terça-feira, 21 de maio de 2013

Dilma: boato sobre o Bolsa Família é ato "desumano" e "criminoso"


Há pouco mais a comentar diante do crime cometido pelo autor, ou autores, desse boato surgido no fim de semana, de que o programa Bolsa Família iria acabar ou seria suspenso. O que dizer mais dessa irresponsabilidade que provocou corrida às lotéricas e agências da Caixa Econômica Federal (CEF) pagadoras do benefício, o que gerou filas e tumulto em pontos de saque em pelo menos 13 Estados, principalmente em Alagoas, Paraíba, Ceará e Maranhão?

A não ser enfatizar e endossar a análise feita pela presidenta da República, Dilma Rousseff, diante do caso que levou 920 mil das 13 milhões de famílias beneficiárias do programa a essa corrida bancária. Ela simplesmente provocou a retirada antecipada de R$ 152 milhões do programa, 65% a mais do que normalmente é retirado pelos contemplados pelo Bolsa num fim de semana.

"É algo absurdamente desumano o autor desse boato. Por isso, além de desumano, ele é criminoso. Nós colocamos a Polícia Federal para descobrir a origem de um boato que tinha por objetivo levar a intranquilidade aos milhões de brasileiros que nos últimos 10 anos estão saindo da pobreza extrema", afirmou a presidenta em discurso na cerimônia que marcou a viagem inaugural do petroleiro Zumbi dos Palmares, em Ipojuca (PE).

PF tem condições de ver de onde surgiram primeiros e-mails

"Espalhou-se um boato falso, negativo, que leva intranquilidade às famílias mais pobres", reclamou a presidenta. No discurso, ela reiterou que seu governo não abre mão de compromissos com o Bolsa Família - e com a construção nacional de navios. "O compromisso do meu governo com o Bolsa Família é forte profundo e definitivo. Nós não abriremos mão do programa, assim como não abriremos mão do nosso compromisso com o conteúdo nacional para a indústria naval", assegurou. A presidenta classificou o o dinheiro do Bolsa como "sagrado".

"Enquanto for necessário - concluiu - e tiver algum brasileiro vivendo abaixo da linha da pobreza, iremos buscar esse brasileiro e garantir-lhe esse direito de cidadania que é viver com o mínimo de dignidade em nosso país".

Indiscutível que com o boato gerou-se um fato criminoso que a Polícia Federal tem condições de descobrir. Com certeza ela tem meios de investigar de onde surgiram os e-mails que geraram esse pânico, tudo indica, ação organizada de profissionais. O país espera as investigações.