terça-feira, 29 de julho de 2014

Ator global Malvino Salvador neutraliza suas emissões de CO2.

Imagem

O ator global Malvino Salvador (38) está cumprindo a máxima de que há três coisas que um homem deveria fazer na sua vida: plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro, do poeta cubano José Martí. Em janeiro desse ano, Malvino anunciou que espera pela chegada de sua segunda filha, fruto da relação com a namorada, Kyra Gracie. Além disso, Malvino abraçou o Programa Carbono Neutro e será “pai” de 43 árvores, plantadas na Reserva do Uatumã, no interior do Amazonas.

“Emitimos muito carbono no nosso cotidiano. Eu e os técnicos do IDESAM – Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas – calculamos minha emissão anual de carbono, baseada nos meus hábitos”, afirma o ator global.

Os técnicos do Idesam usaram uma fórmula, através da calculadora de emissões, e chegaram à conclusão de que Malvino Salvador será responsável pelo plantio de 43 árvores para compensar essa emissão.”Muito em breve, vou receber o selo Carbono Neutro IDESAM. Significa que passo a ser carboneutralizado!”, destaca animado o ator global manauara.

E completou: “A relação com a natureza é um grande exemplo que passo para minhas filhas”, conclui.

Sobre a parceria

Malvino nasceu em Manaus, onde ficou até os vinte e cinco anos. Sempre teve relação estreita com as questões de sua terra. “O Programa Carbono Neutro IDESAM nos permite fazer essa conexão direta com a Amazônia. E não precisamos ir até lá! De qualquer lugar, é possível neutralizar os carbonos que emitimos”, encerrou Malvino, mencionando que o livro é o próximo passo a ser pensado.

Sobre o Programa

O Programa Carbono Neutro IDESAM é um programa de compensação de emissões de gases de efeito estufa (GEEs) através da implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs) em áreas degradadas na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã (RDS do Uatumã), localizada na região nordeste do Estado do Amazonas.

O principal objetivo do Programa é perenizar a produção agrícola e florestal local através de um modelo de desenvolvimento social de baixo carbono, de forma a gerar “créditos” de carbono para compensar a emissão dos parceiros interessados.