terça-feira, 8 de outubro de 2013

José Ricardo vai ao Ministério Público pedir providências urgentes para o hospital de Novo Airão, o pior que já visitou no Amazonas


O deputado José Ricardo Wendling (PT) irá ingressar com representação no Ministério Público do Estado (MPE) contra o Governo do Estado, por conta do descaso no único hospital existente no Município de Novo Airão (a 180 quilômetros de Manaus).

No local, o caos é total: se até novembro do ano passado, a estrutura do prédio estava comprometida, com vazamentos no telhado e forro quebrado, além da falta de médicos, enfermeiros, funcionários, ambulância, aparelho de RX, cilindros de oxigênio, gerador de energia e condicionadores de ar, agora, com uma obra de reforma que não termina há quase um ano, os problemas se agravaram por deixar uma ala da unidade atendendo mais do que precariamente a população da cidade.

José Ricardo esteve nessa unidade hospitalar em outubro de 2012, quando se deparou com uma situação caótica, elencando o local como o pior hospital que já havia visitado dentre a maioria dos municípios do Amazonas. “Depois dele, só o hospital do Careiro Castanho”, disse ele, ressaltando que, na ocasião, havia enviado relatório da visita à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), pedindo, inclusive, a construção de uma nova unidade hospitalar.

No último final de semana, o parlamentar retornou ao hospital e constatou uma realidade ainda pior: o prédio está em reforma desde novembro de 2012, com previsão de término da obra para 90 dias. “Mas estamos há quase um ano depois do início da reforma, período em que já houve quatro paralisações, e as obras não foram concluídas. E o pior: interditaram somente parte da unidade, porque a outra continua atendendo a população numa situação desumana. A situação ficou pior do que já estava”, alertou o deputado.

Para ele, essa triste realidade é um verdadeiro descaso do Governo do Estado. “Se já é um absurdo vermos a crítica situação de muitos hospitais distantes da capital, imagina quando estamos falando de uma cidade ao lado de Manaus”, declarou o deputado, que irá encaminhar novamente relatório à Susam, mas que agora o caso irá parar nas mãos do Ministério Público.

Fonte: Assessoria de Comunicação