sexta-feira, 3 de maio de 2013

Médicos estrangeiros poderão atuar no país

Boas notícias. A partir do próximo mês, médicos estrangeiros poderão atuar no interior do Brasil. A proposta do governo foi anunciada nesta semana, pela ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), durante o Encontro Estadual com Novos Prefeitos e Prefeituras, em Teresina.

O objetivo é sanar um grave problema, a falta de médicos no país. Ideli foi categórica: "está muito difícil conseguir médicos que queiram atuar no interior do país. Por isso, a presidente resolveu adotar a medida para que médicos estrangeiros venham para cá. Além disso, é uma forma de reduzir o custeio dos prefeitos, já que o Ministério da Saúde irá pagar os benefícios desses médicos".

Segundo a ministra, algumas prefeituras chegam a pagar salários que variam de R$ 25 mil a R$ 30 mil para contar com esses profissionais em suas regiões. Em Teresina, ela também fez um balanço do Programa de Valorização do Profissional de Atenção Básica (PROVAB). Dos 224 municípios do Piauí, apenas 131 médicos aderiram ao programa e atendem apenas 51 cidades.

"Muitos municípios não aderiram ao PROVAB. Eu não sei quem deu a orientação equivocada, mas a maior parte dos municípios não aderiu, e nós vamos pedir ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, se há possibilidade de reabrir o PROVAB novamente", garantiu a ministra. O programa, além de cursos de pró-graduação em Saúde da Família, oferece uma bolsa R$ 8 mil por mês, por um ano, para os médicos cadastrados.

Todo apoio, evidente, tanto ao PROVAB, quanto a este decreto da presidenta Dilma Rousseff que vai permitir que médicos de todos os países possam ser contratados para atuar nestas regiões. Todo esforço é válido. E por que não avaliarmos a criação de um serviço social realizado pelos estudantes das escolas públicas de Medicina do país?