido na última quinta-feira (24), no sítio do coronel, na área rural de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, depois que a polícia identificou várias contradições entre o primeiro depoimento prestado na última sexta-feira (25), após o crime, e o depoimento de hoje .

A morte do militar, ocorrida durante invasão ao imóvel rural, no entanto, pode ter sido por infarto, segundo documento emitido para o sepultamento. 

Não foram divulgados pela polícia detalhes sobre as informações do depoimento que explicam como ocorreu a morte de Malhães. Ontem, Rogério e a viúva do militar, Cristina Batista Malhães, foram ouvidos na delegacia. Além deles, três filhos do coronel também prestaram depoimento.

Em interrogatório prestado à Comissão Nacional da Verdade no dia 25 do mês passado, Malhães, que atuava sob o codinome de Pablo, confessou crimes cometidos na chamada Casa da Morte de Petrópolis - um dos centros de tortura do regime militar. Por isso, a entidade teme que possa ter havido crime de vingança. O coronel disse no dia que não revelaria nomes de companheiros porque implicaria "uma série de outra sanções". Ao ser questionado se essas sanções seriam vingança, ele responde afirmativamente. "Não em mim, nos meus filhos".

No testemunho à Comissão da Verdade, Malhães deu sua versão sobre a operação do Exército para desaparecer com os restos mortais do deputado federal Rubens Paiva. Informou também que agentes do CIE mutilavam corpos de vítimas da repressão assassinadas em Petrópolis, arrancando suas arcadas dentárias e as pontas dos dedos para impedir a identificação.Movimentos sociais e entidades governamentais querem a criação de um centro de memória no local da antiga Casa da Morte.

terça-feira, 29 de abril de 2014

O nefasto racismo nos estádios de futebol


Em artigo hoje, na Folha, “Banana é bom e faz crescer”, o historiador e escritor Joel Rufino dos Santos analisa o gesto do jogador brasileiro do Barça (Barcelona) Daniel Alves, vítima de racismo em campo na Europa, no último domingo.

Joel Rufino lembra que, após 125 anos de fim de escravidão no Brasil (1889) – último país do mundo a aboli-la -, manifestações de racismo ainda explodem nos estádios brasileiros, citando os exemplos recentes da agressão da torcida do Mogi ao meia Arouca do Santos e de um juiz no Rio Grande do Sul.

Desde que futebol virou profissão jogadores negros têm sido hostilizados

“Desde que o futebol virou uma profissão, lá por 1930, grandes craques negros – um Fausto, um Jaguaré, um Valdemar, um Leônidas, um Zizinho, um Pelé – e pequenos, cujo número é infinito, foram hostilizados e prejudicados pelo racismo”, relaciona o historiador.

Ele lembra, ainda, que o racismo “antinegro e anti-índio, é uma das colunas da formação brasileira” e que ele se encontra em todas as formas na sociedade brasileira – “o preconceito, mais brando, a discriminação, mais eficaz, o racismo propriamente dito, estrutural, que organizou as nossas relações de trabalho, nossos hábitos, nossa moral pública”.

Os professores da rede pública de ensino estão se mobilizando desde ontem, nas ruas de Manaus, reivindicando 20% de reajuste salarial, direitos trabalhistas básicos, como auxílios transporte e alimentação, plano de saúde, Hora de Trabalho Pedagógico (HTP), e o deputado José Ricardo ratificou hoje (29) seu apoio à luta da categoria, na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM).

A data-base para reajuste salarial da categoria foi no mês de março, mas como o governo estadual até o momento não enviou para a ALE-AM nenhuma proposta, os professores já iniciaram a greve anunciada desde o início de abril, caso seus pleitos não fossem atendidos.

“Além do salário totalmente defasado, os professores não recebem nem ao menos auxílios básicos para garantir o mínimo de qualidade de vida a eles, já que, tem de se deslocar de uma escola para outra”, expôs.


Projeto de remanejamento de R$9,4 mi dos professores é retirado

O deputado voltou a cobrar hoje a retirada do projeto de lei nº 106/2014 enviado pelo Governo do Estado à ALE-AM, que autoriza a retirada de R$9,4 milhões das ações de ‘Valorização dos Profissionais da Educação’ e ‘Fortalecimento da Gestão Escolar’ para pagamento de água, luz, telefone e esgoto da secretaria. Ele ressaltou que esse projeto demonstra a inversão de prioridade na gestão da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Assim que a proposta chegou à Casa, José Ricardo cobrou do governador a retirada do projeto, via ofício, e também apresentou um emenda propondo que o valor fosse extraído da reserva de contingência, e não dos professores. “A qualidade na educação passa diretamente pela valorização do professor que está dia após dia lidando com os alunos em sala de aula. Qualquer estado que pretende se desenvolver prioriza a educação”, disse.

Durante o pronunciamento de deputado, o líder do governo, deputado Sinésio Campos (PT), informou em plenário que o governador já autorizou a retirada do referido projeto.

Waldemir pede celeridade no PEL que faculta aos estudantes o pagamento em dinheiro na catraca dos ônibus


Em virtude das constantes reclamações a respeito das grandes filas para compra de recarga do Cartão Cidadão e do Passe Estudantil, o vereador Waldemir José (PT) solicitou à Mesa Diretora da Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã desta terça-feira (29), celeridade na tramitação do Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município de Manaus (Loman) nº 010/13, de sua autoria, que faculta aos estudantes da rede estadual, municipal e particular de ensino o pagamento da meia-passagem em dinheiro nas catracas dos ônibus. O vereador anunciou, também, que fará fiscalização nos pontos de vendas de recargas para averiguar a situação de perto. 

De acordo com Waldemir, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) possui 11postos que atendem diariamente 20 mil pessoas. O problema é que, em virtude das constantes panes no sistema, os usuários chegam a passar cerca de 5 horas na fila para recarregar seus cartões. 

“Essa situação não pode continuar. Há uma grande lentidão na venda de recarga que atrapalha a vida da população que está adiantando recursos para as empresas. É preciso que a Prefeitura esteja atenta e torne o sistema mais eficiente”, disse o parlamentar. 

Waldemir José defendeu a melhoria imediata desse atendimento, tendo em vista que, de um milhão de usuários diários do transporte público em Manaus, 46,92% já adotaram o sistema de bilhetagem eletrônica para pagamento da tarifa e outros 45,22% ainda recorrem ao dinheiro todos os dias, enquanto que 7,86% são isentos de pagamento. Além disso, mais de 213 mil estudantes estão habilitados no Passa-Fácil, portanto com o atual sistema de vendas precário o transtorno na hora da compra será inevitável. 

Nesse sentido, para melhoria de atendimento aos usuários do transporte público o vereador petista solicitou celeridade na tramitação e aprovação de seu projeto e sugeriu à Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara (Comdec/CMM) que fiscalize a venda de recarga nos postos do Sinetram.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Lula: “Eu vou ser cabo eleitoral da Dilma, vou pra rua fazer campanha pra Dilma”


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu entrevista a TV Portuguesa RTP, divulgada no domingo (27) no site do Instituto Lula. Entre os vários assuntos abordados durante a entrevista de 40 minutos a emissora, Lula diz em alto e bom som: "Eu vou ser cabo eleitoral da Dilma, vou pra rua fazer campanha pra Dilma".

Ele também falou sobre os 40 anos da Revolução dos Cravos, a crise econômica na Europa, a Copa do Mundo no Brasil, seu trabalho para o combate à pobreza na África e os últimos 11 anos de governo no Brasil: "Nós não vamos conseguir resolver em 11 anos as mazelas de 5 séculos. O dado concreto é que avançamos de forma extraordinária."

Praciano e José Ricardo pedem que o TJAM crie Câmara Especial para julgar crimes de corrupção

Foto: *Praciano e José Ricardo pedem que o TJAM crie Câmara Especial para julgar crimes de corrupção
Presidente da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, o deputado federal Francisco PRACIANO (PT-AM), esteve hoje pela manhã visitando a presidente eleita do Tribunal de Justiça do Amazonas, desembargadora Maria das Graças Figueiredo. 
Acompanhado do deputado estadual José Ricardo, a visita teve o objetivo de parabenizar a eleição da desembargadora e sugerir a criação de uma Câmara Especial para julgar crimes de corrupção no Amazonas.
Na reunião, Praciano demonstrou a necessidade de criação de varas, câmaras e turmas especializadas em julgar casos de corrupção, improbidade administrativa e crimes contra a administração pública, com objetivo de acelerar o andamento dos processos de desvio de dinheiro público. “Hoje, temos 60 milhões de processos. Se os crimes de corrupção entram na mesma fila, estamos mortos”, diz Praciano. 
Ele também defendeu a proposta que tornam hediondos os crimes do colarinho branco. Assim, as penas seriam maiores e a possibilidade de cumprir a sentença em liberdade seria reduzida.
Praciano lembrou da PEC 329, de sua autoria, que prevê o fortalecimento da fiscalização dos recursos públicos do país, retirando das mãos do governador a indicação de conselheiros de contas. “A indicação política acaba com o notável saber e a conduta ilibada. Há falta de independência dos conselheiros para julgar as contas de quem o nomeou”, disse o deputado.
O deputado lembrou ainda que a maioria dos 189 conselheiros e ministros de contas é formada por ex-vereadores, ex-secretários e demais ex-autoridades. “O fiscalizado não pode indicar o seu fiscal. Raposa não pode administrar galinheiro”, diz Praciano.
A desembargadora Graça Figueiredo prometeu priorizar os julgamentos de crimes de corrupção e realizar estudos para viabilizar uma Câmara Especial para julgar crimes de contra a administração pública.  
Contato:
ROBERTO AZEDO
Assessor de Comunicação
Presidente da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, o deputado federal Francisco PRACIANO (PT-AM), esteve hoje pela manhã visitando a presidente eleita do Tribunal de Justiça do Amazonas, desembargadora Maria das Graças Figueiredo.
Acompanhado do deputado estadual José Ricardo, a visita teve o objetivo de parabenizar a eleição da desembargadora e sugerir a criação de uma Câmara Especial para julgar crimes de corrupção no Amazonas.
Na reunião, Praciano demonstrou a necessidade de criação de varas, câmaras e turmas especializadas em julgar casos de corrupção, improbidade administrativa e crimes contra a administração pública, com objetivo de acelerar o andamento dos processos de desvio de dinheiro público. “Hoje, temos 60 milhões de processos. Se os crimes de corrupção entram na mesma fila, estamos mortos”, diz Praciano.
Ele também defendeu a proposta que tornam hediondos os crimes do colarinho branco. Assim, as penas seriam maiores e a possibilidade de cumprir a sentença em liberdade seria reduzida.
Foto: COMBATE À CORRUPÇÃO!
Participando de reunião com o deputado Praciano e a presidente eleita do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, para parabeniza-la pela eleição e pedir a criação de uma Câmara Especial para julgar crimes de corrupção no Amazonas.
Praciano lembrou da PEC 329, de sua autoria, que prevê o fortalecimento da fiscalização dos recursos públicos do país, retirando das mãos do governador a indicação de conselheiros de contas. “A indicação política acaba com o notável saber e a conduta ilibada. Há falta de independência dos conselheiros para julgar as contas de quem o nomeou”, disse o deputado.
O deputado lembrou ainda que a maioria dos 189 conselheiros e ministros de contas é formada por ex-vereadores, ex-secretários e demais ex-autoridades. “O fiscalizado não pode indicar o seu fiscal. Raposa não pode administrar galinheiro”, diz Praciano.

A desembargadora Graça Figueiredo prometeu priorizar os julgamentos de crimes de corrupção e realizar estudos para viabilizar uma Câmara Especial para julgar crimes de contra a administração pública.
Fonte: Assessoria de Comunicação  

Superação: catadora de latinhas realiza sonho de passar em concurso público


Marilene sustentava a família com o dinheiro que conseguia como catadora de latinhas. Mas sua vontade de vencer na vida não a abandonou. Aos 30 anos, ela resolveu fazer um concurso para o Tribunal de Justiça. Graças a ajuda de amigos, Marilene conseguiu o dinheiro da inscrição e chegou a estudar 12h por dia, com uma apostila emprestada, para fazer a prova e ser aprovada. 12 anos depois, a ex-catadora de latinhas, incentiva os amigos a investirem na educação.

Assista o vídeo em: http://noticias.r7.com/videos/superacao-catadora-de-latinhas-realiza-sonho-de-passar-em-concurso-publico/idmedia/535db35c0cf22f1c96831733.html

Presidente Municipal do PT diz que não vai obedecer decisão da Estadual

Vital Melo

A decisão de colocar os cargos à disposição do Governador José Melo, tomada por 48 membros do diretório estadual do Partido dos trabalhadores (PT-AM), foi vista pelo presidente municipal da legenda em Manaus, Vital Melo, como atitude intempestiva e precipitada.

O dirigente do PT de Manaus, afirma que a base do partido não foi consultada e, sequer, ouvida a respeito da decisão minoritária e sem atribuições sobre o tema.

Vital garante que não vai obedecer uma votação sem legitimidade. De acordo com ele, é o Congresso dos Delegados, que ainda não tem data para acontecer, que vai definir a direção que o PT vai tomar nessas eleições 2014.

Para o presidente do Diretório Municipal Manaus, o que aconteceu no sábado, na reunião diretoriana do PT do Amazonas, foi um arremedo de poder. “Quem decide são os delegados, alinhados com as orientações do Diretório Nacional. Mas a última palavra é do Congresso de Delegados eleitos no Ultimo PED”, apontou.

Como militante histórico do PT no Amazonas, Vital Melo, diz que não vai permitir que o partido seja conduzido por “cartolas. “Historicamente, o PT tem mantido a prerrogativa das decisões coletivas, diferente do que vem acontecendo no Amazonas, onde dois ou três membros estão negociando posições em outras legendas, sem antes passar pela base do Partido”, atira.

Por outro lado, Vital disse que a posição da direção estadual é de desagregação. “Parece que estão lidando com adversários políticos”, deduz. Para ele, o Governador José Melo, assim como o ex-governador Omar Aziz, sempre se mostram parceiros do partido no Amazonas e das ações do Governo Federal. “As conversar com outros partidos da base aliada, não é motivo para rupturas entre o Pros, o PSD e o PT”, conclui.

O governador José Melo tem se mostrado disposto a dar total apoio a reeleição da presidenta Dilma e, isso, é o bastante para o presidente do diretório municipal decidir. “Vou esperar a reunião que o governador terá com a presidenta Dilma, em Brasília, para tomar qualquer decisão a respeito do assunto coligação”, finalizou.

Fonte: http://www.blogdafloresta.com.br/presidente-municipal-pt-diz-que-nao-vai-obedecer-decisao-da-estadual/

FIM DA GREVE DOS PRAÇAS DA PM DO AMAZONAS APÓS ACORDO COM O GOVERNO.

A concentração dos soldados iniciou a meia noite em frente a Arena Amadeu Teixeira, e continuou pela manhã desta segunda-feira (28)

Após uma reunião com o governador do Estado, José Melo, na manhã desta segunda-feira (28), os líderes da greve da Polícia Militar (PM), deflagrada na noite de domingo, decidiram encerrar a paralisação.

A decisão veio após um acordo firmado com Melo, que se comprometeu em atender as principais demandas dos manifestantes. De acordo com a ata da reunião, foram cinco reivindicações, todas relacionadas às condições de trabalho dos agentes.

O encontro ocorreu no Palácio do Governo, na Compensa, Zona Oeste de Manaus, e envolveu o secretário de Segurança, Paulo Roberto Vital, o chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, os representantes da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), Platiny Soares e Gerson Feitosa, e lideranças do CPE, CPI e COM.

Representantes do movimento grevista em reunião com Raul Zaidan, da Casa Civil, para tratar da mudança na lei sobre promoções na carreira

Uma das principais reivindicações é a mudança na lei de progressão da carreira. Em sua forma atual, ela não possui regras claras para determinar a promoção de soldados e oficiais. Embora haja concursos para formação de, por exemplo, cabos ou tenentes, eles não são garantia de promoção para o cargo, e nem a qualificação em universidades ou cursos de disciplinas militares. A questão há muito tempo é motivo de insatisfação na PM.

Outras demandas tratadas na reunião foram a implantação do Código de Ética da corporação, a regulamentação da Gratificação por Trabalho Extra (GTE), a mudança na escala de serviços e a implantação de Auxílio Moradia e Auxílio Alimentação.

O governador deu um prazo de 90 dias para efetuar as mudanças. Melo também deixou claro que a manifestação foi legítima, e que não haverá qualquer punição para os envolvidos. Após o encontro, a comissão da PM teve uma reunião de trabalho com o secretário da Casa Civil, Raul Zaidan, para tratar das mudanças. Uma série de reuniões será agendada para dar continuidade ao cumprimento das reivindicações, com a primeira marcada já para esta terça (29).

Fonte: http://acritica.uol.com.br/noticias/Greve-PM-Amazonas-encerrada-proximas_0_1128487151.html

domingo, 27 de abril de 2014

Encontrado corpo de estudante que havia desaparecido nas águas do rio Amazonas.

O corpo foi encontrado por mergulhadores do Corpo de Bombeiros, boiando a cerca de 200 metros da orla da cidade – foto: divulgação

O corpo do estudante Marcos Vinicius Gonzaga da Silva, 15, que despareceu no rio Amazonas, no município de Itacoatiara (distante 177 quilômetros de Manaus), última quinta-feira, 24, foi encontrado por volta das 15h30 de ontem (26), boiando próximo a um flutuante localizado a cerca de 200 metros da orla da cidade.

O adolescente sumiu quando brincava no local com outros estudantes, após serem liberados de uma gincana na quadra da escola onde estudavam, por conta de uma forte chuva que caiu na cidade. O menino não sabia nadar.

O corpo de Marcos foi localizado pela equipe do Corpo de Bombeiro do Amazonas, que contava com dois mergulhadores de Manaus e um de Itacoatiara. O trabalho de buscas também contou com o apoio da Polícia Militar, Marinha do Brasil e de voluntários.

Por conta da fatalidade, a prefeitura de Itacoatiara cancelou a programação que estava acontecendo por conta dos 140 anos do município.

Fonte: http://www.emtempo.com.br/editorias/dia-a-dia/16995-encontrado-corpo-de-estudante-que-havia-desaparecido-nas-%C3%A1guas-do-rio-amazonas.html

Com ameaça de greve, PMs faltam e secretaria executa plano de contingência.


O comandante geral da Polícia Militar do Amazonas, coronel Almir David Barbosa, afirmou que a corporação colocou em prática um plano de contingência para suprir faltas em diversas Companhias Interativas Comunitárias (Cicoms), na tarde deste domingo (27). 

O problema ocorreu no segundo turno do Programa Ronda no Bairro, que começa às 15h, disse Almir David. Segundo ele, não houve prejuízos com as faltas. “Os policiais de funções administrativas e dos Comandos de Policiamento Especializados (CPEs) foram acionados, e conseguiram suprir essa falta”, disse. Os CPEs são formados pelo Canil, Ronda Ostensiva Candido Mariano (Rocam) e Cavalaria.

Almir David afirmou que os policiais que faltaram ao trabalho vão responder a um processo administrativo e que deverão repor as horas não trabalhadas. Além disso, o coronel afirmou que uma investigação será realizada para averiguar se essas faltas fizeram parte, de alguma forma, de um ato de greve. “Se confirmado isto, esse praça vai responder por crime militar e pode até ser expulso da corporação”, disse.

As assessorias de comunicação da Polícia Militar e do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) não souberam informar quantas faltas foram registradas no segundo turno do Programa Ronda no Bairro, neste domingo.

Por volta das 16h da tarde, o supervisor de área da 26ª Cicom, tenente Diego Paiva, registrou problemas de faltas no local. “Quem está entrando agora às 15h não veio. Registrei 8 faltas, mas consegui colocar dois policiais na rua, porque estavam em regime de plantão”, disse. O tenente afirmou que não pode dizer se esses soldados estão em greve. “Eles faltaram serviço. Se estão de greve ou não, eles não informaram”, afirmou.

A equipe de reportagem percorreu algumas Cicoms. Na 5ª companhia, o supervisor de área, identificado apenas como sargento Santos, informou que registrou 4 faltas. Na 15ª companhia, o tenente Santos Correa afirmou que o turno começou sem nenhuma falta.

Na 3ª Cicom, não houve faltas registradas, segundo o tenente Jailson Souza. A companhia atende os bairros Japiim, Petrópolis e Raiz, localizados na zona sul de Manaus.

“Estamos com 24 viaturas, o Comando de Policiamento de Área (CPA) Sul está a postos para qualquer situação nas ruas. Ainda não foi registrada qualquer tipo de ocorrência”, afirmou o tenente, que não soube precisar a quantidade de policiais que estão nas ruas. 

Almir David afirmou que o trabalho de um praça é ocupar as viaturas e postos na rua, fazendo o patrulhamento em cada área da cidade.

Pátio da 26ª Cicom tinha viaturas paradas.

De acordo com a tabela de gratificação dos praças, um soldado em início de carreira, pode ganhar R$ 3,300,23 e pode chegar a R$6.787,06 como sargento no final da carreira.

O coronel Aroldo Ribeiro, lotado no Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), negou que as viaturas estejam paradas por uma possível paralisação dos policiais. “Houve algumas faltas, mas o policiamento foi reposto para atender a demanda da população. Não há viaturas paradas nas Cicoms, se estão paradas é por algum problema mecânico”, afirmou.

Ribeiro também afirmou que até às 18h, deste domingo, 169 viaturas das companhias estavam nas ruas e que a população também conta com o apoio de policiais da Rocam, Força Tática e Força Tarefa.

Para o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Paulo Roberto Vital, a greve, se ocorrer, é uma irresponsabilidade. "Se eles não forem eu trabalhar, eu vou. Não é 100% do efetivo que vai aderir. E acredito que a sociedade paga muito bem para não aconteça essa greve", disse.

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/amazonas/com-ameaca-de-greve-pms-faltam-e-secretaria-executa-plano-de-contingencia/111110

Centenas de milhares veem dois papas serem proclamados santos no Vaticano

Papas João XXIII, João Paulo II governaram a Igreja Católica no século XX

O papa Francisco proclamou seus antecessores João XXIII e João Paulo II como santos na frente de mais de meio milhão de peregrinos neste domingo, saudando ambos como homens corajosos que resistiram às tragédias do século XX.

Gritos e aplausos ecoaram em toda a Praça de São Pedro depois da histórica dupla canonização papal, com muitos na multidão fixando o olhar em enormes tapeçarias dos dois papas na fachada da basílica, atrás do papa Francisco.

"Nós declaramos e definimos como beatos João XXIII e João Paulo II e os incluímos entre os santos, decretando que sejam venerados como tais por toda a Igreja", disse Francisco em sua proclamação formal em latim.

Relíquias de cada um dos ex-papas - um recipiente com sangue de João Paulo II e com a pele de João XXIII - foram colocados perto do altar.

O fato de que dois homens que são amplamente vistos como faces contrastantes da Igreja estejam sendo canonizados contribui para a importância de um evento que o papa Francisco espera que irá aproximar os 1,2 bilhão de católicos no mundo, depois de uma série de escândalos financeiros e sexuais.

O ex-Papa Bento XVI também participou da missa. No ano passado, ele se tornou o primeiro pontífice em seis séculos a renunciar.

Seu comparecimento conferiu à cerimônia uma certa atmosfera surreal, num evento que contou com a presença de um papa, um papa aposentado e dois papas já falecidos e enterrados na basílica. O papa Francisco cumprimentou Bento XVI duas vezes durante a cerimônia.

SÉCULO TRÁGICO

"Estes foram dois homens de coragem ... e deram testemunho diante da Igreja e do mundo da bondade e misericórdia de Deus", afirmou Francisco em seu discurso. 

"Eles viveram os trágicos acontecimentos do século (XX), mas não foram oprimidos por eles. Para eles, Deus era mais poderoso, a fé era mais poderosa", acrescentou.

João XXIII, que foi papa entre 1958 a 1963 e convocou a modernização no Concílio Vaticano II, viveu duas guerras mundiais.

João Paulo II, cujo papado durou quase 27 anos, testemunhou a devastação da sua terra natal na Segunda Guerra Mundial, sendo reconhecido por muitos pela ajuda ao fim da Guerra Fria e derrubada do comunismo.

Enquanto ambos foram amplamente reverenciados, também houve críticas acerca da rápida canonização de João Paulo II, que morreu apenas nove anos atrás.

Grupos que representam vítimas de abuso sexual por padres católicos também disseram que ele não fez o suficiente para erradicar um escândalo que surgiu no final do seu pontificado e que tem pairado sobre a Igreja desde então.

A controvérsia, no entanto, não afastou os fiéis católicos. O Vaticano disse que mais de 500 mil pessoas lotaram a área da basílica enquanto outro 300 mil assistiram ao evento em grandes telas de TV por toda Roma.

João XXIII, um italiano muitas vezes conhecido como o "Papa Bom" por causa de sua amigável personalidade, morreu antes do Concílio Vaticano II encerrar seus trabalhos em setembro de 1965. Mas sua iniciativa deu início a uma das maiores reformulações da Igreja nos tempos modernos.

O Conselho acabou com o uso do latim na missa, trouxe o uso da música moderna e abriu o caminho para os desafios à autoridade do Vaticano.

Já João Paulo II continuou muitas das reformas, mas apertou o controle central, condenou teólogos renegados e pregou uma linha mais rigorosa sobre questões sociais, como a liberdade sexual.

Um papa carismático, ele foi criticado por alguns como um rígido conservador, mas a adoração pública que despertou foi mostrada por multidões, cujos gritos de "santo subito!" (santo já) em seu funeral em 2005 foram respondidos com a mais rápida declaração de santidade da história moderna.

Fonte: http://acritica.uol.com.br/noticias/Centenas-milhares-proclamados-santos-Vaticano_0_1127887209.html

DANIEL ALVES: Beijinho no ombro para o racismo


Daniel Alves deu uma bela resposta para torcedores racistas neste domingo. Na vitória de virada do Barcelona por 3 a 2 sobre o Villarreal, uma banana foi arremessada no brasileiro no momento em que ele iria cobrar um escanteio. O lateral não se intimidou, descascou e comeu a fruta. Em seguida, cobrou o escanteio.

O caso não é novidade. Em 29 de março, torcedores do clube catalão Espanyol imitaram macacos e jogaram uma casca de banana no campo na tentativa de ofender os jogadores brasileiros Neymar e Daniel Alvesl. A partida, vencida pelo Barça, foi no estádio Cornellà-El Prat, do Espanyol.

Daniel Alves já declarou que sofre com o racismo desde que começou a jogar na Espanha. Ele também já foi alvo de ofensas racistas ao jogar contra o Real Madrid. Ao responder perguntas sobre o assunto, em 2013, disse ser algo comum. “Infelizmente é uma guerra perdida até que se tomem medidas mais drásticas”, afirmou.

Além da bela resposta, o brasileiro também foi bem na partida. Ele participou de dois dos três gols do Barcelona neste domingo.


VEJA O VÍDEO

MPF cobra relatório sobre estágio de obras da Copa

A ampliação dos aeroportos foi um dos pontos cobrados pelo Ministério Público Federal – foto: Alberto César Araújo

Preocupado com a mobilidade urbana durante a Copa do Mundo, o Ministério Público Federal deu prazo de 20 dias para que os governos dos 12 Estados que irão sediar jogos informem o atual andamento e a viabilidade de entrega das obras relacionadas ao transporte antes do início do evento.

No último dia 23 de abril, também foram enviados ofícios para que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Secretaria de Aviação Civil (SAC) e a Secretaria Especial de Portos (SEP) informem as medidas adotadas em relação à fiscalização.

Os ofícios são assinados pelo coordenador do Grupo de Trabalho de Transportes da 3ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF (consumidor e ordem econômica), Thiago Lacerda Nobre.

O GT decidiu enviar os ofícios para garantir a preservação do direito dos consumidores de serviços de transporte durante o período da Copa e prevenir eventuais transtornos causados em razão do aumento significativo de passageiros, notadamente estrangeiros. Também considerou a necessidade de monitorar as políticas públicas para garantir a implementação das medidas necessárias.

No ofício enviado, Thiago Nobre lembra que, embora estejamos a menos de 100 dias do início do evento, uma série de obras relacionadas ainda não foram concluídas, como a ampliação do terminal de passageiros do porto de Santos e ampliação dos aeroportos das cidades-sede. Os Estados que irão sediar os jogos da Copa são Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Amazonas, Ceará, Paraná, Mato Grosso, Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Aos governos desses Estados, o coordenador do GT requisita planilha detalhada com a relação completa de obras, bem como o percentual de conclusão e de previsão de entrega, informações sobre as medidas adotadas em relação à fiscalização das obras e as medidas tomadas para permitir a adequada recepção do grande fluxo de turistas estrangeiros (pontos de informação turística, sinalização da cidade etc.).

Fonte: http://www.emtempo.com.br/editorias/dia-a-dia/16980-mpf-cobra-relat%C3%B3rio-sobre-est%C3%A1gio-de-obras-da-copa.html

No Amazonas, só 8,2% dos eleitores são filiados a partidos

A última atualização do TSE aponta que, até este mês, o número aumentou em 7.213 mil eleitores.

Do total de 2.209.648 milhões de eleitores do Estado, apenas 181.302 mil são filiados a partidos políticos, o equivalente a 8,2%. Apesar do número ainda ser baixo frente ao total do eleitorado, de 2004 para 2014 o número de filiações a partidos políticos no Amazonas aumentou mais de 145,79%.

No último dia 14 deste mês, foi encerrado o prazo para que os partidos políticos enviassem ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a lista atualizada de filiações.

Até dezembro de 2013, as siglas perderam quase 2 mil filiados. Em compensação, a última atualização do TSE aponta que até este mês, o número aumentou em 7.213 mil eleitores. 

Em 2004, 73.761 eleitores eram filiados a partidos. Até abril deste ano, o número aumentou para 181.302. Mas no ano passado em relação a 2012, os partidos perderam 1.884 filiados.

No período analisado, o crescimento sempre foi mais de 10 mil filiados. O menor aumento foi de 2010 para 2011, quando os partidos ganharam apenas 10.983 filiados. Nas últimas eleições municipais de 2012, os partidos ganharam 17.875 filiados a mais que o ano anterior, quando era registrado a filiação de 158.098 pessoas.

Quando comparado o crescimento dos filiados de uma eleição para a outra, os números mostram que de 2004 para 2008 o aumento foi de 61.681 filiados. Das eleições municipais de 2008 para 2012, o aumento foi de apenas 49.494 filiados.

O PMDB tem o maior número de filiados no Brasil, mas quando analisado os eleitores filiados no Amazonas, o PCdoB é o que mais possui filiados, com um total de 20.715 militantes contra 12.475 do PMDB. Em segundo lugar, aparece outra sigla histórica, o PT com 16.354 filiados no Amazonas. Desde 2010, o PMDB no Amazonas não saiu da faixa de 12 mil filiados. Em 2010, o partido apresentava um número de 11.028 filiados e até este mês o número aumentou apenas 1.447.

Apesar do PCdoB ter mais filiados no Estado, o partido só possui um deputado estadual, Wilson Lisboa, e nenhum vereador, em Manaus. Apenas uma representante no Senado Federal, que é Vanessa Grazziotin. Já o PSD com menos de três anos de criação e apenas 3.687 filiados, no Amazonas, possui quatro deputados estaduais que são, Josué Neto, Ricardo Nicolau, Fausto Souza e David Almeida e cinco vereadores, Luis Mitoso, Hiram Nicolau, Dr. Gomes, Glória Carrate e Isaac Tayah.

No período analisado pela reportagem, a sigla que mais perdeu militantes filiados foi o PCB. Em 2010, o partido possuía 1.037 filiados e atualmente possui apenas 939.

Os que menos cresceram em dez anos foram, PSTU, PMDB, PV, PHS e o PCO. Este último nunca passou dos 190 filiados, no Amazonas, e de acordo com a última atualização do TSE, o número diminuiu para 164. Os que mais tiveram filiações são, o PTC e o PSOL. Em 2010, o PTC tinha 2.637, atualmente, tem 4.773 filiados. O PSOL saiu de 669 para 1.117.

Filiações amarram eleitores

Para o sociólogo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Gilson Gil, a filiação é uma demonstração de força. “A filiação é a busca de novas adesões na sociedade. Os partidos geralmente buscam grupos como Sindicatos, Movimentos Estudantis e Associações. A filiação amarra a pessoa ao partido e impede que ela apoie outro partido”, explicou.

Gilson destacou que as filiações não têm mais o significado que tinham nos anos de 1980.

Partidos menores têm mais prefeitos

Os partidos políticos no Amazonas que possuem mais filiados, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não são os mesmos que têm mais prefeitos no interior. Um exemplo, é o PSD que tem somente 3.687 filiados no Amazonas e detém o maior número de prefeituras. O PSD está no comando de 24 municípios, dos 61 do interior do Estado.

Já o PMDB, o partido com mais filiados no Brasil, está em segundo lugar quando se trata de prefeituras no Amazonas, com apenas 16 delas.

O PcdoB, que há três anos possui o maior número de filiados no Amazonas, tem no comando apenas duas prefeituras, as dos municípios de Japurá e São Gabriel da Cachoeira.

Sobre a baixa representatividade de partidos com mais filiados em prefeituras, como o PCdoB e o PT, o sociólogo Gilson Gil, explica que, eles têm força por possuírem cargos em ministérios e secretarias nacionalmente. “Esses partidos apresentam vantagens aos seus filiados, pois estão no poder”, disse.

Apenas quatro prefeitos no Amazonas pertencem ao PT. Os municípios são, Amaturá, Maués, Nova Olinda do Norte e Novo Airão.

Para o sociólogo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marcelo Seráfico, as alianças firmadas entre os partidos levam os eleitores a votar unicamente por causa do ‘nome do candidato’ e não mais analisando a qual partido o candidato pertence.

“Os partidos estabelecem alianças que seguem exclusivamente a lógica eleitoral e não mais a ideológica como antes.Ao seguir orientação nacional eles acabam ‘matizando’ o que seria o elemento diferencial do partido em relação a outros”, frisou.

Marcelo disse que quando os partidos se orientam apenas pela dinâmica das eleições, consequentemente perdem a força em relação ao que a sociedade espera das siglas. “A dinâmica eleitoral cria um cenário favorável para que os partidos chamados de ‘esquerda’ se tornem cada vez mais parecidos com os partidos tradicionais. Consequentemente, os militantes perdem a importância e os partidos de esquerda ficam mais parecidos com os partidos que tanto criticavam”, enfatizou.

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/politica/no-amazonas-so-82-dos-eleitores-sao-filiados-a-partidos/111081

sábado, 26 de abril de 2014

Brasil já tem 136 milhões de computadores em uso, aponta FGV


O Brasil tem 136 milhões de computadores em uso, aponta pesquisa da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas, divulgada dia 24. O levantamento revela que existem dois computadores para cada três habitantes, uma densidade per capita de 67%. Neste ano, a estimativa é que sejam vendidas 24,8 milhões unidades, o que equivale a uma venda por segundo. Nos próximos dois anos, o país deve alcançar a marca de um computador por habitante, com um total de 200 milhões de máquinas.

Para a pesquisa, que tem como foco o uso de tecnologia da informação (TI) nas empresas, foram levantadas informações de 2,3 mil empreendimentos de médio e de grande porte. Eles correspondem a 68% das 500 maiores empresas do país. O levantamento é uma mostra da situação no início deste ano. A fundação, no entanto, também reúne indicadores que revelam aspectos do uso doméstico e corporativo.

De acordo com Fernando Meirelles, coordenador do estudo, o destaque dessa edição são os tablets. “Em três, quatro anos, ele já representa 13% do total de computadores em uso”, avaliou. Ele aponta que alguns elementos explicam essa explosão na procura pelo equipamento. Uma delas é o fato de ele ter se tornado um objeto de desejo, especialmente entre os mais jovens. Meirelles citou ainda a chamada MP do Bem, medida provisória que reduziu impostos para empresas de exportadoras e outros setores da economia, e o excesso de oferta.

A estimativa da FGV é que as vendas do mercado de computadores continuem a crescer em 2014, com taxa de 10%. O percentual, no entanto, será menor do que o registrado no ano passado, quando houve crescimento de 19%. “Para uma situação econômica ainda nebulosa, pois não sabemos como 2014 vai caminhar, 10% em cima de um número que cresceu quase 20% é um percentual bastante grande”, avaliou. O destaque deve ficar, novamente, por conta dos tablets. Em maio deste ano, eles devem responder por 40% das vendas, segundo a fundação.

Em relação às empresas, a pesquisa aponta que elas investem 7,5% da receita em TI. Nos últimos 14 anos, esse percentual dobrou. Por usuário, são investidos anualmente, em média, R$ 26,5 mil. No caso dos bancos, esse valor sobe para R$ 57,1 mil. O uso mais comum de softwares nas empresas pesquisadas é com correio eletrônico, navegador de internet e planilha, nesta ordem, correspondendo a 57%.

Os sistemas operacionais da Microsoft continua dominando as estações de trabalho nas empresas, com mais de 90% do uso. O Windows corresponde a 70% dos servidores corporativos e o Linux, sistema operacional de uso livre, está presente em 18%. As impressoras são divididas, em média, por nove máquinas e apenas 24% delas são coloridas.

Fonte: Agência Brasil