domingo, 13 de outubro de 2013

Desculpe, Marina - Por João Pedro


Marina Silva iniciou sua vida pública militando no Partido Revolucionário Comunista (PCR), agremiação marxista que se abrigava no PT, filha de seringueiro, exerceu atividade de doméstica e militou juntamente com Chico Mendes. No entanto, a ex-ministra do governo Lula resolveu seguir os passos do ex-presidente Fernando Henrique, ou seja, renegar o seu passado, o que tem deixado parte de seus eleitores bastante frustrados, conforme postagens nas redes sociais.

A ex-bóia-fria sempre se arrogou defensora de uma ‘nova política’ e se posicionava contra as alianças espúrias e pragmáticas. No entanto, nos últimos três anos Marina tem praticado ações de empalidecer os críticos do nosso sistema político. Deixou o PT e entrou no PV para se lançar candidata a presidência, rompeu com este e pretendia criar outra agremiação com o mesmo propósito, frustrada em sua tentativa, se filiou ao PSB para sair candidata, não se sabe ainda a que. Como se vê essa é a ‘nova política’ de Marina: arranjar um partido para ser candidata.

Faltaram 50 mil assinaturas para o registro da ‘Rede de Sustentabilidade’. Além de querer usar o famoso ‘jeitinho’ para persuadir o TSE legalizar seu partido, mesmo irregular, Marina insinuou ter sido vítima do ‘chavismo petista’. Desculpe Marina, mas quem teve quase 20 milhões de votos nas últimas eleições presidenciais e não conseguiu reunir 500 mil assinaturas, isso se chama incompetência. É lamentável ver uma ex-companheira de Chico Mendes usar o mesmo discurso da direita conservadora contra o PT.

Num grande esforço é bastante compreensível que Marina queira ser sujeita ativa nas eleições de 2014, mas soa como uma grande contradição a militante ambientalista Maria subir no mesmo palanque onde estarão os Bornhausem, Eraclitos e Caiados da vida, figuras responsáveis pelo que tem de mais atrasado em questão ambiental no Brasil.

Tenho me esforçado para compreender suas atitudes, mas desculpe Marina, parte do seu eleitorado está decepcionado e certamente de mal com você.

* João Pedro é presidente do PT-Am.