quarta-feira, 30 de julho de 2014

Comissão da Verdade de Pernambuco tem acesso à documentação inédita do IBAD em Brasília.


A Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Helder Câmara cumpre agenda na capital federal, no período entre 04 a 06 de agosto. Na Câmara dos Deputados, a CEMVDHC recebe – por iniciativa dos deputados federais Pedro Eugênio (PT) e Luíza Erundina (PSB), cópia digitalizada do processo do Instituto Brasileiro de Ação Democrática - IBAD, fruto da CPI do IBAD, que, instaurada em 1963, funcionou no Congresso Nacional antes do Golpe Militar. Os registros – que durante muito tempo permaneceram inacessíveis até mesmo à pesquisa histórica – foram sumariamente engavetados após o Golpe e denunciam o financiamento na compra de apoio de candidatos opositores à esquerda em todos os estados brasileiros.

Com a parceria, o Colegiado pernambucano será pioneiro no acesso aos arquivos, após um hiato de 50 anos do “mais absoluto sigilo de uma documentação que constituía segredo de Estado” – afirma o coordenador Fernando Coelho, corroborando a tese de que “a deposição de João Goulart não foi algo decidido de última hora e que o Golpe de 64 foi minuciosamente gestado pelos militares”. Miguel Arraes de Alencar, governador de Pernambuco à época, teve papel fundamental na construção da Comissão Parlamentar de Inquérito. “Arraes forneceu riquíssima documentação denunciando toda a trama e eu tive a oportunidade de acompanhar e verificar o processo, composto por mais de dez volumes, que incluía recibos de pagamentos de propina” - arrematou Coelho.

Agenda no STM – Na sequência da agenda, os membros da CEMVDHC têm reunião marcada com a presidente do Superior Tribunal Militar, Maria Elizabeth Teixeira Rocha. O objetivo é firmar acordo de cooperação para pesquisas no acervo do STM, que compreende a época da ditadura militar. A iniciativa de buscar esta parceria com o STM partiu dos membros da Comissão da Verdade de PE. ”Há alguns meses, o grupo solicitou ao Superior Tribunal Militar o acesso a alguns processos que envolviam pessoas mortas ou desaparecidas e que são alvo de investigação e isto foi possível através da investidura da dirigente da Justiça Militar da União, empossada recentemente” – sublinhou Fernando Coelho.

De acordo com Maria Elizabeth, a cooperação com a CEMVDHC e demais Comissões visa dar “publicidade aos arquivos pertinentes ao período da ditadura militar.” De posse dos registros, o Colegiado segue nos trabalhos de apuração dos 51 casos de violação dos direitos humanos contra pernambucanos à época da repressão militar.

Encontro com a CNV - Fernando Coelho e Henrique Mariano – secretário geral da CEMVDHC - além dos membros Nadja Brayner, Manoel Moraes e Humberto Vieira participam de reunião com a Comissão Nacional da Verdade – CNV. O propósito é a apresentação do relatório parcial das atividades da Comissão Estadual, que aponta o Planejamento Estratégico sobre as relatorias temáticas dos casos em processo investigativo, além dos fatos elucidados e apresentados à sociedade. A entrega do material objetiva colaborar e agregar informações aos desdobramentos do Relatório Final da CNV, que deverá ser apresentado em dezembro próximo.

SERVIÇO:

Comissão da Verdade de PE tem agenda em Brasília:

Superior Tribunal Militar 
Data: 04/08/14;
Horário: 17h:30;
Local: Setor de Autarquias Sul – Praça dos Tribunais Superiores – Brasília-DF.

Comissão Nacional da Verdade
Data: 05/08/14;
Horário: 9 h;
Local: Centro Cultural Banco do Brasil -Portaria 3 – 2º andar – Trecho 2 – Lote 22 – Brasília – DF.

Câmara dos Deputados – Sala da Presidência da Câmara
Data: 06/08/14;
Horário: 15 h;
Local: Palácio do Congresso Nacional – Praça dos Três Poderes – Brasília - DF.