terça-feira, 29 de abril de 2014


Os professores da rede pública de ensino estão se mobilizando desde ontem, nas ruas de Manaus, reivindicando 20% de reajuste salarial, direitos trabalhistas básicos, como auxílios transporte e alimentação, plano de saúde, Hora de Trabalho Pedagógico (HTP), e o deputado José Ricardo ratificou hoje (29) seu apoio à luta da categoria, na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM).

A data-base para reajuste salarial da categoria foi no mês de março, mas como o governo estadual até o momento não enviou para a ALE-AM nenhuma proposta, os professores já iniciaram a greve anunciada desde o início de abril, caso seus pleitos não fossem atendidos.

“Além do salário totalmente defasado, os professores não recebem nem ao menos auxílios básicos para garantir o mínimo de qualidade de vida a eles, já que, tem de se deslocar de uma escola para outra”, expôs.


Projeto de remanejamento de R$9,4 mi dos professores é retirado

O deputado voltou a cobrar hoje a retirada do projeto de lei nº 106/2014 enviado pelo Governo do Estado à ALE-AM, que autoriza a retirada de R$9,4 milhões das ações de ‘Valorização dos Profissionais da Educação’ e ‘Fortalecimento da Gestão Escolar’ para pagamento de água, luz, telefone e esgoto da secretaria. Ele ressaltou que esse projeto demonstra a inversão de prioridade na gestão da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Assim que a proposta chegou à Casa, José Ricardo cobrou do governador a retirada do projeto, via ofício, e também apresentou um emenda propondo que o valor fosse extraído da reserva de contingência, e não dos professores. “A qualidade na educação passa diretamente pela valorização do professor que está dia após dia lidando com os alunos em sala de aula. Qualquer estado que pretende se desenvolver prioriza a educação”, disse.

Durante o pronunciamento de deputado, o líder do governo, deputado Sinésio Campos (PT), informou em plenário que o governador já autorizou a retirada do referido projeto.