terça-feira, 29 de julho de 2014

Marina e Campos, mas que confusão essa dupla!


Câmera, fotógrafo, assessor, líder comunitário, candidatos… Tudo pronto para a inauguração, ontem, da “Casa de Eduardo e Marina” – o comitê voluntário da dupla em Osasco, na casa cedida pelo morador Edivaldo Manoel Sevino, num bairro da cidade. Presente Marina Silva, a ex-senadora agora candidata a vice-presidente na chapa do PSB encabeçada por Eduardo Campos.

Tudo pronto e a postos, câmera em ação, perguntaram a Edivaldo por que ele resolveu fazer de sua casa, um comitê voluntário de campanha. Perguntaram duas vezes e, e aí foi a vez dele perguntar: “pode falar?”. Autorizado, não é que ele falou! “Esperava receber unzinho”, disse sorrindo e fazendo aquele gesto de contar dinheiro com as mãos.

Ele contou que “Pernambuco”, o líder comunitário José Ângelo da Silva, havia lhe feito a oferta. “É porque na minha casa não cabia”, retrucou “Pernambuco”. “É, na dele não tinha espaço”. Quem entrou em ação para explicar o ocorrido foi Reinaldo Mota, candidato a deputado estadual pelo PSB. Disse que “Pernambuco” não trabalha em sua campanha e que minutos antes “uma liderança deu R$ 10 para ele (Edivaldo Sevino) comprar Coca-Cola e aí criou confusão”.

Marina correu para o carro

Em pleno vexame, descontrolada, chocada, sem jogo de cintura algum, Marina correu para o carro e dali não mais saiu, afirmando aos assessores, ser “muito grave” a declaração do seu “voluntário”. Marina pediu, inclusive, que se apure o caso. “Não trabalho dessa forma, nunca fizemos esse tipo de coisa, e isso nem pode, de acordo com a lei”, explicava-se.

Não pode mesmo. Na semana passada outra confusão na campanha envolveu a dupla Eduardo Campos-Marina Silva. Foi em Marília. Montado um dos comitês que chamam de “Edualdo”, para campanha junto aos que vão votar em Eduardo Campos e no governador tucano Geraldo Alckmin, decoraram as paredes com fotos de Marina.

Ela soube e, como não apoia Alckmin, nem a aliança que o partido do parceiro Eduardo fez com o PSDB em São Paulo exigiu imediata retirada de suas fotos. Foi uma correria, tira as fotos de Marina antes da inauguração, põe outras da dupla “Edualdo”, de Eduardo Geraldo…

Mas, vejam vocês só confusão essa dupla Marina e Campos. Poe foto, fira foto, monta e desmonta comitê, foge de cabo eleitoral que espera receber dinheiro, faz e desfaz aliança…