quarta-feira, 25 de setembro de 2013

TSE determina recontagem das assinaturas da Rede

Marina Silva
A ministra Laurita Vaz, corregedora-geral da Justiça Eleitoral, acatou ontem o pedido do Ministério Público Eleitoral (MPE) para determinar a recontagem das assinaturas de apoio à criação do partido “Rede”, de Marina Silva. O pedido do MPE afirma que, apesar de ter apresentado 440 mil assinaturas validadas pelo cartório ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Rede só teria comprovado apoio de 102 mil eleitores, devido à contabilização indevida dos cartórios. Ao todo, são necessárias 492 mil assinaturas autenticadas para a criação do partido, que deve ocorrer até o dia 4 de outubro caso queira participar do pleito em 2014. A recontagem dos apoios, portanto, deverá ser feita em poucos dias, reduzindo a possibilidade da criação do partido no prazo exigido pela legislação.

Além da Rede, outros dois partidos estão encontrando dificuldades para confirmar sua viabilização a tempo de participarem das eleições em 2014: o Partido Republicano da Ordem Social - PROS (de políticos sem grande expressão nacional) e o Solidariedade, do deputado Paulo Pereira da Silva, também enfrentam questionamentos da Procuradoria Eleitoral, particularmente após denúncias de falsificação de assinaturas, no caso do Solidariedade. O julgamento dos dois casos deve ocorrer na noite desta terça, 24. Já no caso da Rede, a pressão política sobre o tribunal para viabilização do partido já é grande e deve aumentar essa semana, quando Marina Silva visitará pessoalmente cada um dos ministros do TSE para sensibilizá-los para a sua causa. Mais que isso, a formação da Rede conta com amplo apoio da imprensa e do ex-presidente do STF, Carlos Ayres Brito, recentemente ventilado como possível candidato à vice de Marina (fato negado pelo ministro).