quarta-feira, 12 de junho de 2013

Waldemir propõe emendas para melhoria do salário dos professores


Durante o processo de votação do Projeto de Lei N. 240/2013 do Executivo Municipal que reajusta o subsídio dos profissionais do Magistério e dos servidores da área administrativa da Secretaria Municipal de Educação (Semed), o líder do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Waldemir José apresentou três (3) emendas ao projeto para melhoria salarial desses profissionais.

Em uma das propostas do vereador, ficaria estipulado que os professores readaptados, por motivos de doenças oriundas do exercício da profissão, receberiam o mesmo salário do docente que está em sala de aula. 

Para Waldemir José, muitos profissionais do magistério acabam sendo acometidos por doenças ocupacionais que os impendem de continuar em sala de aula e, por isso, são remanejados para outras funções. “Não é justo que esses professores tenham seus salários reduzidos devido a doenças relacionadas com a profissão. Eles cumpriram seu papel, portanto, cabe ao Poder Público assegurar a dignidade a esses trabalhadores”, disse o parlamentar.

Em se tratando de incentivos à categoria, a proposta do líder petista era garantir o 14º salário que seria destinado à aquisição de livros, computadores e cursos de qualificação desses profissionais, e o 15º salário aos professores cuja escola alcançasse o índice do Prova Brasil exigido pelo Executivo Municipal. “Esses salários são uma forma do Poder Público incentivar os profissionais da educação a exercerem melhor suas atividades escolares”, argumentou Waldemir José.

Além disso, o vereador petista propôs, ainda, que o reajuste salarial dos professores fosse de 15% divido em 2 parcelas, a primeira no percentual de 10% retroativo ao mês de maio de 2013, e a segunda em 5% a partir de dezembro deste ano.

“Os trabalhadores em educação desenvolvem um papel fundamental para o resgate da cidadania, da dignidade, da construção humana, portanto devem receber o devido reconhecimento do Poder Público e uma das formas é valorizando seus salários”, concluiu.

Apesar dos argumentos do parlamentar suas emendas foram rejeitadas pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ/AM) que emitiu parecer contrário às propostas.

Fonte: Assessoria de Comunicação