quarta-feira, 25 de junho de 2014

Brasil faz bonito no seu 100º jogo em uma Copa.


Vuvuzelas, toques de cornetas, fogos os mais variados, gritos de muita emoção diante de cada um dos quatro gols do Brasil na partida contra Camarões nesta 2ª feira (23.06): o Brasil respira futebol e deu mais um show de hospitalidade ao se confraternizar com os torcedores estrangeiros.

Em campo, na 2ª feira, no 100º jogo de uma seleção do país em uma Copa do mundo, nosso time esteve estava mais tranquila, sem o nervosismo (só um pouquinho, no início da partida, mais ansiedade do que nervosismo propriamente…) da estreia e do jogo contra o México. Marcamos nossa liderança no Mundial, marcando 4 gols contra 1 da seleção de Camarões.

Mais uma vez Neymar se destacou ontem como o melhor jogador em campo, marcando dois gols e dando o brilho ao futebol brasileiro. Destaque também para Fred que desencantou e marcou seu primeiro gol na Copa. E, também, para a presença – solicitada anteriomente pelos torcedores – de Fernandinho.

Embora o jogo tenha começado truncado, a seleção brasileira ganhou maior mobilidade com a mudança no meio de campo para o ataque, feita pelo técnico Luís Felipe Scolari. Com Fernandinho em campo, a seleção jogou melhor e marcou seu quarto gol contra Camarões. Agora, tudo indica que ele vai permanecer como titular.

Que venha o Chile!

Assim, apesar dos problemas na defesa e da necessidade de fecharmos melhor as laterais, o Brasil passa para as oitavas de final e se prepara para enfrentar a seleção do Chile que embora sem muita tradição em Copa, vem sendo considerada a melhor seleção daquele país dos últimos tempos.

Os chilenos, podem apostar, vão querer revanche: fomos nós que os derrotamos em casa, na Copa do Chile de 1962, por 4 a 2: dois gols de Garrincha “Alegria do Povo” e dois de Vavá no lotado Estádio Nacional do Chile. Na final naquele ano o Brasil levou a taça derrotando a Tchecoslováquia. O Chile ficou em terceiro.

Preparem-se: nosso jogo contra o Chile começa às 13h, no próximo, sábado (28.06), no Estádio Magalhães Pinto, o Mineirão, em Belo Horizonte. A promessa é de mais emoções, até, do que as que tivemos até agora. Afinal, há meses, desde a classificação das equipes para a Copa Felipão vem dizendo: tudo, todos e qualquer um pela frente, menos o Chile…

Ele a considera uma das seleções mais preparadas, acompanhada sempre por uma das torcidas mais motivadoras e com o fator adicional de ser de um país aqui do continente onde impera a paixão pelo futebol mais do que por qualquer outro esporte.