segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Plebiscito Constituinte: uma vitória da democracia


Por obra e mérito exclusivo da sociedade civil brasileira, apesar do vergonhoso boicote da mídia e de políticos conservadores, o Plebiscito Popular da Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político traz um recado: os brasileiros sabem sim sr. se mobilizar e estão mais do que preparados para exercer sua cidadania e o direito de decidirem sobre as questões estruturais do país. 

É o que atestam os números impressionantes da Consulta Popular sobre a Reforma Política: foram 7,75 milhões de votos entre os dias 1º e 7 de setembro. Repetimos, tudo sob o silêncio vergonhoso da imprensa que deu poucas notícias sobre o tema e nada fez para divulgá-lo, apesar do plebiscito ter criado 2 mil comitês em todos os 27 Estados do Brasil e atender a uma das principais demandas das mobilizações de junho do ano passado.

Do total de votos, entre os que deram sua opinião sobre os rumos do país, a quase totalidade – 97,05% – apoiou a convocação da Assembléia Exclusiva para a Reforma Política. Apenas 2,57% foram contrários à proposta (não chegaram a 200 mil votos). Somados, os votos brancos (0,20%) e nulos (0,17%) ficaram abaixo de 30 mil. A reforma política, registre-se, é anseio, e é apoiada, por mais da metade da população brasileira, conforme as últimas pesquisas de opinião pública realizadas a respeito.

Do total de votos, 6,95 milhões de pessoas preferiram votar nas 40 mil urnas físicas espalhadas em todos o país; e 1,74 milhão optou pela votação virtual. Segundo a coordenadora da campanha, Paola Estrada, o número de votos virtuais poderia ser até mais expressivo não fossem os ataques e as tentativas de hackeamento sofridos ao longo da consulta que atrapalharam a finalização de muitos votos. Ela aponta que o site foi acessado por 5 milhões de pessoas.