quarta-feira, 24 de abril de 2013

Vereador professor Bibiano participa de Marcha da Cidadania em Manaus

Foto: Assessoria de Comunicação

Entidades representativas da sociedade civil de movimentos de luta realizaram a primeira edição da Marcha da Cidadania em Manaus.A mobilização teve por objetivo buscar respostas do governo estadual e municipal em relação a demandas urgentes da cidade, principalmente, na área da educação, saúde, transporte urbano, moradia, entre outros. 

Único parlamentar a participar do ato público, o presidente da Comissão de Legislação Participativa da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador professor Bibiano (PT) criticou a posição do prefeito da cidade, Arthur Neto, de não dialogar com a sociedade civil organizada. O chefe do executivo não quis receber os integrantes da comissão formada por organizadores da Marcha para tratar sobre a pauta de reivindicação dos grupos organizados.

“Essa é a forma que a sociedade encontrou de externar a sua indignação devido aos problemas que estão afligindo o povo e é inadmissível que o prefeito não queira receber a comissão representativa desse movimento para ouvir as suas demandas”, frisou o vereador.

Professor Bibiano, que possui um histórico de intensa atuação em movimentos sociais, ressaltou a legitimidade do ato, uma vez que os manifestantes estavam ali para fazer valer os seus direitos. Estamos, aqui, em uma manifestação pacífica e ordeira. “Que tipo de democracia é essa”, indagou. “Estamos aqui para fazer valer um direito que é nosso e a população vem sofrendo com essa demanda de luta há décadas”, disse.

Discurso na Câmara

Durante o seu discurso no plenário, o vereador Bibiano chamou a atenção dos parlamentares para a necessidade da Câmara Municipal atentar para as reivindicações feitas pelo movimento da Marcha da Cidadania. Ele enfatizou as demandas apresentadas pelas entidades representativas dos professores, em especial Associação dos Professores Organizados de Manaus (Assprom) e Movimento dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (MOVTE), com relação principalmente à questão do reajuste salarial dos profissionais da área.

Professor Bibiano informou que está apoiando a categoria dos professores. Em indicação encaminhada à Prefeitura, vereador Bibiano reivindica para os professores da rede municipal reajuste salarial de 15%, aumento do auxílio alimentação em 50% e reajuste de 9,1% de auxílio transporte, no caso dos professores com jornada de trabalho de 20 horas, e 18,2% em se tratando do auxílio transporte dos professores com jornada de 40 horas.

O parlamentar também solicitou audiência pública para tratar, além do reajuste salarial digno, de políticas educacionais, criação do Plano Municipal de Educação (PME), situação da estrutura física das escolas, entre outros. “Caso seja aceita essa indicação, será um ato concreto do prefeito (Artur Neto) para a valorização efetiva da educação”, frisou o vereador.

Fonte: Assessoria de Comunicação