sábado, 2 de novembro de 2013

Pesquisa aponta irregularidades no uso de agrotóxicos em alimentos


Uma pesquisa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária mostrou que um terço das frutas, verduras e legumes consumidos pelos brasileiros apresenta resíduos de agrotóxicos acima do permitido ou que foram usados de forma indevida.

Legumes grandes, frutas bonitas, folhas sem sinal do ataque de pragas. O preço desta beleza pode ser um risco a saúde. A pesquisa da Anvisa analisou mais de três mil amostras dos alimentos de maior consumo no país: arroz, feijão, tomate e outros dez produtos.

O pimentão lidera o ranking: 89% das unidades apresentaram resíduos. Os níveis foram altos também na cenoura e no morango. Pepino, alface e abacaxi tiveram mais de 40% das amostras com agrotóxicos.

A pesquisa comprovou dois tipos de irregularidades: níveis acima do permitido e a presença de produtos que não têm o uso autorizado no Brasil, o que para a Anvisa isso demonstra a utilização do uso de agrotóxicos contrabandeados no país.

Agricultores usam substâncias indicadas para um tipo de alimento, em várias culturas, o que aumenta o risco de contaminação.

“Usado de maneira indevida, tanto o agricultor quanto o consumidor pode sofrer as consequências de uma intoxicação aguda ou uma intoxicação crônica”, destaca Dirceu Barbano, diretor-presidente da Anvisa.

A Anvisa agora quer identificar porque alguns produtores estão usando indevidamente os agrotóxicos. “Ir até a propriedade dele e verificar se de fato é falta de produto, se de fato é falta de orientação, ou se é alguma questão de mercado que move essa utilização indevida do produto”, destaca Dirceu Barbano, diretor-presidente da Anvisa.

De acordo com a Anvisa, o consumo em excesso de alimentos com resíduos de agrotóxicos pode provocar reações alérgicas e respiratórias, além de distúrbios hormonais, problemas neurológicos e câncer.