quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Inflação preocupa FMI, mas fica abaixo de 6% em 12 meses


No relatório que divulgou ontem, o FMI reduziu a previsão de crescimento do PIB brasileiro para 2014. Para 2013, foi mantida a previsão de 2,5%.

“A recuperação do Brasil vai continuar em ritmo moderado, ajudado pela depreciação do câmbio, por um ganho de força do consumo e por políticas que visam o aumento do investimento”, diz o relatório.

É preciso aguardar o desempenho do terceiro trimestre para tirar conclusões um pouco mais firmes, mas o crescimento do Brasil pode ser maior neste ano e no ano que vem. A conferir.

Já sobre inflação, o FMI diz que ela pode estar afetando a renda real e pode “pesar no consumo”. Como é de hábito, recomenda o aumento na taxa de juros. O COPOM se reúne hoje para definir a Selic.

Mas, como já dissemos aqui, a inflação está sob controle e convergindo para o centro da meta. O IPCA de setembro, divulgado hoje, ficou em 0,35%, levando o acumulado dos últimos 12 meses para 5,86%, o mais baixo desde dezembro do ano passado. Em setembro de 2012, a taxa havia sido de 0,57%.