sexta-feira, 3 de maio de 2013

Comissão da Verdade vai ouvir no Rio militares perseguidos pela ditadura

Criada para apurar violações de direitos humanos entre 1946 e 1988, o órgão estima que 7,5 mil militares foram perseguidos e 30 mortos.

Motivados pelo depoimento do brigadeiro Rui Moreira Lima, de 97 anos, a Comissão Nacional da Verdade (CNV) investigará atos de perseguição da ditadura contra militares das próprias Forças Armadas e da Polícia Militar. Criada para apurar violações de direitos humanos entre 1946 e 1988, o órgão estima que 7,5 mil militares foram perseguidos e 30, mortos.

A primeira audiência pública para colher o testemunho dos militares e seus familiares ocorrerá neste sábado, no Rio de Janeiro. Eles serão ouvidos pela comissionada Rosa Maria Cardoso e pelo presidente da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro, Wadih Damous. Segundo ele, pelo fato de o Rio de Janeiro ter sido capital do Brasil até 1960, a cidade tem o maior contingente de militares nessa situação.

"Nas Forças Armadas não existiram só torturadores e golpistas", disse Damous. "Houve aqueles que resistiram, que defenderam a ordem democrática e pagaram muito caro por isso, alguns com a vida, outros com seus empregos e carreiras", completou. Representando a Ordem do Advogados do Brasil (OAB), ele destaca que portarias e atos secretos foram os instrumentos mais aplicados.

Fonte: oticias.terra.com.br/brasil/comissao-da-verdade-vai-ouvir-no-rio-militares-perseguidos-pela-ditadura,bd17fbdce8b5e310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html?ECID=BR_RedeSociais_Twitter_0_Noticia