quinta-feira, 1 de maio de 2014

Movimentos protestam em frente ao apartamento do prefeito Arthur Neto.

Manifestação no dia do trabalho

No feriado do Dia do Trabalho, cerca de 80 militantes de movimentos sociais e partidários fizeram uma manifestação em frente à residência do prefeito Arthur Virgílio (PSDB), no Residencial Varandas, localizado na Ponta Negra, Zona Oeste.

Rodeado de faixas e cartazes, o tucano subiu à Kombi junto aos líderes dos movimentos e negociou uma reunião para próxima segunda-feira (5) para discutir as reivindicações.

A manifestação começou por volta das 10h, quando Virgílio se preparava para ir ao funeral do empresário Paulo Maurício Borges Saint’Clair, seu amigo e fiel doador de recursos para campanhas eleitorais. 

O ato foi coordenado pela direção da União Nacional por Moradia Popular (UNMP-AM), que reivindicava a assinatura de um termo de compromisso com a infraestrutura dos arredores de um residencial do movimento sem-teto.

Ao lado de Virgílio, os dirigentes puderam entregar a pauta de reivindicações. A Assembleia Nacional dos Estudantes (Anel) fez críticas ao sistema viário da capital, a Central Sindical Popular (CSP-Conlutas) pediu mais rigor na apuração de casos envolvendo pedofilia no Estado e o Sindicato dos Assistentes Sociais chegou a bater boca com o prefeito, que pedia ao movimento que fosse menos agressivo nas críticas.

Movimentos políticos surfaram pela manifestação. O pré-candidato ao governo pelo Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), Herbert Amazonas, levou militantes da sigla para o ato, mas não se pronunciou durante as discussões. “Organizamos o movimento pelos trabalhadores”, disse. Até mesmo membros da Central Única dos Trabalhadores (CUT), ligada ao PT, se movimentavam durante o ato.

No seu pronunciamento, Virgílio falou sobre as dificuldades que tem para conseguir recursos junto governo Federal e disse que “não foge ao debate” proposto pelos movimentos sociais. 

O prefeito se recusou a assinar o termo do movimento sem-teto porque não conhecia o documento, mas prometeu analisar e levantar o custo das obras reivindicadas. Ele marcou uma reunião com os dirigentes para a próxima segunda-feira, às 8h.

Fonte: http://www.emtempo.com.br/editorias/dia-a-dia/17124-no-dia-do-trabalho,-manisfestantes-protestam-em-frente-ao-apartamento-do-prefeito-arthur-neto.html