terça-feira, 24 de setembro de 2013

Foto de mulher com suposto uniforme da Polícia Civil será investigada

Mulher exibe blusa e boné com brasão do comando e segura uma suposta pistola utilizada por policiais

Um novo escândalo envolvendo exibicionismo em redes sociais e corporações militares foi registrado nesta segunda-feira (23): desta vez, a polêmica coloca em evidência a Polícia Civil do Amazonas. Na foto, uma mulher veste um boné e uma blusa com o brasão da corporação, além de exibir uma suposta pistola utilizada por militares da companhia.

A Polícia Civil tomou conhecimento da imagem ainda nesta segunda-feira e, de acordo com disse que a foto será analisada pelo Instituto de Criminalística, responsável por dar um parecer sobre a veracidade das roupas utilizadas pela mulher, dentro de um prazo de 30 dias.

Neste sexto caso – ainda não confirmado – a Polícia Civil ressalta a grande probabilidade das roupas usadas pela mulher serem falsas. “Ao aproximarmos a imagem, dá pra notar que o brasão não amassa junto com a roupa, ou seja, pode ser um adesivo colocado ali”, explica a assessora de imprensa da Polícia Civil, Daniela Cardoso.

Em nota, a assessoria também informou que "se confirmada a participação de servidores da Polícia Civil do Amazonas na utilização indevida do fardamento da instituição, os mesmos serão encaminhados à Corregedoria do Sistema de Segurança Pública do Estado para que sejam tomadas as devidas providências".

Outros casos

No curto período de agosto até este mês de setembro, outros cinco casos de indivíduos que exibiram fotos na Internetcolocaram em xeque a seriedade das companhias militares atuantes na capital.

Na ordem, o primeiro é o flagra de caronas dadas por viaturas do programa "Ronda no Bairro" a mulheres arté então desconhecidas, o segundo e o terceiro remetem à mulheres nuas e seminuas usando acessórios da Polícia Militar (como braçais, camisas, jaquetas e armas).

Já os dois últimos mostram homens praticando atos libidinosos com supostos tenentes da PM e Exército - este último, segundo denúncia, estaria se relacionando sexualmente dentro do Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs).