sábado, 18 de maio de 2013

Conselho Federal de Medicina é contra importação de médicos estrangeiros

Inacreditável, mas o Conselho Federal de Medicina (CFM) entrou com representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra os ministros da Saúde, Educação, e das Relações Exteriores por terem anunciado que vão trazer médicos do exterior para trabalhar no Brasil. A entidade quer que a PGR solicite esclarecimento aos três ministros, sobre a proposta de trazê-los sem a revalidação do diploma.

No último dia 6, o chanceler Antônio Patriota anunciou o plano de contratar 6 mil médicos de Cuba para auxiliar no atendimento básico em regiões de população carente e onde a assistência à saúde é deficiente. No início desta semana o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, informou que seu Ministério vai contratar, também, profissionais de saúde de Portugal e da Espanha. Desde o 1º anúncio dos planos, o CFM posiciona-se contra a iniciativa considerando-a "inconstitucional".

O presidente do CFM, Roberto D’Avila, assinalou que a preocupação da categoria é com a qualidade dos serviços prestados e acusou: "Querem dar uma medicina de baixa qualidade para o povo. Não é (da parte dos médicos) corporativismo e nem reserva de mercado, muito menos xenofobia. O que nós estamos defendendo é a revalidação do diploma. É assim que os países sérios fazem."

Nós poderíamos ter seis médicos por mil habitantes, como em Cuba, porém, o país tem apenas dois médicos para cada mil habitantes, concentrado no sul e sudeste.