quarta-feira, 25 de junho de 2014

ACIDENTE COM BALSA DEIXA CERCA DE 500 MIL FAMÍLIAS SEM ÁGUA EM MANAUS.

Foto: A colisão de uma balsa transportadora de areia com a plataforma de captação do Programa Águas para Manaus (Proama), na tarde desta terça-feira, 24, provocou a suspensão do fornecimento de água para cerca de 500 mil famílias da zona Leste. Imediatamente após o ocorrido, o prefeito Arthur Virgílio Neto e o governador José Melo determinaram que providências imediatas fossem tomadas para que os prejuízos sejam mínimos à população.
 
A colisão ocorreu após a balsa perder o controle e atingir parte da plataforma, danificando a estrutura e interrompendo o fornecimento de água. Como parte das medidas determinadas, a Defesa Civil do Estado e a Polícia Civil estão fazendo a perícia técnica para avaliar o risco que apresenta a estrutura danificada.
 
Além disso, um calculista especializado chegará de São Paulo nesta quarta-feira, 25, para avaliar os prejuízos e explicar sobre a gravidade do problema. “Somente após essa avaliação que será feita amanhã (quarta-feira) é que poderemos dizer quanto tempo e como vamos fazer para resolvermos o problema do abastecimento”, explicou o diretor-executivo do Proama, Sérgio Ramos Elias, ressaltando que o acidente foi resultado da irresponsabilidade do condutor da balsa, que não deveria navegar tão próximo a margem.

A colisão de uma balsa transportadora de areia com a plataforma de captação do Programa Águas para Manaus (Proama), na tarde de terça-feira, 24, provocou a suspensão do fornecimento de água para cerca de 500 mil famílias da zona Leste. Imediatamente após o ocorrido, o prefeito Arthur Virgílio Neto e o governador José Melo determinaram que providências imediatas fossem tomadas para que os prejuízos sejam mínimos à população.

A colisão ocorreu após a balsa perder o controle e atingir parte da plataforma, danificando a estrutura e interrompendo o fornecimento de água. Como parte das medidas determinadas, a Defesa Civil do Estado e a Polícia Civil estão fazendo a perícia técnica para avaliar o risco que apresenta a estrutura danificada.

Além disso, um calculista especializado chegará de São Paulo nesta quarta-feira, 25, para avaliar os prejuízos e explicar sobre a gravidade do problema. “Somente após essa avaliação que será feita amanhã (quarta-feira) é que poderemos dizer quanto tempo e como vamos fazer para resolvermos o problema do abastecimento”, explicou o diretor-executivo do Proama, Sérgio Ramos Elias, ressaltando que o acidente foi resultado da irresponsabilidade do condutor da balsa, que não deveria navegar tão próximo a margem.