domingo, 27 de abril de 2014

No Amazonas, só 8,2% dos eleitores são filiados a partidos

A última atualização do TSE aponta que, até este mês, o número aumentou em 7.213 mil eleitores.

Do total de 2.209.648 milhões de eleitores do Estado, apenas 181.302 mil são filiados a partidos políticos, o equivalente a 8,2%. Apesar do número ainda ser baixo frente ao total do eleitorado, de 2004 para 2014 o número de filiações a partidos políticos no Amazonas aumentou mais de 145,79%.

No último dia 14 deste mês, foi encerrado o prazo para que os partidos políticos enviassem ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a lista atualizada de filiações.

Até dezembro de 2013, as siglas perderam quase 2 mil filiados. Em compensação, a última atualização do TSE aponta que até este mês, o número aumentou em 7.213 mil eleitores. 

Em 2004, 73.761 eleitores eram filiados a partidos. Até abril deste ano, o número aumentou para 181.302. Mas no ano passado em relação a 2012, os partidos perderam 1.884 filiados.

No período analisado, o crescimento sempre foi mais de 10 mil filiados. O menor aumento foi de 2010 para 2011, quando os partidos ganharam apenas 10.983 filiados. Nas últimas eleições municipais de 2012, os partidos ganharam 17.875 filiados a mais que o ano anterior, quando era registrado a filiação de 158.098 pessoas.

Quando comparado o crescimento dos filiados de uma eleição para a outra, os números mostram que de 2004 para 2008 o aumento foi de 61.681 filiados. Das eleições municipais de 2008 para 2012, o aumento foi de apenas 49.494 filiados.

O PMDB tem o maior número de filiados no Brasil, mas quando analisado os eleitores filiados no Amazonas, o PCdoB é o que mais possui filiados, com um total de 20.715 militantes contra 12.475 do PMDB. Em segundo lugar, aparece outra sigla histórica, o PT com 16.354 filiados no Amazonas. Desde 2010, o PMDB no Amazonas não saiu da faixa de 12 mil filiados. Em 2010, o partido apresentava um número de 11.028 filiados e até este mês o número aumentou apenas 1.447.

Apesar do PCdoB ter mais filiados no Estado, o partido só possui um deputado estadual, Wilson Lisboa, e nenhum vereador, em Manaus. Apenas uma representante no Senado Federal, que é Vanessa Grazziotin. Já o PSD com menos de três anos de criação e apenas 3.687 filiados, no Amazonas, possui quatro deputados estaduais que são, Josué Neto, Ricardo Nicolau, Fausto Souza e David Almeida e cinco vereadores, Luis Mitoso, Hiram Nicolau, Dr. Gomes, Glória Carrate e Isaac Tayah.

No período analisado pela reportagem, a sigla que mais perdeu militantes filiados foi o PCB. Em 2010, o partido possuía 1.037 filiados e atualmente possui apenas 939.

Os que menos cresceram em dez anos foram, PSTU, PMDB, PV, PHS e o PCO. Este último nunca passou dos 190 filiados, no Amazonas, e de acordo com a última atualização do TSE, o número diminuiu para 164. Os que mais tiveram filiações são, o PTC e o PSOL. Em 2010, o PTC tinha 2.637, atualmente, tem 4.773 filiados. O PSOL saiu de 669 para 1.117.

Filiações amarram eleitores

Para o sociólogo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Gilson Gil, a filiação é uma demonstração de força. “A filiação é a busca de novas adesões na sociedade. Os partidos geralmente buscam grupos como Sindicatos, Movimentos Estudantis e Associações. A filiação amarra a pessoa ao partido e impede que ela apoie outro partido”, explicou.

Gilson destacou que as filiações não têm mais o significado que tinham nos anos de 1980.

Partidos menores têm mais prefeitos

Os partidos políticos no Amazonas que possuem mais filiados, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não são os mesmos que têm mais prefeitos no interior. Um exemplo, é o PSD que tem somente 3.687 filiados no Amazonas e detém o maior número de prefeituras. O PSD está no comando de 24 municípios, dos 61 do interior do Estado.

Já o PMDB, o partido com mais filiados no Brasil, está em segundo lugar quando se trata de prefeituras no Amazonas, com apenas 16 delas.

O PcdoB, que há três anos possui o maior número de filiados no Amazonas, tem no comando apenas duas prefeituras, as dos municípios de Japurá e São Gabriel da Cachoeira.

Sobre a baixa representatividade de partidos com mais filiados em prefeituras, como o PCdoB e o PT, o sociólogo Gilson Gil, explica que, eles têm força por possuírem cargos em ministérios e secretarias nacionalmente. “Esses partidos apresentam vantagens aos seus filiados, pois estão no poder”, disse.

Apenas quatro prefeitos no Amazonas pertencem ao PT. Os municípios são, Amaturá, Maués, Nova Olinda do Norte e Novo Airão.

Para o sociólogo da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marcelo Seráfico, as alianças firmadas entre os partidos levam os eleitores a votar unicamente por causa do ‘nome do candidato’ e não mais analisando a qual partido o candidato pertence.

“Os partidos estabelecem alianças que seguem exclusivamente a lógica eleitoral e não mais a ideológica como antes.Ao seguir orientação nacional eles acabam ‘matizando’ o que seria o elemento diferencial do partido em relação a outros”, frisou.

Marcelo disse que quando os partidos se orientam apenas pela dinâmica das eleições, consequentemente perdem a força em relação ao que a sociedade espera das siglas. “A dinâmica eleitoral cria um cenário favorável para que os partidos chamados de ‘esquerda’ se tornem cada vez mais parecidos com os partidos tradicionais. Consequentemente, os militantes perdem a importância e os partidos de esquerda ficam mais parecidos com os partidos que tanto criticavam”, enfatizou.

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/politica/no-amazonas-so-82-dos-eleitores-sao-filiados-a-partidos/111081