segunda-feira, 28 de abril de 2014

Presidente Municipal do PT diz que não vai obedecer decisão da Estadual

Vital Melo

A decisão de colocar os cargos à disposição do Governador José Melo, tomada por 48 membros do diretório estadual do Partido dos trabalhadores (PT-AM), foi vista pelo presidente municipal da legenda em Manaus, Vital Melo, como atitude intempestiva e precipitada.

O dirigente do PT de Manaus, afirma que a base do partido não foi consultada e, sequer, ouvida a respeito da decisão minoritária e sem atribuições sobre o tema.

Vital garante que não vai obedecer uma votação sem legitimidade. De acordo com ele, é o Congresso dos Delegados, que ainda não tem data para acontecer, que vai definir a direção que o PT vai tomar nessas eleições 2014.

Para o presidente do Diretório Municipal Manaus, o que aconteceu no sábado, na reunião diretoriana do PT do Amazonas, foi um arremedo de poder. “Quem decide são os delegados, alinhados com as orientações do Diretório Nacional. Mas a última palavra é do Congresso de Delegados eleitos no Ultimo PED”, apontou.

Como militante histórico do PT no Amazonas, Vital Melo, diz que não vai permitir que o partido seja conduzido por “cartolas. “Historicamente, o PT tem mantido a prerrogativa das decisões coletivas, diferente do que vem acontecendo no Amazonas, onde dois ou três membros estão negociando posições em outras legendas, sem antes passar pela base do Partido”, atira.

Por outro lado, Vital disse que a posição da direção estadual é de desagregação. “Parece que estão lidando com adversários políticos”, deduz. Para ele, o Governador José Melo, assim como o ex-governador Omar Aziz, sempre se mostram parceiros do partido no Amazonas e das ações do Governo Federal. “As conversar com outros partidos da base aliada, não é motivo para rupturas entre o Pros, o PSD e o PT”, conclui.

O governador José Melo tem se mostrado disposto a dar total apoio a reeleição da presidenta Dilma e, isso, é o bastante para o presidente do diretório municipal decidir. “Vou esperar a reunião que o governador terá com a presidenta Dilma, em Brasília, para tomar qualquer decisão a respeito do assunto coligação”, finalizou.

Fonte: http://www.blogdafloresta.com.br/presidente-municipal-pt-diz-que-nao-vai-obedecer-decisao-da-estadual/