sexta-feira, 27 de setembro de 2013

José Ricardo denuncia no Ministério Público descaso do Estado na segurança pública de Itacoatiara

Fonte: Assessoria de Comunicação
O deputado José Ricardo Wendling (PT) denunciou no Ministério Público do Estado (MPE), por meio de representação, o descaso do Governo do Estado na área da segurança pública do Município de Itacoatiara, principalmente, com relação à situação do prédio da delegacia de polícia.

Em visita recente à cidade, ele constatou que a estrutura física da delegacia tornou-se pequena para a demanda existente e para dar suporte às autoridades policiais que prestam o serviço de segurança pública à população. Há nove anos, o prédio (de alvenaria) não passa por reforma e, toda vez que chove, alaga tudo.

“Além disso, os servidores são poucos e obrigados a se arranjar como podem”, disse ele, informando que há somente um escrivão e três investigadores para atendimento a cinco especialidades, já que a delegacia responde ao mesmo tempo por casos de crianças e adolescentes vítimas e infratores, bem como de mulheres e de idosos.

Diante dessa situação, explicou o deputado, não há espaço para separar homens de mulheres, crianças e adolescentes de adultos, muito menos vítimas de agressores, como determina a Lei. “No dia da visita, fui informado de que havia oito menores de idade nas celas comuns, em razão da ausência de espaço específico. Uma situação desumana”.

E mais: o atendimento inicial ao público é improvisado, não tendo espaço adequado para o atendimento individualizado, como no caso do atendimento da mulher vítima de violência ou do idoso; e não há local para arquivos, sendo os objetos apreendidos nas investigações criminais guardados dentro da sala da delegada, com risco, inclusive, de extravio de provas criminais.

“Toda essa situação sobrecarrega os profissionais da segurança naquele Município, obrigando-os a prestar serviço precarizado à população e, como consequência, o sofrimento novamente recai sobre o povo”, finalizou José Ricardo, que, anteriormente, havia encaminhado todo esse relato à Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP).