quinta-feira, 29 de maio de 2014

Legados da Copa do Mundo de 2014 para brasileiras e brasileiros.


A 15 dias da Copa do Mundo 2014, os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Defesa, Celso Amorim, destacaram que além do grande investimento do governo federal em segurança pública, a integração das forças policiais e qualificação dos profissionais ficarão como legado para o Brasil.

“Conseguimos nosso objetivo de termos um padrão de excelência na segurança da Copa e, claro, deixar para os brasileiros algo que nunca tivemos, que é a possibilidade da segurança pública ter atuações integradas entre suas linhas de comando, mas sempre com linhas de interesses traçados em comum e dentro de uma metodologia sistêmica, previamente ajustada para garantir uma maior eficiência”, afirmou Cardozo durante coletiva para correspondentes da imprensa internacional.

Além do legado na área da segurança, segundo a Secretaria Geral da Presidência da República, a Copa 2014 no Brasil deixará para os brasileiros e brasileiras, o seguinte:

1. As cadeias produtivas do Futebol e de serviços que giram em torno de cada jogo mobilizam recursos extraordinários. Neste sentido, estima-se que para cada 1,00 real investido pelo poder público em obras estruturantes relacionadas à Copa, o poder privado investirá de 3 a 4 vezes mais, com a criação de novos empregos em todos os setores da economia nacional.

2. Da Copa 2014 resultarão melhorias urbanísticas e de infraestrutura nas doze cidades-sede da Copa e entornos.

3. Embora apenas sete dos treze aeroportos que estão sendo modernizados e ampliados serão entregues antes da Copa, após sua finalização resolverão os problemas operacionais e de segurança que vinham se agravando nos últimos anos.

4. A construção de novos viadutos, avenidas e sinalização ampliada dos sistemas de controle de veículos vão contribuir para maior segurança e melhoria do tráfego.

5. Definição de cidades próximas das cidades-sede para serem utilizadas como Centros de Treinamento e aclimatação dos atletas das diversas seleções, ficando os equipamentos construídos para uso da população após a Copa. 

6. A rede hoteleira das cidades-sede será expandida com construção de novos hotéis nas áreas centrais e próximas aos estádios, fortalecendo o turismo e os ganhos que o mesmo traz.

7. Oportunidade de diversificar pacotes turísticos envolvendo as Cidades-sede da Copa e cidades históricas com título de Patrimônio Mundial concedido pela UNESCO para serem vendidas no exterior, de forma a divulgar além do futebol, a cultura brasileira, as paisagens naturais e os planos urbanísticos das cidades.

8. Fortalecimento do esporte no país, com a criação de bases para elevar o nível dos esportes de alto rendimento, por meio do Plano Nacional de Desportos e do Plano Brasil Medalhas 2016, lançado em 2012, com as seguintes vertentes:

a) Apoio às e aos atletas, disponibilizando recursos para:

o Bolsa-Pódio – atendem às e aos atletas nas categorias: estudantil, de base, nacional, internacional, olímpica e paraolímpica – até 15 mil reais;

o Bolsa-Técnico – atendem às e aos técnicos até 10 mil reais; 

o Equipe multidisciplinar – até 5 mil reais por profissional/mês;

o Equipamento e material esportivo – atendem as modalidades individuais com até 20 mil reais por atleta;

o Apoio a treinamento no Brasil e no exterior e participação em competições – recursos para custos e diárias e aquisição de passagem.

b) Centro de Treinamento, viabilizando recursos para: 

o Construções, reformas e operações de centros de treinamento olímpico e um paraolímpico com equipamentos sofisticados de ginásio, quadra oficial, áreas para prática de boxe, judô, esgrima e minipista de atletismo;

o Seleção de centros esportivos em conjunto com as confederações nacionais dos Estados e Municípios com construção de Piscina Olímpica e pista oficial de atletismo; 

o Aquisição de equipamentos esportivos.

9. Criação da Universidade do Esporte em nível federal – projeto de parceria entre os Ministérios do Esporte e da Educação, sendo que após as Olimpíadas, o Parque Olímpico, no Rio de Janeiro, será transformado em uma Universidade multidisciplinar de esporte contemplando as áreas:

o jornalismo esportivo; 

o medicina do esporte;

o marketing esportivo;

o fisioterapia das modalidades esportivas; 

o psicologia esportiva;

o e nutrição voltadas para o esporte.