quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Praciano deixa Omar Aziz sem resposta sobre denúncia em debate na Record News


Francisco Praciano, o candidato ao Senado pela coligação "Renovação e Experiência", apresentou mais uma denúncia contra o seu adversário Omar Aziz no debate realizado na noite de quarta-feira (17) pela emissora Record News Manaus, na zona Centro Sul de Manaus.

Praciano confrontou Omar, no último bloco, pelos R$ 44 bilhões a mais de recursos que ele o seu vice, agora candidato a reeleição para governo, José Melo, arrecadaram em relação ao governo de Eduardo Braga, sem que fosse deixado nenhuma obra de relevância no Estado. Apenas placas foram inauguradas, inclusive onde deveriam estar 18 Centro de Educação de Tempo Integral no interior do Amazonas. "O pior foi que o Omar fez um contrato de R$ 133 milhões, sendo que já pagou R$ 38 milhões, para contratar uma empresa (do Paraná) para fiscalizar obras que não existem. Ai eu pergunto: pra fiscalizar o que, placas?", disse Praciano.

Fazendo uso de direito de resposta, Omar Aziz não esclareceu nada sobre o contrato denunciado por Praciano e nem falou das obras inexistentes do interior onde foram erguidas apenas as placas. Desperdiçou o tempo de resposta questionando a aliança de Praciano com Eduardo Braga, candidato ao governo pela coligação "Renovação e Experiência" e Rebecca Garcia, candidata a vice-governadora.

Praciano já havia explicado sua aliança com Eduardo Braga no segundo bloco do debate. De acordo com o parlamentar, Eduardo Braga é um senador de peso, líder do governo da presidenta Dilma Rousseff no Congresso e será um parceiro de Dilma nos programas sociais (Minha CAsa Minha Vida, Luz para Todos, Bolsa Família, entre outros) que serão ampliados no Amazonas. "Estou dentro do Estado de Direito e fiscalizei. Fiscalizei o Eduardo Braga, fiscalizei o Amazonino Mendes, fiscalizei o Serafim Correa, o Arthur Virgílio e o Alfredo Nascimento. Cumpri minha função de parlamentar ", destacou.

Nas suas outras participações no debate, que teve ainda os candidatos Marcelo Serafim, Professor Queiroz e Jonathas Almeida, Praciano abordou a segurança que tem sido alvo de episódios alarmantes em Manaus como o assalto à agência do Branco Itaú no bairro da Compensa, zona Oeste. Ele defendeu a ação integrada entre polícias e forças armadas, pra vigiar e coibir os corredores de armas e drogas na fronteira.

Outro tema tratado por Praciano foi o combate à corrupção através do fortalecimento da Justiça, dos ministérios públicos e dos tribunais de contas dos Estados. "É preciso combater a corrupção também de forma preventiva e estruturada", propôs o candidato que é o presidente da Frente Ampla Parlamentar de combate à Corrupção no Congresso Nacional. Ele lembrou ainda que nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff foram realizadas 2 mil operações da Polícia Federal contra fraudes e o crime organizado, enquanto que no governo do PSDB de Fernando Henrique Cardoso fora realizadas apenas 20 operações.