quinta-feira, 13 de março de 2014

Sem CPI da Pedofilia a impunidade continua


O deputado José Ricardo, que é coautor do requerimento para instalar a CPI da Pedofilia, lamentou a decisão de postergar a instalação da comissão de inquérito na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) para depois do período eleitoral. A decisão sobre a instalação foi realizada com a presença de 21 dos 24 deputados que compõe a Casa, sendo que 12 votaram pelo adiamento contra nove a favor da instalação imediata. A reunião que ocorreu na presidência durou quase três horas.

“É lamentável postergar a instalação da CPI porque isso significa impunidade em relação a pedofilia. A CPI tem um prazo de 120 dias para concluir os trabalhos podendo ser dilatado por mais 60 dias, porém seria possível encerrar os trabalhos antes da eleições. Depois das eleições não sei nem se haverá vontade política dos deputados para continuar as investigações, enquanto isso a pedofilia esta aí, vencendo”, criticou.

Os deputados que votaram a favor da instalação imediata são: José Ricardo, Luiz Castro (PPS), Sinésio Campos (PT), Chico Preto (PMN), Marcelo Ramos (PSB), Ricardo Nicolau (PSD), Washington Régis (PMDB), Adjunto Afonso (PP) e Conceição Sampaio (PP). 

Intervenção 

José Ricardo também ingressou com outros parlamentares, em janeiro deste ano, com uma representação de intervenção no Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) para afastar o prefeito de Coari do cargo devido as inúmeras denúncias de envolvimento em crimes de exploração sexual de crianças e adolescentes. Ele apresentou ainda, outra representação no MP-AM, com o deputado federal, Francisco Praciano (PT), em fevereiro de 2013, por conta das contratações sem licitações que somam R$ 15 milhões, incluindo, bandas de músicas que se apresentaram no Carnaval da cidade, no valor de R$ 1,8 milhão, se utilizando do Decreto de Situação de Emergência emitido pelo prefeito do município. 

Fonte: Assessoria de Comunicação