terça-feira, 29 de julho de 2014

TERRORISMO ELEITORAL DO SANTANDER


A carta contra a reeleição da presidenta Dilma Rousseff, enviada pelo banco Santander, foi uma atitude inadmissível.

Durante a plenária da ‪#‎CUT‬, o ex-presidente Lula rebateu o informe lembrando que “não tem lugar no mundo onde o Santander esteja ganhando mais dinheiro que no Brasil”.

Para ele, quem fez esta declaração não entende nada de Brasil e que “o governo federal não vai jogar fora a confiança que o país conquistou nos últimos anos”.

Ontem, na sabatina realizada pelo jornal Folha de S.Paulo, no Palácio da Alvorada, a presidenta ‪#‎Dilma‬ classificou como “lamentável e inadmissível” a ação do banco.

Segundo ela, o pedido de desculpas da instituição foi, apenas, “protocolar”.

Os bancários do ‪#‎Santander‬ decidiram, inclusive, fazer um dia de luta contra o terrorismo estimulado pelo banco.

Na Conferência Nacional dos Bancários, os sindicalistas aprovaram uma moção de repúdio à carta. Outros sindicatos do setor também manifestaram objeção ao informe.

O ‪#‎SindicatodosBancários‬ de São Paulo, de Osasco e Região, também farão uma reclamação formal ao presidente do banco espanhol, Emílio Botín.