quarta-feira, 23 de abril de 2014

NETmundial começa hoje em São Paulo.


Uma discussão global sobre a Internet, com representantes de mais de 95 países, voltadas à elaboração de políticas globais de governança na rede. Este é o objetivo da NETmundial – Encontro Multissetorial Global Sobre o Futuro da Governança da Internet – que se realiza entre hoje e quinta-feira (25.04), na capital paulista.

O evento, fruto da parceria do Comitê Gestor da Internet no Brasil (GGI.br) e a /1Net, tem um caráter de reação mundial ao esquema de espionagem dos órgãos de inteligência norte-americanos; e tem como uma de suas maiores preocupações garantir a privacidade da rede e dos usuários.

Quando abordou o tema em seu discurso na ONU, no ano passado, a presidenta Dilma Rousseff recebeu a proposta de realização do encontro no Brasil, por Fadi Chehadé, presidente da Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (Icann, gestora técnica da internet nos EUA). Ao aceitar, a presidenta propôs a apresentação não só do Marco Civil brasileiro, mas de um “Marco Civil Global”, também elaborado pelo CGI.br.

Assim, a governança da rede entra na pauta da NETmundial. Hoje, esta governança está a cargo de entidades como o Icann e a Iana, que são supervisionadas pelo Departamento de Comércio dos EUA. O objetivo é a construção de uma gestão mais internacional da rede.


Políticas globais de governança

Autoridades de organismos internacionais, acadêmicos, representantes do setor privado e da comunidade técnica começam, a partir deste encontro de São Paulo, a discutir as diretrizes estratégicas sobre o uso e o desenvolvimento da Internet no mundo. No horizonte, está a construção de um plano, um conjunto de políticas globais que pensem a governança da rede.

Um Comitê Multissetorial de Alto Nível também foi constituído e terá como missão promover o envolvimento da comunidade internacional em torno dos temas discutidos no encontro. Entre os dias 20 de março e 17 de abril, a consulta pública para o evento fechou com 280 mil participações e 295 propostas.

A conferência contará, ainda, com 33 hubs de participação remota em 22 países, com transmissão ao vivo. Um desses canais de participação é a Arena NET mundial, organizada pela Secretaria-Geral da Presidência da República em parceria com a Prefeitura do Município de São Paulo e o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). Ela já começou suas atividades de forma colaborativa nas redes sociais.