quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Em Minas Gerais, prostitutas vão aceitar até pagamento parcelado no cartão


Segundo a presidente da Associação de Prostitutas, Maria Aparecida Vieira, 20 garotas de programas de Belo Horizonte já abriram conta na CEF e devem receber as máquinas para debitar e creditar os valores dos programas.

A Caixa Econômica Federal (CEF) firmou convênio com a Associação de Prostitutas de Minas Gerais para permitir que elas possam receber por meio de cartão de débito e crédito o pagamento de programas, que poderão até ser parcelados.

A assessoria da Caixa informou que, com o convênio, as prostitutas e travestis que fazem programas remunerados, terão o mesmo tratamento de outras categorias de autônomos.

Além da possibilidade de receber por meio de cartão, as prostitutas terão também cobertura de previdência social, aposentadoria por idade e invalidez, auxílio doença, salário maternidade, pensão por morte, auxílio reclusão, custo zero para formalização, imposto zero para o governo federal e talões de cheque, cheque especial e dinheiro para capital de giro.