sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Pastoral da Criança é homenageada na Assembleia pelos seus 30 anos de atuação no Brasil


A Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) homenageou nesta sexta-feira (13) a Pastoral da Criança pelos seus 30 anos de atuação no Brasil. A Sessão Especial teve como autor o deputado José Ricardo Wendling (PT), líder do PT na Aleam.

A Pastoral da Criança é formada por voluntários que desenvolvem ações de saúde, nutrição, educação, cidadania e espiritualidade de forma ecumênica nas comunidades pobres. E as atividades visam promover o desenvolvimento integral das crianças, desde a concepção aos seis anos de idade, e a melhoria da qualidade de vida das famílias.

Para o deputado, essa é uma justa homenagem a uma instituição que atua há três décadas no País, surgindo dentro de um contexto de altas taxas de mortalidade infantil (70 mortes para cada mil nascidos vivos), de desnutrição e de injustiças de um modo geral. “Talvez parte dessa realidade ainda persista, mas esse quadro de desigualdade já foi bastante reduzido”, relatou o parlamentar, ressaltando o belo trabalho da fundadora nacional da Pastoral da Criança, Zilda Arns, profissional da área da saúde que foi uma das vítimas do terremoto do Haiti. Ela que começou os trabalhos em uma cidade do Paraná, onde a taxa de mortalidade era de 127 mortes por mil crianças nascidas vivas.

José Ricardo enfatizou que ao comparar os dados oficiais de mortalidade infantil no País até 2010, a média nacional já era de 15.6 mortes por mil nascidos vivos; e em 2012, esse índice baixou para 13 mortes para cada mil nascidos. “Mas, quando se trata das crianças acompanhadas pela Pastoral, essa média é bem menor. Se tem muito mais vida e alegria com esse belo trabalho voluntário, que é simples, mas que faz toda a diferença na vida de milhares de famílias brasileiras. Parabéns a todos os voluntários e voluntárias da Pastoral da Criança”.

De acordo com Frei Jorge Soares da Silva, coordenador da Cáritas Arquidiocesana e, na ocasião, representante do arcebispo de Manaus, esse momento é de agradecimento, de comemoração e de esperança num futuro diferente para tantas crianças. “Devemos olhar esse momento com a memória das pessoas que se inspiraram para iniciar e levar adiante esse belo trabalho. Porque a Pastoral da Criança é uma inspiração divina. Devemos celebrar a empolgação que sentimos nas pessoas que vestem a camisa da Pastoral, que visitam as famílias sempre empenhadas, porque acreditam na instituição e no resultado que podem fazem na vida das crianças”, contou.


Ações de transformação

Deusimar Medeiros, atual coordenadora da Pastoral da Criança, disse que, há 30 anos, a Pastoral tem marcado a vida de tantas famílias, com a presença do amor solidário de Deus. “Queremos reconhecer e agradecer a contribuição dos voluntários e de todos os membros da igreja. Sem vocês, seria difícil fazer esse importante trabalho social”, reconheceu a coordenadora.

Já a nova coordenadora da Pastoral da Criança, Irmã Terezinha Fartine, agradeceu esse encontro de amizade e de gratidão que marca a vida de todos que atuam na instituição. “A Pastoral leva o evangelho a milhares de família, para que todos tenham vida, e vida em abundância. Temos a missão de evangelizar, a missão que Jesus teve aqui na terra. Parabéns a todos”.

Vera Lúcia Pereira, coordenadora Arquidiocesana da Pastoral da Criança, lembrou do início dos trabalhos da instituição, cuidando desde a desnutrição infantil até as crianças com obesidade, que é um dos sérios problemas da vida moderna. “Nos esforçamos para continuar essas atividades, trabalhando ao lado do poder público e salvando vidas por meio do Evangelho. Uma salva de palmas a todas as nossas líderes”.

Procuradora do Ministério Público do Estado (MPE), Suzete dos Santos, manifestou sua felicidade em saber que milhares de pessoas doam parte do seu tempo para cuidar da vida de tantas crianças. “Momento de reflexão para que os poderes públicos vejam que com pequeno esforço e poucos recursos pode se fazer muito por milhares de famílias. Parabéns a todos que fazem parte desse lindo trabalho”, destacou.

O voluntário da Pastoral e professor Gedeão Amorim destacou o importante papel da igreja à frente desse belo trabalho. “Parabéns a todos que fazem parte desse corpo de voluntários, pessoas felizes que atuam para fazer o bem a milhares de crianças e suas famílias. Precisamos incentivar essas ações para que esses 30 anos se prolonguem por muitas e muitas décadas”, declarou ele, defendendo que se invista mais na educação das crianças, já que o poder público gasta R$ 4 mil/mês com cada preso e somente R$ 4 mil/ano com cada aluno na rede pública.
Histórico da Pastoral

Ao longo dessas três décadas, a Pastoral da Criança ganhou importância e reconhecimento da sociedade, participando atualmente de várias instâncias de decisão sobre políticas públicas, em vários níveis de governo, como os conselhos de saúde, direitos da criança e do adolescente, assistência social e segurança alimentar.

A instituição agrega mais de 219 mil pessoas voluntárias, acompanhando mais de 1,4 milhão de crianças e 76 mil gestantes em mais de 38 mil comunidades. As ações dessas pessoas ajudam a reduzir a mortalidade infantil e a promover a paz e a justiça social nos grandes bolsões de miséria do Brasil. E o resultado é a promoção humana e o fortalecimento das comunidades.

Participaram dessa Sessão Especial, dentre outros órgãos e instituições: Pastoral Estadual da Criança, Arquidiocese de Manaus, Ministério Público do Estado (MPE), Fundação Nacional da Saúde (Funasa), Cáritas Arquidiocesena, Serviço de Ação, Reflexão e Educação Social (Sares), Associação Vida e Cidadania, Marcha Mundial de Mulheres, Fórum Estadual de Combate à Corrupção, além de paróquias e de áreas missionárias da cidade.

Fonte: Assessoria de Comunicação