terça-feira, 30 de setembro de 2014

Waldemir acionará a Justiça contra a Prefeitura devido à situação de abandono da cidade


Diante da denúncia publicada em um jornal local a respeito da situação desumana em que os trabalhadores e os usuários do sistema de transporte público de Manaus estão enfrentando devido à falta de estruturas nas estações de ônibus, o vereador Waldemir José (PT) entrará com representações no Ministério Público do Estado (MPE/AM) e no Ministério Público Federal (MPF), para que os mesmos promovam as ações cabíveis ao prefeito que, segundo o parlamentar, “abandonou a cidade para fazer campanha eleitoral”. A medida foi anunciada durante a Sessão Plenária da Câmara Municipal de Manaus (CMM), desta segunda-feira (29).

Segundo a matéria, os terminais das linhas 450, 423, 045, e 093 encontram-se em situação precária. Não existem locais adequados para que os motoristas e cobradores aproveitem o descanso obrigatório a que eles têm direito; as empresas não providenciam, sequer, materiais de limpeza, portanto os serviços estão sendo realizados e custeados pelos próprios funcionários na tentativa de melhorar o ambiente de trabalho; os usuários e os próprios trabalhadores ficam expostos ao sol e a chuva, pois não há cobertura nessas estações. Além disso, há outros problemas graves enfrentados por esses trabalhadores, como é o caso da falta de água, cortada por falta de pagamento, e os assaltos que ocorrem quase que semanalmente.

Para Waldemir José essa situação é resultado do abandono da Administração Municipal, não só com os terminais de ônibus, mas também com vários outros setores do município, como a saúde e a educação. “Efetivamente a Prefeitura abandonou a cidade. É só observamos o que acontece com as escolas, com as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e com o sistema de transporte. O prefeito está mais preocupado em fazer campanha para os seus candidatos ao invés de cuidar dos graves problemas que a cidade enfrenta. Se ele (prefeito) queria fazer campanha, então que pedisse afastamento de seu cargo”, disse.

O parlamentar lembrou, ainda, que durante as fiscalizações nas estações das linhas de ônibus ele constatou várias irregularidades, dentre elas destacam-se: número de ônibus que não é suficiente para atender à população; o número de viagens não é cumprido pelas empresas; os elevadores dos ônibus que deveriam servir aos portadores de necessidades especiais não funcionam; não há fiscalização por parte da Prefeitura nessas estações e a existência de inúmeros ônibus que circulam em situação precária.

Ele espera que seu pedido seja acatado e acredita que somente uma ação do MPE, juntamente com o MPF, poderá amenizar a situação precária em que se encontram os serviços públicos da cidade de Manaus.

Fonte: Assessoria de Comunicação