domingo, 4 de maio de 2014

No AM, pelo menos três homossexuais são mortos por mês, diz Fórum LGBT

Para o Fórum LGBT, a homofobia é responsável por grande parte dos crimes cometidos contra homossexuais no Amazonas

O número de homicídios envolvendo a população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis), de janeiro a abril de 2014, já é igual aos casos registrados durante todo o ano passado: 13, uma média de três por mês. Os dados são da Coordenação do Fórum LGBT do Amazonas.

De acordo com a coordenadora Sebastiana Silva, em todos os casos o requinte de crueldade dos assassinatos foi praticamente o mesmo. O uso de arma branca (tesouras, facas e terçados), chaves de fenda e pedaços de madeira estavam presentes em quase todos os crimes.

Um relatório do Fórum LGBT mostra que muitos dos homossexuais foram torturados antes de serem mortos. As armas utilizadas nos homicídios foram encontradas ainda inseridas nos corpos das vítimas, principalmente na região sexual e no rosto. Ainda segundo o levantamento, 90% das vítimas são do sexo masculino. As demais, do sexo feminino.

“A violência contra homossexuais parte muitas das vezes do próprio parceiro da vítima, tendo em vista uma relação mal resolvida ou até mesmo por ciúmes”, afirmou o delegado George Gomes, do 8º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

O delegado afirma que, apesar dos números, a violência contra homossexuais no Amazonas em relação a outros Estados ainda é pequena. Segundo ele, em todos os casos foram identificados os agressores ou assassinos, contrariando a coordenadora do Fórum LGBT, Sebastiana Silva, que disse que muitos dos casos caem no esquecimento ou nem são solucionados pela polícia.

Casos

Em Manaus, um caso de grande repercussão foi de um estudante de Jornalismo ocorrido em 29 de novembro de 2013, que teve o carro e objetos pessoais roubados e, logo após, foi morto por estrangulamento. O corpo foi jogado em um igarapé no bairro Tancredo Neves, zona leste de Manaus.

Os suspeitos, os irmãos Ricardo Damacena Cunha, 19, e Jucenildo Soares Damacena, 18, foram presos pelo crime de latrocínio, conforme informou a Polícia Civil (PC).

De acordo com o delegado que coordenou as investigações, Orlando Amaral, da Delegacia de Roubos e Furtos (DERF), a dupla matou pelo menos dez pessoas, todas homossexuais. Amaral classificou Ricardo como um ‘maníaco’, pois o suspeito se relacionava com as vítimas e depois as matava.

No País, mais de 300 foram assassinados em 2013

Em 2013, 312 homossexuais foram assassinados no Brasil, destes 13 no Amazonas, segundo o Grupo Gay da Bahia (GGB), que desenvolve trabalhos com a população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Travestis) em todo o País. Segundo o relatório do GGB, foi um assassinato a cada 28 horas.

O relatório mostra, ainda, que o Brasil é campeão mundial de crimes homotransfóbicos, sendo que 40% dos assassinatos de transexuais e travestis, no ano passado, foram cometidos no Brasil.

Pernambuco e São Paulo foi onde ocorreu o maior número de assassinatos de homossexuais, o ano passado. Os Estados de Roraima e Mato Grosso foram considerados os mais perigosos para o seguimento gay.

Quanto as capitais brasileiras, Manaus está no topo, juntamente com Cuiabá, onde registrara-se o maior número de crimes homofóbicos, segundo o relatório. O Nordeste é a região mais violenta, com 43% dos casos.

Os Estados menos violentos, de acordo com relatório, é o Acre onde não há registros de mortes nos últimos três anos; seguido do Amapá, com apenas um registro e Espírito Santo, com dois.

Fonte: http://www.d24am.com/noticias/amazonas/no-am-pelo-menos-tres-homossexuais-sao-mortos-por-mes-diz-forum-lgbt/111443