sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Praciano leva propostas do Senado para os eleitores.


Por onde tem andado com a sua “tribuna itinerante”, o candidato ao Senado pela coligação “Renovação e Experiência”, Francisco Praciano, está apresentando propostas para o Senado que reduzem a burocracia, o custo de itens de consumo popular, fortalecem o Estado para combater a corrupção e melhoram a representatividade na vida pública.

Quando fala na Kombi nos terminais de ônibus ou apenas no megafone pelas praças de Manaus, Praciano defende a necessidade de fazer a Reforma Política para ordenar os partidos políticos e o processo de representatividade dos eleitores. “Precisamos de uma ampla reforma que discuta, inclusive, o fim do financiamento privado da campanha. O Congresso não pode ter representantes das empresas privadas, das empreiteiras, deve ter representantes do povo. Ou se define o financiamento público, ou se restringe fortemente o dinheiro privado nas campanhas”, diz.

A Reforma Tributária é outra proposta de Praciano para reduzir o custo do País e avançar o desenvolvimento. A ideia é acabar com a burocracia e até isentar itens como remédios e a cesta básica. “Com a redução da carga tributária, nós aumentamos a base de pagadores. São mais pagadores, pagando menos impostos ou seja, menos sonegação fiscal. A sonegação causa um prejuízo de R$ 500 bilhões por ano no País, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). Só no ano passado foram R$ 615 bilhões sonegados”, informa.

Praciano também se compromete a votar pela aprovação da Proposta de Emenda Constitucional que estabelece o piso salarial de bombeiros e policiais civis e militares, a chamada PEC 300.

Continuar o combate à corrupção é outro compromisso de Praciano, coisa que ele faz desde o início da sua vida pública. “Temos que fortalecer o Estado, os instrumentos que fiscalizam como a Controladoria Geral da União (CGU), ministérios públicos e Polícia Federal”, argumenta. Praciano também está preocupado com o fortalecimento do Direito. “Hoje quando tramita um processo de corrupção existem várias possiblidades de recursos. É preciso disciplinar isso”, diz o candidato.