segunda-feira, 24 de março de 2014

O fracasso das marchas contra o comunismo e que pediram a volta dos militares


Constituíram-se em completo fracasso as reedições que programaram para o fim de semana (sábado) da Marcha da Família com Deus pela Liberdade e em termos de participação e público, nada, absolutamente nada, que lembrasse as anteriores, realizadas 50 anos atrás, no 19 de março, em São Paulo, e no 2 de abril, no Rio – esta com o nome mudado para Marcha da Vitória, já que os golpistas haviam vencido.

A reedição da marcha neste sábado, aqui na praça da República, em São Paulo, reuniu no máximo 700 pessoas, pelos cálculos da Polícia Militar. Nada que lembrasse, minimamente, as 200 mil, o público reunido no 19 de abril de 1964, na Praça da Sé, segundo registrou então o jornal O Globo, 50 anos atrás, ao noticiar aquela Marcha da Família com Deus pela Liberdade.

No Rio, ao que se noticia, a marcha dos saudosistas do golpe de 64 reuniu não mais que 50 pessoas. Os organizadores programavam, ou pelo menos anunciavam que a marcha seria reeditada em 241 cidades brasileiras. Mas neste domingo e 2ª feira não se tem notícias das outras. Fora as fracassadas de São Paulo e Rio, nem dá para saber se ocorreram.

Os discursos, palavras de ordem e dizeres das faixas, no entanto, aqui na Praça da República em São Paulo foram os mesmos de 50 anos atrás – defesa da democracia no Brasil (como se ela estivesse ameaçada), contra o comunismo e pela volta dos militares ao poder. Parecia um videotape de meio século atrás.