quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Waldemir rebate o líder do prefeito que afirma que investigação nos contratos de aluguéis da Semed não é necessária



“É natural que essa Casa faça política. Aqui é o lugar para isso,” disse o vereador Waldemir José (PT) ao rebater o discurso do líder da bancada do prefeito vereador Wilker Barreto (PHS) que se posicionou contra a realização de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias de irregularidades nos contratos de aluguéis feitos pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) para funcionamento de escolas. As declarações foram feitas na manhã desta quarta-feira (9), durante o Pequeno Expediente da Câmara Municipal de Manaus. 

De acordo com Wilker Barreto, só existem dois casos de aluguéis irregulares, portanto não há necessidade de ser realizada uma CPI para investigar esse fato. 

Mas, para Waldemir José, as informações divulgadas pelo ex-subsecretário, Deusamir Pereira, são de que a Semed aluga 172 prédios em Manaus para serem utilizados como escolas, anexos ou mesmo depósitos, o que chega a custar ao Munícipio um total de R$29 milhões por ano e um desses prédios, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Domingos Sávio, funcionou como o comitê de campanha do prefeito Artur Neto (PSDB) na última eleição, ainda não tem nem contrato de locação. 

“Esse caso é gravíssimo e a Câmara precisa apurar essas denúncias. Esse parlamento tem o dever de cumprir sua função de fiscalizador. Além disso, um dos imóveis envolvidos foi o comitê de campanha do prefeito. Temos que apurar se o aluguel desse imóvel é uma retribuição pelo valor doado à Campanha de Arthur ou é um pagamento de campanha? Como uma transação com a Administração Pública há 6 meses não tem nenhum contrato?”, questionou o parlamentar. 

Fonte: Assessoria de Comunicação