quinta-feira, 22 de maio de 2014

Caminhada vai marcar a abertura do 13º Encontro Nacional por Moradia Popular.


Cerca de 600 delegados - entre sem teto, favelados, moradores em cortiços, mutirões, ocupações e loteamentos – participarão amanhã da caminhada de abertura do 13º Encontro Nacional de Moradia Popular, que será realizado em Belém, entre 22 e 25 de maio, no hotel Gold Mar, localizado na rua Nelson Ribeiro, 132, no bairro do Telégrafo, próximo a avenida Pedro Alvares Cabral. O encontro tem como tema a “Autogestão na moradia: em nossas mãos a força da transformação” e pela primeira vez será realizado na região amazônica. O evento é promovido pela União Nacional de Luta por Moradia.

A concentração para a caminhada está marcada para às 14horas de quinta-feira (22) na avenida Visconde de Souza Franco, esquina com a rua Diogo Móia, no centro de Belém. O ponto de encontro é emblemático: no local, em agosto de 1997, ocorreu a queda do edificio Raimundo Farias com 34 andares, tragédia que deixou 40 operários mortos. A saída da caminhada está prevista para às 16 horas rumo ao edifício Premium, o primeiro a ser erguido na orla da cidade.

Às 18 horas, já no hotel Gold Mar, ocorrerá a mesa de abertura do encontro com a participação de representantes dos governos municipal, estadual e federal, além de órgaos envolvidos com a questão da moradia, como a Caixa Econômica Federal e o Ministério das Cidades. Em seguida, será proferida a conferência magna sobre “Os desafios da organização popular brasileira nos anos de grandes eventos internacionais e de eleições federais”.

Na sexta-feira, dia 23, a partir das 10 horas, os delegados farão um balanço do programa “Minha Casa, Minha Vida”. Às 11h30 será a vez do debate sobre “A autogestão, a propriedade coletiva e a gestão democrática dos processos construindo o Poder Popular”. À tarde, a partir das 16 horas ocorrão 12 oficinas temáticas, englobando variados temas, como programas habitacionais autogestionários, propriedade coletiva, regularização fundiária, luta contra os despejos, entre outros.
Na manhã de sábado, os participantes farão um balanço dos 21 anos da União Nacional de Moradia Popular e trocarão experiências. Às 14 horas começa a plenária sobre o que foi deliberado nas oficinas e a definição da agenda de lutas.

A cerimônia de encerramento do encontro será às 8h30 de domingo, seguida da apresentação da nova coordenação da União Nacional de Moradia Popular.