sábado, 18 de maio de 2013

Crescimento da internet na baixa renda é fruto da revolução social

O expressivo crescimento do acesso à internet no Brasil é mais um dado concreto da revolução social que o país vive, com o aumento da renda e do emprego, além da educação.

De acordo com estudo divulgado pelo IBGE, quase metade (46,5%) dos brasileiros com dez anos ou mais acessava a web em 2011. O índice é mais que o dobro do verificado em 2005, quando era de 21%.

Em seis anos, o Brasil ganhou 21 mil novos usuários por dia. São 45,8 milhões de novos usuários, chegando ao total de 77,7 milhões. O Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal leva em conta quem acessou a internet nos últimos três meses por computador ou notebook.

“Todo esse processo que o país tem vivido nos últimos anos de redução da pobreza e de aumento da qualidade do emprego, do poder de compra, esse conjunto de fatores socioeconômicos tem propiciado a essa população maior acesso à internet”, diz o coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo.

Dentro desse contexto, é necessário destacar que os maiores aumentos foram no Norte e no Nordeste, embora ainda sejam as regiões com menores índices de acesso. Mas houve um avanço significativo.

É um dado fantástico, que revela a diminuição da desigualdade regional ao lado da social e cultural.

É claro que ainda é preciso muito esforço para fazer os índices dessas regiões se aproximarem dos do Sudeste (54,2%), do Centro-Oeste (53,1%) e do Sul (50,1%). Mas não há como negar o expressivo avanço.