quarta-feira, 25 de junho de 2014

Luciano Huck oferece brasileiras para gringos e revolta fãs

O apresentador Luciano Huck, no 'Caldeirão'

Apresentador se viu obrigado a apagar post após críticas nas redes sociais. A amigos próximos, ele disse que a 'proposta' não passa de um 'namoro na TV'.

A Copa do Mundo fez o Rio de Janeiro entrar em um carnaval fora de época. Não só pela intensa movimentação de turistas pela cidade e a aglomeração de pessoas fantasiadas e festejando o tempo todo - o clima de azaração é permanente por toda a cidade. Brasileiros e brasileiras são uma atração à parte para gringas e gringos, e vice-versa. Em meio a toda a movimentação de casais que nem sempre duram mais do que o primeiro beijo, espalham-se campanhas contra a exploração sexual de mulheres. Qualquer brincadeira em relação a isso não é bem vista. Por isso, pegou tão mal o "convite" que Luciano Huck fez nas redes sociais esta semana.

Reprodução do Facebook de Luciano Huck

"Carioca? Solteira? Louca para encontrar um príncipe encantado entre os 'gringos' que estão invadindo o Rio de Janeiro durante a Copa? Chegou a sua hora... Mande fotos e por que você quer um gringo 'sob medida'", escreveu ele, na tarde de terça-feira, provavelmente preparando algum novo quadro para o seu Caldeirão. A proposta, que continha ainda um e-mail de contato, foi divulgada no Facebook e no Twitter, que imediatamente se encheram de críticas. Houve quem chamasse o apresentador de "cafetão" e pedisse mais respeito às mulheres. Os que condenam a atitude são, em sua maioria, homens, mas muitas mulheres também se mostram ofendidas.

Para evitar constrangimento maior, Luciano apagou o post do Facebook, o que levou os seguidores a comentarem em publicações anteriores. Deve fazer o mesmo no Twitter, embora as duas publicações já tenham se multiplicado em reproduções na internet. Oficialmente, ele não se manifesta sobre o assunto, prefere esperar que a história perca força sozinha. Mas a amigos próximos, o apresentador se mostrou surpreso com a repercussão negativa de uma ideia que, segundo suas palavras, "nada mais é do que o 'namoro na TV', que existe há mais de 40 anos na televisão e ninguém critica".