domingo, 8 de setembro de 2013

Um chute na cara do pessimismo e do derrotismo


Os dados sobre a produção de automóveis e a ata do COPOM (Comitê de Política Monetária) divulgada ontem são um chute na cara do pessimismo e do derrotismo. Contrariam os que querem, via combate à inflação, impor a política de austeridade à la troika (FMI, Banco Central Europeu e Comissão Europeia).

A produção de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no Brasil subiu 9% em agosto na comparação com julho, segundo dados da ANFAVEA. Foram 340.469 veículos, contra 312.300 no mês anterior. “É o 2º melhor agosto da história do setor”, afirmou o presidente da associação, Luiz Moan. No acumulado de janeiro a agosto, a produção subiu 13,7% com 2,5 milhões de unidades.

Com os novos números, a ANFAVEA reajustou a previsão para 2013. Agora, estima-se o recorde de 3,79 milhões unidades, alta de 11,9% sobre 2012. A previsão inicial era de 4,5%.

Já a ata do COPOM diz que o comportamento da política fiscal do governo tende à neutralidade, o que vai impactar menos a inflação.

Esperem sentados

Como já disse no início, isso tudo frustra os saudosistas do neoliberalismo, dos interesses dos rentistas e do capital financeiro internacional.

Daí a gritaria na mídia e nos blogs dos escribas economistas contra a ata do COPOM, dizendo que o Banco Central faz aposta arriscada ao expressar essa avaliação sobre a inflação. Alguns desses escribas pagos a preço de ouro – digo, de dólar – para escrever contra o governo e sua política econômica…

Querem mais juros e mais corte de gastos, querem recessão, queda do consumo e dos salários. Querem um ajuste que traga desemprego, para, segundo eles, aumentar a produtividade, reduzir custos e dar competitividade ao nosso comércio externo. Mesmo à custa da queda do nível de vida e renda do povo. E de preferência com a nossa derrota nas eleições de 2014. Esperem sentados.