sexta-feira, 16 de maio de 2014

40 pontos estratégicos de SP serão vigiados por 4 mil PMs durante a Copa.

Policial e cavalo da cavalaria da PM de São Paulo vão usar armaduras para atuar em manifestações violentas (Foto: Assessoria de imprensa da Polícia Militar)

Quarenta pontos da cidade de São Paulo passarão a ser vigiados 24 horas por dia a partir da manhã de terça-feira (20) por um efetivo composto por 4.265 policiais militares. São hotéis, centros de treinamento, áreas de festa e vias considerados potenciais alvos de ameaças durante a Copa do Mundo.

A tarefa de vigilância é do Comando de Policiamento Copa (CPCopa). O coronel Wagner Tardelli, comandante do CPCopa, diz que a PM tem a missão de garantir direitos. “O direito de manifestação está permitido desde que não atrapalhe o direito de quem quer ver os jogos”, disse.

Segundo ele, o palco de abertura da Copa estará blindado. “A população verá uma presença maciça da PM na cidade toda”, disse. O CPCopa deve atuar no policiamento geral, deixando a tarefa de desbloquear vias, deter suspeitos de vandalismo e impedir ataques ao patrimônio público e privado para os batalhões territoriais.

A cúpula da PM afirma que a intervenção do Comando de Policiamento de Choque (CPChoque) será o último recurso. “Vamos entrar [nas manifestações] só se estiver à beira de uma guerra civil”, afirma o tenente-coronel Carlos Celso Savioli, comandante do CPChoque. “Só vamos entrar se o CPCopa e a Força Tática do batalhão territorial não conseguirem intervir em um distúrbio urbano”, disse.

Nos últimos dias a Tropa de Choque começou a treinar suas montarias com novos equipamentos. O kit inclui viseira de acrílico, botas antiderrapantes, protetor facial e cobertura de couro no peito.

Os policiais da Tropa de Choque vão usar equipamento que está sendo chamado pelos militares de "Robocop": um exoesqueleto de polipropileno, material resistente a pancadas. Duzentos kits foram adquiridos. Cada conjunto custou aproximadamente R$ 600 para os acessórios dos cavalos e R$ 2,3 mil para os policiais.

Fardas tradicionais, novo brasão

Se a conhecida Tropa de Choque ganhou proteções especiais, os homens do novo CPCopa também exibirão uniformes exclusivos. Eles terão uma farda semelhante à tradicional, porém um pouco mais escura e com um brasão de identificação trazendo a inscrição 2014, na qual o número zero é uma bola verde amarela.

O CPCopa vai atuar até 20 de julho com o objetivo de minimizar eventuais riscos envolvendo o torneio. O novo comando é composto por três batalhões que atuarão em diversas frentes, como na segurança externa do estádio, onde acontecerão os jogos, em estações da Companhia de Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Metrô.

1º BPCopa: cuidados com a Arena

O 1º Batalhão de Policiamento Copa (BPCopa) terá 735 policiais que cuidarão da segurança da Arena Corinthians, em Itaquera, Zona Leste. Além de palco da abertura do torneio, no dia 12 de junho, com o jogo inaugural entre Brasil e Croácia, o estádio receberá mais cinco partidas.

Só quem tiver ingresso ou estiver com veículo credenciado poderá permanecer num raio de 2 quilômetros distante do estádio. No entorno haverá barreiras. “Nos dias de jogos, serão mais de 1.300 PMs no estádio e arredores”, afirmou o tenente-coronel Antonio Valdir, comandante do 1º BPCopa. “Nosso batalhão ficará responsável pela segurança patrimonial externa do estádio 24 horas por dia para evitar danos, depredações e etc.”

Mas, ao contrário de jogos de competições nacionais, como o Campeonato Brasileiro e o Paulistão, as partidas da Copa não terão policiais militares no interior da arena. Lá dentro a segurança será feita por vigilantes profissionais especializados, os "stewards".

Também ficará a cargo do 1º BPCopa os centros de treinamentos usados pelos times e os pontos turísticos na capital. “Os Estados Unidos e Irã, por exemplo, ficarão hospedados em São Paulo. Os americanos treinarão no CT do São Paulo e, os iranianos, no do Corinthians”, disse afirmou o tenente-coronel Antonio Valdir.

2º BPCopa: foco nas festas populares

O 2º BPCopa atuará com 2.600 policiais. Eles estarão na Fan Fest, evento promocional da federação internacional de futebol no Vale do Anhangabaú, no centro, e "public views", shows relacionados à Copa organizados pela prefeitura de São Paulo. Entre os artistas que poderão aparecer estão as cantoras Ivete Sangalo e Claudia Leite.

“Ainda não recebemos a escala toda de quem vai tocar”, disse o tenente-coronel Érico Hammerschimidt Júnior, comandante do 2º BPCopa. O oficial explicou que, durante um mês, são esperadas cerca de 50 mil pessoas na Fan Fest. “A entrada é gratuita, mas não pode gerar superlotação. Por isso serão usadas catracas eletrônicas para contar as pessoas que saem e as que entram.”

“O black bloc não vai amolar lá. Teremos família e crianças”, disse Hammerschimidt Júnior, que falou onde poderá haver problemas. “A preocupação maior deverá ser nos hotéis”, disse.

3º BPCopa: hotéis e "família Fifa"

O 3º BPCopa terá 930 policiais espalhados nos hotéis da ‘família Fifa’ e estações da CPTM e Metrô. “Dia 12 de junho para o planeta e o mundo se curva para ver esse jogo de futebol”, disse o comandante tenente-coronel Walter Romano na sua palestra aos policiais do CPCopa.

“Para se ter uma ideia da nossa responsabilidade, o Joseph Blatter [presidente da Fifa] estará em um dos oito hotéis Fifa, além de políticos representantes dos países participantes”.

“Nós não vamos assumir ocorrências que não são nossas”, afirmou. “O policial só vai intervir e ir para o DP [Distrito Policial] em ocorrência de flagrante. Senão passará para o policiamento da área”, explicou.

CPChoque

Ao todo, 2.150 policiais do CPChoque ficarão de prontidão 48 horas antes de todos os jogos. Agentes da Ronda Ostensiva com apoio de Motocicletas (Rocam) farão escoltas de delegações e autoridades. Ao todo, a PM irá auxiliar outros órgãos de segurança na escolta de 120 autoridades no dia 12 de junho.

Cento e cinquenta policiais atuarão diretamente no estádio, com capacete, cassetetes e escudos, mas sem armas. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), poderá atuar, por exemplo, na varredura da arena para detecção de bombas.

Outros 2 mil estarão de sobreaviso para empregar a força, inclusive com balas de borracha, contra vândalos, se necessário, em outros pontos da cidade. Não há confirmação se a “Tropa do Braço” será novamente utilizada. Segundo a PM, todo o efetivo de 93 mil homens no estado irá trabalhar durante a Copa.