domingo, 8 de setembro de 2013

Espionagem: expectativa sobre resposta de Obama à presidenta Dilma

Expectativa: agora, depois do encontro reservado mantido ontem em São Petersburgo, em que a presidenta Dilma Rousseff cobrou do presidente Barack Obama, com todas as letras, explicações sobre a espionagem dos serviços secretos de inteligência norte-americanos de que foram vítimas ela, seus ministros e assessores, resta aguardar a resposta que o mandatário norte-americano prometeu dar às autoridades brasileiras até a próxima 4ª feira.

Agora é esperar o que os EUA e o presidente Obama farão. E aí, analisar e ver como nós reagiremos. O Brasil não tinha como não fazer essa cobrança rigorosa – a mesma feita pelo presidente do México, Peña Nieto, também ele espionado pelos norte-americanos.

Afinal, como disse o ex-presidente Lula, ontem, “os EUA não foram nomeados para serem xerifes do mundo. Ninguém pediu. Se querem saber alguma coisa da Dilma, que perguntem. Não tem que ficar bisbilhotando. Foi grave, muito grave. Os americanos passaram os limites do respeito à soberania dos países.”

“Ninguém nomeou os EUA xerifes do mundo

O ex-presidente julgou inaceitável as desculpas dadas por Obama, de que a espionagem serviria para proteger outras nações. “Ninguém está pedindo proteção. O que os americanos não suportam é o fato de o Brasil ter virado um ator global”. Justificativa mais pífia e sem cabimento essa do presidente Obama!

Em entrevista coletiva na manhã de hoje em São Petersburgo (onde participou da reunião do G-20), e sem esconder a irritação que persiste com o episódio, a presidenta Dilma revelou que Obama assumiu a responsabilidade “direta e pessoal” pelo monitoramento de seus dados telefônicos e eletrônicos. A presidenta falou do seu propósito de sugerir à ONU um projeto para definir um novo marco para invasão de privacidade.

Na entrevista, a presidenta adiantou que a manutenção de sua visita de Estado a Washington, ainda programada para começar dia 23 de outubro, dependerá das condições políticas que vierem a partir das explicações da Casa Branca. “Minha viagem a Washington depende das condições políticas a serem criadas pelo presidente Obama”.

O governo brasileiro já cancelou a ida da missão técnica à capital norte-americana para preparar a visita oficial aos EUA. Se as explicações que vierem na 4ª feira forem insatisfatórias, a presidenta Dilma pode e deve cancelar também a sua visita. Afinal, a cada dia que passa e a cada nova revelação, amplia-se a gravidade da espionagem feita no Brasil – e eles espionam o mundo todo – e do atentado à soberania do nosso país.

NYT traz revelações assustadoras sobre espionagem

Ainda ontem o New York Times (NYT) publicou reportagem em que revela que a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA, costumeiramente corrompe parte da proteção digital do comércio global e dos sistemas bancários, além de proteções automáticas de e-mails, pesquisas na web, chats na internet e chamadas de telefone de americanos e cidadãos ao redor do mundo.

O jornal fundamenta a reportagem em mais documentos que, segundo afirma, acessou junto a Edward Snowden, o técnico prestador de serviços à CIA e à NSA e que denunciou o esquema de espionagem que vem sendo divulgado há algumas semanas.

De acordo com os documentos a que teve acesso, o NYT informa que diversos programas da NSA permitiram a investigação de dados e conteúdo de conversas entre milhões de pessoas em todo o mundo. Segundo o jornal, a NSA consegue corromper a criptografia que protege dados e confere privacidade na internet, utilizando supercomputadores, truques técnicos, ordens judiciais e persuasão nos bastidores.