sexta-feira, 12 de abril de 2013

Velhos hábitos - José Ricardo Wendling*

Prefeito novo, velhos hábitos e os mesmos problemas. O morador da cidade sempre espera que as promessas da época da campanha política sejam realizadas, mesmo que algumas pareçam até mentiras. Mas o que se percebe nesses primeiros cem dias de administração do prefeito Artur Neto é que os problemas continuam, assim como o hábito de não ouvir a população.

Conforme lembrou o vereador Waldemir José, o prefeito prometeu que nesse período daria um choque de ordem na cidade, atacando os problemas de buracos nas ruas, iluminação pública, trânsito, abastecimento de água e coleta de lixo. Mas isso ainda não aconteceu!

Prova disso foi sua primeira medida tomada na área do transporte: reajustar a tarifa de ônibus para R$ 3. Um aumento abusivo, já que o usuário paga por uma das tarifas mais caras do Brasil e tem um péssimo serviço. E o prefeito sequer cobrou dos empresários a planilha de custo que justificasse tal reajuste.

As ruas da cidade estão recheadas de buracos. E a Operação Tapa-Buracos está atuando de forma tímida. Assim, as chuvas constantes estão estragando as ruas mal recapeadas, enquanto o secretário de Obras viaja para os Estados Unidos.

O prefeito também não tomou medida para resolver o problema da água. As adutoras estão rompendo em todos os lugares. E a empresa concessionária não cumpriu com nenhuma meta do contrato e não sofreu qualquer intervenção por parte da Prefeitura.

Isso sem falar na educação, ainda com sérios problemas estruturais e falta de valorização dos professores, o que leva a cidade a continuar com péssimos indicadores de desempenho; e no Centro da cidade, que continua abandonado, sem qualquer projeto de restauro e sem nenhum projeto em relação aos ambulantes.

Enquanto isso, o prefeito fala que economizou R$ 70 milhões. Melhor seria cobrar os R$ 300 milhões de dívidas deixadas pelo Amazonino e gastar este dinheiro com a população. Problemas não faltam na cidade.

E os governantes mantêm os velhos hábitos: prometer e não cumprir.

* José Ricardo Wendling é deputado estadual pelo PT-Am.