quarta-feira, 19 de março de 2014

Após protesto com saias, SEC avalia atuais normas de trajes do Teatro Amazonas

Atores vestiram saia para protestar contra restrições de indumentária do Teatro Amazonas (Foto: Marcos Dantas/G1)
Foto: Marcos Dantas/G1
O titular da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), Robério Braga, afirmou, nesta quarta-feira (19), que vai analisar as atuais normas de trajes no Teatro Amazonas, em Manaus. As regras foram criticadas em protesto na noite da terça (18). Na ocasião, estudantes de teatro e atores foram ao local trajando saias e, após discussão, conseguiram entrar e assistir o espetáculo.

A entrada de pessoas trajando chinelos, bermudas ou shorts, blusas sem manga (regatas) é proibida nos espetáculos noturnos. Em entrevista, o secretário Robério Braga alegou que a norma é antiga e visa à garantia que todos os usuários estejam vestidos adequadamente no Teatro Amazonas. "É respeitar o prédio histórico, a tradição e o direito das outras pessoas que estão no teatro. É uma questão de respeito com o artista que está se apresentando, pois é inadmissível imaginar uma cena dessas", explicou o secretário, mostrando a imagem de uma mulher trajando microsshort, tentando entrar no Teatro Amazonas.

Para o secretário, o uso de vestimentas proibidas no Teatro Amazonas gera ainda um ambiente inadequado para os turistas brasileiros e estrangeiros, bem como aos frequentadores locais do espaço cultural. No entanto, Robério afirmou que a SEC pretende refletir sobre o assunto e não descarta mudanças.

"O Governo não tem a intenção de impor nenhuma conduta, mas tem a responsabilidade de estabelecer regras de funcionamento dos espaços. No meu tempo de menino e rapaz, só podia entrar no teatro de paletó e gravata, isso era demais. A sociedade mudou, o cenário social e econômico se modificou. O teatro deixou de ser lugar da elite, passando a ser do povo. Se a regra está 'démodé' vamos examiná-la, mas a regra visa evitar excesso. Discutiremos e avaliaremos a situação, pois não somos donos da verdade", enfatizou Robério Braga.

Entenda o caso

O professor Jhon Castro, do curso de Teatro da UEA, foi o organizador do protesto. Ele afirma ter considerado discriminatória a proibição de um homem vestindo bermuda e chinelo de assistir um espetáculo da Mostra de 10 Anos de Teatro na Amazônia. O caso motivou um protesto de estudantes universitários e simpatizantes.

Na manifestação, realizada na noite desta terça-feira (18), homens usavam saia e as mulheres usavam bermudas. Cerca de 70 pessoas participaram do ato. Eles leram trechos da Constituição e após discussão conseguiram assistir o espetáculo.

Fonte: http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2014/03/apos-protesto-com-saias-sec-avalia-atuais-normas-de-trajes-do-teatro-am.html?utm_source=twitterfeed&utm_medium=facebook