sexta-feira, 29 de abril de 2011

Rui Falcão é eleito por unanimidade para presidir o PT

Por Janary Damacena
O novo presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, deputado Rui Falcão, escolhido por unanimidade pelos membros do Diretório Nacional do partido no começo da tarde desta sexta-feira, 29/04. Rui Falcão assume a presidência depois de José Eduardo Dutra anunciar a saída do cargo por problemas de saúde.
De acordo com o novo presidente do PT, a primeira tarefa é dar suporte ao Governo Federal. “Uma das nossas tarefas principais pelo próximo período é dar sustentação ao processo de mudanças que o presidente Lula começou e que a presidente Dilma Rousseff está mantendo. Outro ponto é o fortalecimento do partido com a classe trabalhadora, além de disputar com as velhas ideias, as ideias conservadores e neoliberais que têm sido derrotadas nas últimas eleições, mas que querem guiar o nosso governo” explicou o novo presidente.
Rui Falcão explicou, também, que a nova presidência do partido será desempenhada de forma coletiva com o conjunto das bancadas de parlamentares do PT, militância e lideranças. “O PT se formou através da liderança coletiva e, por isso, a presidência do partido tem que expressar esse sentimento. É desta maneira que alcançaremos um avanço partidário” afirmou.
Rui Falcão vai liderar o Partido dos Trabalhadores até 2013, quando deve ser realizado um novo processo de eleições internas do partido para escolha da nova direção nacional.
Fonte: http://ruifalcao.com.br

DEPUTADO JOSÉ RICARDO FAZ PRESTAÇÃO DE CONTAS DE MARÇO/2011

Foto: Assessoria de Comunicação
O Deputado Estadual José Ricardo Wendling (PT-AM), demonstrando transparência e ética, divulgou hoje (29/04) a prestação de contas do mandato do mês de abril de 2011.

                ATIVIDADES REALIZADAS

           Como resumos das ações, em março, foram feitas:
·        57 visitas e participações em reuniões do deputado e de assessores;
·        02 visitas a municípios (Presidente Figueiredo e São Gabriel da Cachoeira);
·        01 representação protocolada no MPE – “Mensalinho Baré” (pagamento a colaboradores em cargos de confiança nomeado pelo poder executivo estadual que nunca trabalharam efetivamente, os quais seriam funcionários fantasmas);
·        02 Memorandos protocolados na ALE;
·        10 Ofícios enviados a entidades e órgãos públicos;
·        12 Requerimentos apresentados na Assembleia, propondo audiências públicas e cobrando informações em várias áreas (educação, saúde, transporte);
·        03 Indicações de Projetos de Lei encaminhadas ao Governo do Estado;
·        20 pronunciamentos no plenário da ALE;
·        01 Audiência Pública realizada (Campanha da Fraternidade 2011);
·        04 artigos escritos e publicados em jornal impresso;
·        02 Projetos apresentados, sendo 01 Projeto de Lei e 01 Emenda Constitucional:

1. Projeto que denomina de Doroti Alice Muller Schwade o Núcleo de Estudos Superiores da Universidade do Amazonas no Município de Presidente Figueiredo;
2. PEC Catástrofes Ambientais – “destinar, anualmente, um e meio por cento de recursos do investimento de capital em programas de estudo, cadastro e de prevenção de enchentes, secas, deslocamentos de famílias em áreas de risco, bem como ao atendimento à população vitimada, no âmbito da Defesa Civil do Estado do Amazonas”.

·        Justificou uma ausência ao plenário por ter participado de uma reunião em Brasília com o líder do PT na Câmara Federal e 6 ministérios para trazer ações de políticas públicas ao Município de São Gabriel da Cachoeira. Ele também se reuniu com representantes da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, entregando documento que solicitava apoio do Governo Federal aos haitianos refugiados em Manaus;
·        Realizou avaliação mensal (19/4), com a participação de toda a equipe do gabinete, onde identificou a necessidade de uma maior interação com a sociedade para receber as demandas de projetos e propostas, o que se concretizou com a criação do blog do deputado (www.blogdojosericardo.com.br);
·        Na reunião também identificou a necessidade do gabinete estar mais presente nos bairros e comunidades de Manaus, bem como nos municípios do interior do Amazonas (o que motivou o aluguel de um veículo).

B.     GASTOS COM O EXERCÍCIO DO MANDATO

1.      Material de Escritório – R$ 1.556,85:
·        São gastos com papel, cartucho, toner, pastas, material de expediente e de escritório;
·        A ALEAM não fornece estes materiais para o gabinete;

2.  Combustíveis  -   R$ 2.600,00:
·        Despesa com compra de combustível com veículo do deputado, advogado e três assessores. Consumo em Manaus e em viagens ao interior (Presidente Figueiredo);
  
3.      Telefone - R$ 1.647,48, sendo R$ 939,63 dos telefones fixos e R$ 707,96 dos celulares:
·        São as despesas com as linhas telefônicas do gabinete e de celular utilizadas no
     Mandato;

4.      Locação de veículo – R$ 1.880,00:
·        Locação de veículo para dar apoio e mobilidade ao mandato.

5. Total ................ R$ 7.684,44.  

“Prestar contas do mandato é mais do que um dever, é uma obrigação de todo político. Somos homens públicos a serviço da sociedade e assim manteremos nossa postura: fiscalizando, denunciando e propondo” (José Ricardo).

FMES REALIZA A 1ª AMOSTRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DE MANAUS



Ao longo das últimas décadas, temos visto no Brasil, uma série de iniciativas e projetos que buscam promover a inclusão social de uma parcela significativa da população do nosso país.
A Economia Solidária tem promovido a organização de milhares de trabalhadores e trabalhadoras que, de forma coletiva, que implementam seu próprio trabalho e a lutam pela sua emancipação.
Este movimento está contribuindo de forma significativa para o surgimento de novos agentes sociais e também para gerar emprego e renda em diversas comunidades.
Por isso, o Fórum Municipal de Economia Solidária – FMES, no dia 29 de abril de 2011, na quadra da Escola Estadual do D. Pedro II, situada na Avenida Sete de Setembro, próximo à Praça Eliodoro Balbi (Praça da Polícia), realizará a 1ª Amostra dos produtos e serviços dos Empreendedores da Economia Solidária de Manaus.
O objetivo dessa Amostra é divulgar e fomentar este novo modelo de economia que vem crescendo em todo país, como alternativa para muitos trabalhadores e trabalhadoras.
O evento tem o apoio FORUM ESTADUAL DE ECONOMIA SOLIDARIA SETRAB, SEMTRAD, Nymuendaju, SRTE, Pastoral Operária e Consulado da Mulher. Além disso, será um momento da sociedade manauara apreciar uma boa comida regional e admirar bons trabalhos artesanais, como: Tela de Fibra da Juta, Esculturas, Bijuterias, Sandálias decoradas, Chinelos Amazônicos, confecções, dentre outros.
TEMA: Economia Solidária: outra economia acontece em Manaus;
HORÁRIO: das 09: 00 às 20:00 horas;
DATA: 29/04/11;
LOCAL: Quadra da Escola Estadual do D. Pedro II – Av. Setembro – Centro

INFORMAÇÔES: 9249-2535 (CLAY ESTEVES) E 9232-0739(ROSÁRIA)

FRANCISCO PRACIANO CRIA FÓRUM DE COMBATE À CORRUPÇÃO

O Deputado Federal Praciano (PT-AM), promove reunião de criação do Fórum Estadual de Combate à Corrupção, dia 02 de maio de 2011(segunda-feira), a partir da 15h, na sede do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Amazonas, situado na Praça Santos Dumont, 15, final da Av. Joaquim Nabuco, próximo a Casa do Eletrecista - Centro.

116 Projetos anticorrupção patinam no Congresso

O tema não parece ser prioritário na Câmara e no Senado. Frente Parlamentar de Combate à Corrupção quer selecionar prioridades e convencer líderes a colocar as propostas em votação.
Leonardo Prado/Câmara
Para Praciano, Congresso não vota projetos anticorrupção por causa do envolvimento de parlamentares com escândalos.
Há no Congresso Nacional 116 propostas diferentes destinadas a apertar o combate à corrupção no Brasil. Destas, 17 já foram arquivadas. E outras 99 tentam avançar sem muito êxito nas pautas da Câmara e do Senado. Destas, metade pretende aumentar as punições para quem paga e recebe propinas, desvia dinheiro público e comete improbidade administrativa. O grosso das propostas inclui reduzir ou acabar com a prescrição (prazos em que o réu é absolvido mesmo que tenha praticado o delito), tornar certos crimes inafiançáveis e tornar mais transparentes os gastos do governo e as contas das campanhas eleitorais.
Os dados são de levantamento da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, formada por 202 deputados e senadores. O coordenador geral do grupo, o deputado Francisco Praciano (PT-AM), marcou reunião na semana que vem com os líderes da frente para fazer uma seleção de prioridades dentre as 116 matérias. E, depois, fazer um “lobby positivo” sobre os presidentes da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), os líderes partidários e os presidentes de comissões, para acelerar a votação das matérias mais importantes. A ideia de Praciano é ambiciosa: ele quer tirar esses projetos das gavetas em que se encontram e votar uma proposição por mês.
Praciano reclama que muitas propostas não andam e diz que algumas estão há três ou quatro anos sem definição de relator. O motivo, diz o deputado, são os interesses particulares dos parlamentares. Praciano põe sem medo o dedo na ferida. “É a própria natureza da Câmara. Temos muitos deputados envolvidos com corrupção”, dispara Praciano. Levantamento do Congresso em Foco mostra que 168 (28%) dos 594 senadores e deputados são alvo de 396 inquéritos e ações penais apenas no Supremo Tribunal Federal.

PROPOSTAS ANTICORRUPÇÃO
Proposições em tramitação e arquivadas no Senado e na Câmara 

Tipo
Quantidade
Maior rigor no combate à corrupção, com penas maiores, prescrições menores e definição de delitos inafiançáveis
25
Mais transparência em gastos públicos e em campanhas eleitorais
24
Regras para escolha de membros de Tribunais de Contas
11
Mais rigor na liberação de dinheiro público para obras e serviços
9
Redução do foro privilegiado e normas para decoro parlamentar
8
Maior rapidez em processos judiciais de casos de corrupção
6
Tipificação de novos crimes de corrupção
4
Combate à lavagem de dinheiro
4
Regras para financiamento público de campanhas
3
Proteção a testemunhas em casos de corrupção
2
Combate ao nepotismo
1
Punição a pessoas jurídicas, como as empresas
1
Restrições a autoridades com acesso a informações privilegiadas
1
Em tramitação
99
Arquivadas
17
Total de propostas
116
Fonte: Chefia de gabinete do deputado Francisco Praciano (PT-AM)
Veja a lista com as todas as 116 propostas
O deputado Praciano quer discutir com seus colegas da frente a prioridade nas propostas a encampar. Mas, pessoalmente, já elegeu quatro essenciais. Duas delas propõem tirar das mãos dos governadores e de membros do Legislativo a indicação de membros dos tribunais de contas e dos procuradores gerais dos Ministérios Públicos estaduais. O deputado afirma que a maioria dos 189 conselheiros e ministros de contas é formada por ex-vereadores, ex-secretários e demais ex-autoridades. “O fiscalizado não pode indicar o seu fiscal. Raposa não pode administrar galinheiro”, diz Praciano.
Outra prioridade defendida pelo coordenador da frente é a criação das varas, câmaras e turmas especializadas em julgar casos de corrupção, improbidade administrativa e crimes contra a administração pública. Para o parlamentar, isso aceleraria o andamento dos processos. “Hoje, temos 60 milhões de processos. Se os crimes de corrupção entrarem na mesma fila, estamos mortos”, diz Praciano. Ele também é favorável a priorizar a proposta que torna hediondos os crimes do colarinho branco. Assim, as penas seriam maiores e a possibilidade de cumprir a sentença em liberdade seria reduzida.

Mordaça nas CPIs
Conhecido por se dedicar às causas da ética e do combate à corrupção, o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) discorda da tese de Praciano segundo a qual as propostas moralizadoras não andam no Congresso por causa do envolvimento de parlamentares em escândalos. Segundo ele, as matérias se atrasam porque é natural que tudo ande devagar no Legislativo, independentemente do tema do projeto. Levantamento do Congresso em Foco mostrou que existiam 2.400 propostas, dos mais variados assuntos, à espera de votação apenas nos plenários do Senado e da Câmara em março do ano passado.
Para Dias, o problema maior no combate à corrupção dentro do Senado e da Câmara é o fato de as CPIs, os Conselhos de Ética e os requerimentos de informação e de convocação de autoridades não funcionarem efetivamente. Ainda que uma comissão de inquérito seja criada e instalada, o resultado costuma ser pífio, como aconteceu com a CPI das ONGs, da Petrobrás e dos Cartões Corporativos. A última que rendeu informações e embasou denúncias à Justiça foi a dos Correios, que investigou o mensalão.
“O governo aprendeu a inviabilizar as CPIs. Designa pessoas fiéis e não divide o comando com a oposição. O governo amordaçou as CPIs”, analisa Dias, que anuncia já ter 27 assinaturas no Senado por uma investigação no sistema de saúde. Agora, quer o apoio dos deputados para formar uma CPI mista.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Vereador Waldemir José participa do Programa Nosso Encontro

No próximo sábado (30/04), o Vereador Waldemir José participará do programa Nosso Encontro, de Baby Rizato, na TV a Crítica, às 12:00 horas, onde irá tratar sobre  o dia do Trabalhador.

José Ricardo enaltece Dia da Educação, mas cobra valorização do(a) professor(a) e melhoria do ensino

No dia em que se comemora a educação, como uma importante ferramenta do conhecimento e do desenvolvimento social, o deputado estadual José Ricardo Wendling (PT) enfatizou no seu discurso desta quinta-feira (28), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), a necessidade de valorizar o(a) professor(a) e de proporcionar melhores condições de trabalho, de melhorar as estruturas das escolas e de incluir assuntos políticos e sociais como temas transversais, a fim de melhorar a qualidade da educação pública no Estado, que, infelizmente, ainda aparece nos indicadores educacionais como uma das piores do País.

Na ocasião, ele apresentou Moção de Parabenização à professora Maria Inês de Andrade, da Escola Estadual Mello Ipóvoras, no Santo Antônio, Zona Oeste, onde inseriu a discussão sobre assuntos políticos em várias disciplinas. “Praciano já dizia como vereador que é necessário discutir a política como tema transversal. Mas não a política partidária e sim a educação política cidadã”, disse ele, exemplificando que o aluno pode estudar português utilizando os artigos da Constituição Federal.

Se de um lado professores são parabenizados pelos bons exemplos em sala de aula, por outro há situações onde gestores são até perseguidos, quando não concordam com alguma decisão errada do administrador. Para tentar acabar com essas situações, o deputado apresentou na Assembleia Projeto de Lei que institui Processo Seletivo para Escolha de Gestores Escolares. “Uma forma de acabar com as indicações políticas para o cargo, como também as perseguições. Porque educação não é questão de Governo, e sim de Estado”.

José Ricardo também registrou decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que garante ao professor da educação básica estar fora da sala de aula por um terço da jornada de trabalho para dedicar-se ao planejamento e ao aperfeiçoamento profissional, benefício chamado de Hora de Trabalho Pedagógica (HTP). “Esse benefício está contido no PCCS (Plano de Cargos, Carreias e Salários), mas não é cumprido no Estado”, afirmou, denunciando que o Governo não paga aos professores alimentação, transporte e plano de saúde. “Também não concordamos com o reajuste dado pelo Governo com relação à data-base, no valor de 8%, e não retroativo a março (data limite), quando os profissionais reivindicavam 15%. O orçamento do Estado cresceu cerca de 17%, tendo recurso suficiente para melhor pagar seus professores”.

Praciano participa de comissão que vai investigar corrupção no Pará

 
O Presidente da Câmara dos Deputados, Dep. Marco Maia (PT/RS), nomeou uma Comissão Externa, formada pelos deputados Francisco Praciano ( PT/AM), Protógenes Queiroz ( PC do B), Cládio Puty (PT/PA) e Jean Wyllys (PSOL/RJ),  para investigar caso de corrupção na Assembléia Legislativa do Estado do Pará. Corrupção ocorre através de  estagiários e servidores fantasmas, nepotismo direto e trocado, empréstimos altíssimos e contracheques recheados de gratificações sem base legal, além de nomeações em atos secretos.Pico das fraudes na Assembléia Legislativa foi de R$ 1 milhão por mês, em 2008 e 2009. Servidores já foram presos e existe um pedido de Comissão Parlamentar de Inquerito- CPI para investigar os fatos.  

José Ricardo propõe eleição direta para reitoria da UEA

O deputado estadual José Ricardo Wendling (PT) defendeu ontem, quarta-feira (27), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), a importância da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) instituir processo de escolha direta para os cargos de reitor e vice-reitor. A proposta já foi encaminhada pelo parlamentar ao Governo do Estado, por meio de Indicação, no início deste mês. Hoje, essa escolha é feita por indicação política do governador do Amazonas.

“Instituições federais, como a Ufam e o Ifam, já fazem essa escolha por meio de eleição direta, uma forma de garantir a participação de todos num processo democrático, dando mais autonomia. Essas entidades não podem estar sujeitas à interferência do governador”, diz o deputado, após parabenizar solenidade que acontece hoje para a posse de diretores da UEA, por meio de eleição ocorrida no final do ano passado. “Se elegem diretores, porque não os reitores?”.

Na ocasião, José Ricardo defendeu que o Governo do Estado mantenha os recursos financeiros da UEA, uma vez que hoje parte dessa verba vem de contribuições compulsórias das empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM). “Se amanhã o faturamento ou as importações do PIM reduzirem, como fica a situação da universidade?”.

Dez anos da UEA
Ele também cobrou a aprovação de requerimento protocolado na ALE no último dia 22 de março propondo realização de Audiência Pública para discutir a realidade da UEA na capital e no interior do Estado, bem como a garantia da qualidade do ensino e da pesquisa, no ano em que completa dez décadas de existência. “Queremos discutir o futuro da UEA, uma importante instituição para o desenvolvimento do Estado do Amazonas”.

AUMENTO NÃO!
CHEGA DE APERTO NO BOLSO E NO BUZÃO!
A Escola Fé e Cidadania da Arquidiocese de Manaus, espaço de formação social para os agentes sociais à luz do Evangelho, dando continuidade às ações relacionadas a questão do transporte coletivo, realiza debate com Deputados Estaduais e Vereadores da Cidade de Manaus, acerca do assunto.

Sua presença é muito importante neste momento de luta contra o aumento da tarifa de ônibus.

Dia: 30 de Abril (Sábado);
Horário: 08:00 às 12:00 horas;
Local: Centro de Formação da Arquidiocese de Manaus - CEFAM

REALIZAÇÃO: ESCOLA FÉ E CIDADANIA - EFFC
APOIO: Cáritas, Pastorais Sociais da Arquidiocesana, FARU, MNLM, Setor 9, Setor 12, Setor 10, MONALE, Movimento Fé e Política, MOCOCI, Vida e Cidadania, Rádio Comunitária Voz das Comunidades, Pascom.

Fórum Amazonense de Economia Solidária divulga Carta


O Fórum Amazonense de Economia Solidária nasceu do esforço de articulação da sociedade civil amazonense (empreendedores e empreendedoras, movimentos sociais, organizações não-governamentais e organizações de apoio técnico) a uma alternativa possível de sociedade, com valores que observem à proposta metodológica e valores correlatos a solidariedade, observando a diversidade social cultural histórico amazônico.
Tendo em vista as atuais discussões, sobre a proposta de caracterizar a Economia Solidária junto à nova Secretaria de Micro e Pequenas Empresas. Nós Fórum Amazonense de Economia Solidária – FAES (empreendimentos, assessorias técnicas e organizações do estado) entendemos a discussão da seguinte forma:
  • Existe uma evidente confusão entre o conceito de Economia Solidária e outros tipos de empreendimentos populares, como é o caso das microempresas. Cada uma dessas formas encontra um objetivo totalmente diferente e nisto também o que pretendem como projeto de sociedade;
  • Sempre foi intenção dos representantes e movimento da economia solidária constituir uma estrutura própria de Estado, para o desenvolvimento de políticas públicas que acompanhem as reflexões e parâmetros de ação a partir das bases. Desde o movimento de eleição da atual presidenta, nosso objetivo sempre foi de que houvesse um Ministério para Economia Solidária e não continuar vinculado, sem maior autonomia a outros ministérios;
  • O processo de articulação política e pública, a partir do governo Lula teve para o movimento um reflexo positivo, nas regiões, no que se refere a Políticas Públicas e organizações do estado para o foco da economia solidária, sobretudo no Amazonas. No entanto, compreendemos que tal vínculo (com a proposta da nova secretaria) irá enfraquecer a iniciativa solidária, apropriar todo o trabalho possivelmente num novo molde de política pública que não terá necessariamente a nossa metodologia aplicada;
  • A economia solidária no Estado do Amazonas se expressa com a mesma complexidade dos processos sociais, culturais e biológico-ambientais da nossa região. O tempo para nossa região e diversos povos é diferente dos empreendidos pela política partidária de Brasília e das técnicas de nossos representantes políticos. Normalmente nossa realidade, nossos valores e nossos conhecimentos tradicionais nem são contados na maneira como o governo se organiza e trabalha. Desta forma também como Amazônidas, povo caboclo, povos indígenas e quilombola. Verificamos como negativa a perspectiva de não autonomia da Economia Solidária no nosso estado, a nível nacional. Nós queremos “um outro jeito de fazer economia” e isto entendemos deve ser ouvido pela instância Nacional – pela presidência da República, se não como um Ministério, uma Secretaria Especial ligada diretamente a Presidência e que garanta políticas públicas e recurso para a mesma;
  • Os parâmetros ligados a busca de redução de pobreza, proposto pela Economia Solidária, se dá de forma diferente da Micro e pequena empresa. Nosso trabalho visa uma ação não apenas em estruturas formais e jurídicas, mas se articula pela sociedade em rede. A nosso ver, apesar da limitação de tempo para seu desenvolvimento, encontra maior eficácia na organização social e política. A micro e pequena empresa apenas reproduz o capitalismo, enquanto a economia solidária distribui de forma orgânica a renda.
Cordialmente,


ENTIDADE / EMPREENDIMENTO

MUNICIPIO
01
Associação indígena Saterê Maué
Manaus
02
Art´s Sara artigos infantis
Manaus
03
Confecção Artesanato
Manaus
04
Dinorá Artes
Manaus
05
Mimos Biscoitos Amazônicos
Manaus
06
Regiane´s Fitness
Manaus
07
Artesanatos Clic´s
Manaus
08
Artesanato Bordas em Geral
Manaus
09
Mauá Cestas Decorativas
Manaus
10
Clube de Mães Maria de Nazaré
Manaus
11
Araras Exóticas
Manaus
12
SS Artesanato
Manaus
13
Caiaué Bijuterias Regionais
Manaus
14
Artes em Fuxico
Manaus
15
Artesanato da Mamãe
Manaus
16
La e Lê
Manaus
17
Sorvetes Amazônicos
Manaus
18
D. J. Artes
Manaus
19
Artes Dessanas Indígenas
Manaus
20
Art´s Arranjos Decorativos
Manaus
21
Machantaria em Madeira
Manaus
22
Maloca da Bio-joia
Manaus
23
Altiria Confecções e Pintura
Manaus
24
Cascas Confecções
Manaus
25
Valores da Terra
Manaus
26
Art´s Lea
Manaus
27
Arte Tapete
Manaus
28
Associação de Artesões Indígena Amazônia
Manaus
29
NAP Massoterapia
Manaus
30
Associação das Donas de Casa do Alto de Nazaré - ADCAN
Iranduba
31
Associação dos Pescadores Z
Parintins
32
Associação de Trabalhadores de Carne
Parintins
33
Cooperativa de Trabalhadores de Carne
Parintins
34
Associação de Produtores Comunidade Boa Esperança Zé Açú
Parintins
35
Associação de Produtores Agropecuarista de Santa Maria Cleba Vila Amazônia
Parintins
36
Associação de Moradores do Bairro Itauna II
Parintins
37
Cooperativa Mista de Juticultores
Parintins
38
Cooperativa Habitacional dos Trabalhadores da Construção Civil
Parintins
39
Associação de Desenvolvimento Comunitário Integrada da Comunidade de Sá Tomé do Mucambo do Arari
Parintins
40
Grupo Ke Delicia
Manaus
41
Grupo Três Irmãs
Manaus
42
Biscoito do Mauá
Manaus
43
Biscuit do Norte
Manaus
44
Acari Bodó
Manicoré
45
Art´s Baniwa
São Gabriel
46
Assai
São Gabriel
47
Wariro
São Gabriel
48
Federação das Organizações indígenas do Rio Negro - FOIRN
São Gabriel
49
União dos Povos Indígenas – UPI
Manaus
50
Secretaria do Estado Indígena
Manaus
51
Grupo Pé no Chão
Manaus
52
Banco Akuak
Manaus
53
Grêmio Recreativo Escola de Samba Legião de Bambas
Manaus
54
Rosário Confecções
Manaus
54
Aruak Fashion
Manaus
55
Cooperativa em Conservação em Limpeza -COOLIMP
Manaus
56
Eco Recicla
Manaus
57
Eco Som
Manaus
58
VAPET
Manaus
59
Associação da Promoção Cidadão da Cidade de Deus – APCD
Manaus
60
Eco Natus
Manaus
61
Reciclado é Vida
Manaus
62
Associação Comunitária Novo Renascer
Iranduba
63
Associação Comunitária Nova Esperança
Iranduba
64
Associação Comunitária do Baixio
Iranduba
65
Cooperativa Mista de Produtores Rurais de Iranduba - COOMAPRI
Iranduba
66
Eli Art´s
Manaus
67
Associação Comunitária do Cuieiras
Manaus
68
Associação Comunitária Novo Horizonte
Manaus
69
Associação Comunitária do KM 6 do Iranduba
Iranduba
70
Associação Manacapuruense dos Artesão AMA
Manacapuru
71
Associação do Produtores Rurais do Ajaratubinha
Manacapuru

72
Associação de Desenvolvimento Rural de Nossa Senhora de Nazaré
Manacapuru
73
Associação de Desenvolvimento Comunitário Menino Deus
Manacapuru
74
Eco Turismo Solidário
Manaus
75
Gager Mulher
Manaus
76
Associação das Mulheres Empreendedoras
Manaus
77
Grupo Shakenar
Manaus
78
Grupo Preciso de ti
Manaus
79
Grupo Coração Acolhedor
Manaus
80
Associação do Piscicultores do Estado do Amazonas
Manaus



INSTITUIÇÕES

1
Sindicados do Metalúrgicos
Manaus
2
Central Única dos Trabalhadores do Amazonas – CUT / AM
Manaus

3
Instituto de Tecnologia Para o Agro negocio e Meio Ambiente Selva Amazônica – ITASA

Manaus
4
Secretaria de Estado do Trabalho – SETRAB
Manaus
5
Cáritas - Amazonas
Manaus
6
Pastoral Operaria – P.O
Manaus

7
Cooperativa de Assessoria e Serviços Técnicos Educacionais da Amazônia

Manaus
8
Rede e Educação Cidadão - RECID
Amazonas
9
Rede TAPIRI do Comercio Justo e Solidário
Amazonas
10
Associação das Donas de Casas do Amazonas - ADCEA
Manaus
11
Movimento Comunitário Vida e Esperança – MCVE
Manaus
12
Federação das Organizações indígenas do Rio Negro - FOIRN
São Gabriel