quarta-feira, 10 de abril de 2013

Waldemir critica os cem dias da administração de Arthur Neto

“Prefeito novo com práticas velhas”, foi o que relatou o líder do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Waldemir José, durante o Pequeno Expediente da Sessão Plenária de hoje (10), ao avaliar os primeiros cem dias da gestão do prefeito Arthur Neto (PSDB). Para Waldemir José, a marca principal desse período foi o autoritarismo e seu intenso trabalho de marketing pessoal.

Em dezembro do ano passado o prefeito Artur Neto prometeu que em cem dias daria um choque de ordem na cidade de Manaus. Para isso, atacaria, pelo menos, cinco frentes: tapa-buracos, iluminação pública, melhoria do abastecimento de água, coleta de lixo e intervenções no trânsito.

De acordo com o vereador Waldemir José, não há nada para comemorar. Com tantos problemas para serem resolvidos a ação mais significativa na perspectiva do prefeito foi a economia de R$60 milhões gerado por sua gestão. “Enquanto a cidade toda pede socorro com problemas de politicas públicas na saúde, educação e infraestrutura o prefeito decide guarda dinheiro. Não é papel da Prefeitura fazer caixa com o dinheiro público. Essa administração decidiu fazer entesouramento dos recursos públicos ao invés de aplicá-los na infraestrutura da cidade”, relatou.

O vereador petista disse, ainda, que o prefeito afirmou que respeitaria a Casa do Povo, mas o que se viu nesses cem dias foram ações que, na prática, esvaziaram a função da Câmara Muncipal. “A atual gestão se consagra pelo autoritarismo. Criou a Lei Delegada que dá plenos poderes ao Executivo e remete a Câmara Municipal à submissão dessa administração. Por que, para fazer a reforma administrativa, ele precisou fazer essa ação?”, questionou alegando que nenhum outro prefeito, ao fazer reformas administrativas, criou leis para beneficiar dessa forma sua administração.

Além do mais, Waldemir relembrou, ainda, que Athur Neto solicitou o remanejamento de 40% do orçamento da cidade para sua gestão e conseguiu aprovar, o que não ocorreu em outras administrações. “Nenhum outro prefeito teve a ousadia de pedir um percentual tão alto assim. Isso demonstra a forma autoritária de suas ações”.

A autorização do reajuste da tarifa de transporte público da cidade, de acordo com o petista, foi mais uma demonstração de que o atual prefeito não dialoga com a sociedade, sobretudo, em relação aos principais problemas que atingem diretamente a cidade. “Estamos na nesta Casa para representar o povo e apesar disso, Arthur Neto não conversou com este parlamento sobre a planilha do transporte. Concedeu o aumento sem ouvir a sociedade manauara e, muito menos, a Câmara Municipal”, afirmou.

Igualmente, o líder petista criticou o marketing pessoal que essa administração municipal faz, na tentativa de mascarar os reais problemas existentes na cidade. “Nada mudou. O atual prefeito age da mesma forma que os gestores passados. Serafim concedeu um aumento de R$0,20 na tarifa de ônibus e divulgou que Manaus teria 500 novos ônibus. Amazonino autorizou o aumento de R$0,05 na passagem e fez propaganda que a cidade teria 800 mais veículos. Já Arthur, concede o reajuste de R$0,25 na tarifa do transporte e apresenta um pouco mais de 30 coletivos novos e ainda faz mídia para sociedade dirigindo um ônibus novo”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Comunicação