sábado, 10 de agosto de 2013

Estudantes e entidades do Amazonas exigem qualidade na educação em Sessão Especial na Assembleia Legislativa


A Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) abriu espaço para homenagear em Sessão Especial, na manhã desta sexta-feira (9), os estudantes e as entidades que lutam pela qualidade e melhoria da educação no Amazonas. O evento comemorativo pelo Dia do Estudante é de autoria do deputado José Ricardo Wendling (PT), líder do PT na Aleam.

O Dia do Estudante é comemorado no dia 11 de agosto, a mesma data em que foram instituídos os dois primeiros cursos de ciências jurídicas e sociais no Brasil, por Dom Pedro I, no século XIX.

Para José Ricardo, o momento é de homenagem a todos os estudantes por essa da­ta especial, mas também de reflexão sobre todos os desafios. Ele destacou a sua luta em defesa da educação, desde quando era vereador, visitando e fiscalizando escolas pú­bli­cas, tanto da capital quanto do interior, onde falta quase tudo, desde professores, peda­gogos, bibliotecários, serviços gerais, merendeiras, como ainda bibliotecas, labo­ra­tórios de infor­mática e de ciências e quadras de esporte, além da estrutura física estar sempre com­pro­metida, necessitando de reformas e ampliações urgentes. “Existe um re­trato negativo da educação e o parlamentar deve ser voz. Porque os recursos do Estado são mal utili­za­dos e a situação nas escolas é dramática”, disse ele, que é autor do Projeto de Lei que cria o Orçamento Jovem, sempre na defesa de que o Orçamento Público seja de­ba­tido com a sociedade. “Vamos continuar nessa luta. E parabéns a todos os estudantes pelo seu dia”.

O presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas, Ângelo de Souza, declarou que a homenagem é justa, mas lamenta que os grêmios estudantis sejam, muitas vezes, barrados quando estão em defesa de seus direitos, seja nas escolas, nas secretarias de Educação ou nos demais poderes. “Defendemos educação de qualidade e lutamos também pela efetivação dos direitos dos professores, para que se dediquem mais ao ensino. Também queremos reforçar a necessidade de se reformular o ensino médio, que ainda tem muitas deficiências, para que possamos concorrer de forma mais justa a vagas nas universidades públicas”, sugeriu.

Já para o deputado federal Praciano (PT), é importante lembrar do sofrimento dos es­tu­dantes do interior, como em Atalaia do Norte, que tem um dos menores IDH do País. “Bai­xa qualidade na educação que nos dá vontade de chorar. Isso sem falar na saúde e na ren­da dos amazonenses. Dos 50 municípios do Brasil, temos 14 cidades amazonense com pés­­simos indicadores de qualidade de vida. Falo isso porque a corrupção colabora com es­­sa realidade, desviando R$ 80 bilhões/ano dos cofres públicos. Dinheiro que deixa de en­trar na educação, na saúde e na melhoria da renda. Temos que nos revol­tar e ir para as ruas, sempre, lutar pelo combate à corrupção e pela melhoria do ensino pú­bli­co”.

Educação de qualidade

“Há necessidade de continuarmos o debate, no reconhecimento dos nossos estudantes, não só pela história de lutas e de vitórias, mas por ficarem marcados pelo amadurecimento, num processo de redemocratização do País. Uma homenagem justa também de todos os professores do Estado e do Município”, disse o representante da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), professor Francisco Palheta, enfatizando que o grito de hoje continua para garantir o acesso à escola e à qualidade do ensino.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Amazonas (Sinepeam), Firmino Alves Campelo, escolas públicas e particulares estão unidas para homenagear o Dia do Estudante. “Vivemos o dia-a-dia com todos vocês. Porque queremos prepará-los para nos substituir no futuro. Este é um dia importante, por isso, parabenizamos essa iniciativa para homenagear aqueles que são a razão das nossas lutas e do nosso trabalho”. 

O presidente do Diretório Central dos Estudantes da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), André Marcílio, lembrou que amanhã (10), a União Nacional dos Estudantes completa 76 anos, fazendo com que cada luta, das pequenas às grandes, avance em prol de uma educação pública e de qualidade. “Parabéns aos estudantes que vão às aulas e que se dedicam às lutas, indo para as ruas defender a meia-passagem, o passe livre e os seus direitos. Mas também quero parabenizar os professores, que nos ensinam com tanta dedicação, mesmo ganhando pouco e sem todos os direitos garantidos”.

Representando o Conselho Estadual de Educação, Vera Lúcia Cerqueira parabenizou a todos os estudantes pelo seu dia, principalmente, os da educação básica, que simbolizam todo o sonho para o futuro. “Somente com a educação, construiremos uma sociedade mais digna e mais honesta”.

Lutas nas ruas

Janderson Teixeira, presidente do Diretório Central dos Estudantes da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), afirmou que o momento é de comemoração e de alegria, pelo esforço e pela dedicação de todos os estudantes, na garantia de uma vida melhor. “Fomos para as ruas defender uma universidade com a cara do nosso Estado. Hoje, estamos com uma nova gestão e esperamos por melhorias. Estamos aprovando a nossa Estatuinte, como ainda garantimos eleição direta para reitor e para diretores das unidades do interior. Todos nós estamos de parabéns, pela indignação constante para termos uma educação gratuita e digna”, reforçou.

O presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Yan Evanovick, citou que esse é o momento de se resgatar a história do povo brasileiro, na perspectiva da efetivação dos direitos sociais e estudantis. “Não há luta no Estado que não tenha tido a participação da juventude estudantil. Vitórias como a meia-passagem, a meia-entrada nos eventos culturais, a criação da UEA. Foram conquistas de todos nós. Fomos agora às ruas porque queremos mais. É um recado aos políticos e às entidades sociais brasileiras, que devem sair da sua zona de conforto para lutar por melhoria de vida a todos”.

Participaram da Sessão Especial, dentre outros órgãos e entidades: Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Amazonas (Sinepeam), Conselhos Estadual de Educação, Comissão de Educação da Aleam, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Pastoral da Juventude, Pastoral Universitária, Movimento Comunitário Vida e Esperança (MCVE), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Juventude do PT e do PCdoB, além de professores e de estudantes de várias zonas da cidade, dos deputados estaduais Luiz Castro (PPS) e Marcelo Ramos (PSB), do deputado federal Praciano e do vereador Bibiano Garcia, ambos do PT.

Fonte: Assessoria de Comunicação